Textos

A MORTE
A vetusta senhora, tão fecunda
Encarregada da passagem lacrimosa
Traz o temor de noite pavorosa
Enquanto o corpo, inerte, à terra afunda

Este era o medo maior da minha infância
Que penetrava nos meus sonhos de criança
Espantava tudo, até a esperança
E eu vivia assim na ignorância

Hoje tenho da morte outro conceito
Que já não traz tanta angústia ao meu peito
E sim, respeito, também curiosidade

Sei que existe para além a outra vida
Que é a pátria de minhalma tão querida
A verdade sem viés, com Deus a liberdade
Sióstio de Lapa
Enviado por Sióstio de Lapa em 05/01/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (voce deve citar a autoria de Siostio de lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr