Meu Diário
24/08/2019 00h25
FECUNDAÇÃO

Tiago de Alfeu serviu de ponte entre os cristãos primitivos e os judeus conservadores. Tinha grande valor nas sinagogas, nos meios sacerdotais. Sua conversão ao Cristianismo foi obscura, por ser fiel a Moises, a Deus e a sua consciência. Ouvia muito falar do Cristo, Seus prodígios, Sua doutrina e Seu amor às criaturas. Nas suas orações pedia para conhecer o Cristo, se ele fosse realmente o verdadeiro.

Ele tinha alguns dons, ouvia vozes na cúpula da sinagoga quando meditava, sentia que era a fala de Moisés ou de um seu enviado. Não contava a ninguém sobre isso e uma tarde orou com humildade a Deus, a Moisés, aos céus e aos anjos. Daí a pouco correu um vento frio sem saber de onde e sua mente abriu-se como que por encanto e conseguia ver sem a necessidade dos olhos físicos. Viu em meio a uma fumaça aparentando gelo, abrir-se uma cortina cor de mármore e dentro viu um personagem que reconheceu por intuição ser Moisés. A aparição sorriu e falou para o discípulo sincero:

- Tiago! Não negues Aquele que te chamar para a renovação doutrinária. Serás um elo no mundo, ligando-me a Ele, do velho para o novo, de quem está morrendo para quem começa a viver, da visão difícil para um esplendor de luzes nunca antes percebido na Terra. Esse a quem me refiro é o Cristo que profetas anunciaram e a quem eu mesmo percebi, nos meus velhos pergaminhos. Ele já está na Terra, por misericórdia de Deus, e, para que não duvides do que falo, eis!

            Com a destra, o personagem abriu novamente outra cortina de luz, e Tiago viu Jesus sorrindo para ele e dizendo: VEM A MIM, QUE TE FAREI MEU DISCÍPULO, PARA QUE TENHAS REDOBRADA FÉ EM DEUS E NA VIDA, EM TI E NO PRÓXIMO.

            Tiago, depois disso, entrou no Cristianismo sem deixar de vez as leis mosaicas, conciliando um com as outras. Teve certeza de que o Cristo era cumprimento de Moisés e este era o alicerce de Jesus. Apoiou a ideia de transformar o rancho dos pescadores em igreja em Betsaida. Conhecendo a história dos profetas, lembrou de Samuel em Ramá, que fez erguer a casa dos profetas, lugar que reunia todos os iluminados da região sob sua sábia direção. Era chamado de menor pela estatura, mas grande pela eficiência.

            Tiago entra com passos rápidos na igreja dos pescadores, em Betsaida, antes de começar a dissertação do Mestre. Retirou do alforje alguns escritos e começou a ler em silêncio. Passados alguns minutos, Tadeu deu início aos trabalhos espirituais com uma oração inspirada nos sentimentos. Tiago Menor, que já havia buscado inspiração na leitura, procurou olhar para Jesus, que já o fitava com benevolência, entendeu que poderia falar e perguntou:

- Senhor! Posso te pedir que esclareças para nós, o que vem a ser, no nosso meio, o trabalho da Fecundação?

- Tiago, a Fecundação é um trabalho da Natureza o meio mais importante de sermos conduzidos diante de nossos compromissos. Nascemos de uma operação endógena fecundada pela inteligência maior, pelas linhas do amor. Como a nossa conversa se estende aos campos do espírito, é bom que entendas em espírito e em verdade, pois as leis são iguais para a fertilidade da matéria e para a Fecundação do espírito.

‘A humanidade para nós, é uma lavoura imensa, é uma terra exuberante que saiu, como todos nós, das mãos abençoadas de Deus, esperando quem cuide dela, como agricultor que ama seu trabalho. Para isso estamos aqui! 

‘Se a inteligência nos faz providenciar meios de irrigação para que não percamos as sementes lançadas ao solo, é razoável que providenciemos métodos mais adequados para que a água chegue a todas as aberturas da terra onde existam semeaduras, para que nada deixe de crescer nela e para que tenhamos aquilo que esperamos pelos nossos esforços.

‘Se a humanidade é uma grande lavoura, certamente cada criatura passa a ser um pequeno mundo de trabalho com todas as suas características de imensidade. É dessas terras que vamos falar, Tiago!

O poder das ideias suplanta todas as sementes que por vezes encontras na lavoura da terra.

Os pensamentos são sementes divinas na sua essência. Quando eles tomam direção contrária à sua procedência, são alimentados pela ignorância, e o tempo haverá de transformá-los, devido aos serviços prestados pelas consequências.

‘No nosso caso, parece que já passamos por elas e procuramos, na intensidade do coração, educar as nossas ideias, escolher as sementes de maior concentração energética e semear com critério, no terreno dos corações, de maneira que o respeito seja o controlador de todas nossas disposições.

A propagação da semente não depende de nós. Todo crescimento se faz pelo poder de Deus. No entanto, a irrigação e os primeiros cuidados são entregues ao agricultor que, nesse caso, somos nós.

A Boa Nova que te será entregue se assemelha a sementes escolhidas nos reinos dos anjos, que receberão chuvas onde quer que sejam lançadas, pela vontade de nosso Pai, para que não fiquem em vão os esforços do semeador. Jamais penses que estás só na Terra imensa dos povos. Quando algumas portas se te fecharem, visando te intimidar na Fecundação da nobreza espiritual, não te perturbes com os barulhos, com os insultos, com as prisões, com os castigos, com a falta de cooperação, com a ingratidão dos que foram servidos, com as leis do mundo e com os poderes políticos, porque para todos que me escutam foi reservado outro tipo de glória: a de servir por amor.

Estabeleceu-se o silêncio para que houvesse fertilidade no que foi ouvido. Tiago se engrandecera com a pergunta feita a Jesus, mas procurava, dentro do salão, ser o menor de todos, não somente na estatura, como também na humildade. Estava tirando daqueles conceitos a maior riqueza que poderia ter para seu coração. Era uma semente poderosa que começara a crescer, como prodígio, naquele instante da semeadura.

Jesus deixou Deus tocar nas cordas do Seu verbo e prosseguiu:

- Tiago! Em reino nenhum poderá existir Fecundação sem amor, porque Deus completa o que porventura faltar nas nossas deficiências. O Senhor é o dono da grande vinha, que nos pede que estendamos as sementes do bem por toda parte. E não somente isso, mas que ajudemos os trabalhadores que chegaram primeiro e que se encontram em imenso labor. Mesmo que eles nos estranhem, sejamos compassivos com esses desbravadores das terras inóspitas. Eles merecem a nossa admiração. Não julgues a nenhum deles por usarem antigos métodos de plantio. Às vezes trabalham em terras diferentes das que usas. Não esqueças o arado do exemplo, antes de virem com as sementes do verbo.

Aplica a paciência como o tempo, a esperança como a chuva, pois, se não tiveres bastante vigilância, podem surgir as pragas das exigências e perderes toda a lavoura.

Depois de cumprires todos os teus deveres, entrega a plantação para o Senhor, que Ele saberá o que fazer. A propagação da verdade não depende somente dos homens, mas muito mais de Deus. Porém, Ele sabe usar os homens para transmitir as Suas leis aos mesmos homens, na Fecundação do bem maior.

Todos se levantaram ao término da conversa e foram saindo, dois a dois, conversando animadamente acerca da propagação do Evangelho em toda a Terra, como semente divina.


Publicado por Sióstio de Lapa em 24/08/2019 às 00h25
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Voce deve sitar a autoria de Sióstio de Lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr