Textos

ORAÇÃO AGOSTO 2017
Pai, mais uma vez estou aqui aos teus pés... mais humilhado e com mais sentimento de insignificância, de incompetência, de fracasso que antes...
Onde está minha evolução, Pai, que não percebo?
Por que só me vem à mente os erros e as limitações que tanto possuo?
Será que o meu único triunfo é Te reconhecer como meu Pai, e procurar cumprir a Tua vontade, enquanto tantos não sentem ou fazem assim? Mas essas pessoas parecem que vivem mais despreocupadamente, mesmo que envoltas nas misérias que seus atos provocam, pois Te chamam pelo nome como um reflexo de defesa, às vezes até de ataque contra os semelhantes, mas não tem o sentimento de prestação de contas que eu tenho Contigo.
Eu sei com muita clareza da Tua existência, sinto Tua presença ao meu lado me orientando, intuindo, incentivando... mesmo que todos ao meu lado e que eu tenha abertura para falar disso não acreditem, eu sei o que Tu queres de mim e estou disposto a fazê-lo, apesar de saber de minhas sérias deficiências, minhas fraquezas morais, minha preguiça, covardia, indisposição...
O tempo passa, minha consciência se dilata, mas as minhas fraquezas parecem se fortalecer... sei cada vez mais sobre Tu, meu Pai, sei que estás agora ao meu lado me vendo digitar essa oração, dentro do compromisso que tenho Contigo de ser transparente naquilo que passa comigo, para que eu sirva de cobaia para os meus irmãos encarnados e que Tu oportuniza para ler o que sinto e faço. Mas, se a maior parte das vezes, como esta, eu só divulgo o que me passa por dentro como forma de fracasso, o que de bom contribuirá para meus irmãos? Até essa forte compreensão da Tua existência parece negativa, pois me arrasto com humilhação aos Teus pés, confessando toda miséria que vai dentro da minha alma, sem dar boas notícias de um enfrentamento positivo, onde eu sinta que tenha uma evolução satisfatória...
Vem então pela lógica a alternativa: então, por que não desistes de tudo isso e passas a agir como os ignorantes que não sabem que têm um Pai, já que eles vivem melhor, consciencialmente que você? Mas como eu posso agora desconsiderar um Pai que sei que me deu tudo que eu possuo hoje e também o potencial de eu chegar aonde Sua vontade divina determina? Se eu não desconsidero nem o meu pai biológico que apenas jogou a semente para a minha eclosão no mundo material, como vou desconsiderar o Pai essencial que sempre está ao meu lado, me aponta caminhos, que a tudo me permite, e também me tenha dado o livre arbítrio para saber o que muito não me convém?
Não, o caminho de reversão, de ignorar o Pai que eu sei que possuo, é totalmente inadequado, e mesmo que eu tomasse por impulso essa decisão, a minha consciência jamais iria permitir que ela evoluísse, que eu ficasse satisfeito com a vida.
Não, o caminho não é esse! O caminho é perseverar na estrada que Tu, Pai, me oferece e que acredito ser a mais pertinente para mim, para minhas virtudes, sempre tentando dar um passinho à frente apesar do peso das minhas deficiências.  
Hoje, por isso, quero Te pedir uma única coisa, aquela mesma que Salomão Te pediu e foi atendido. Quero ter sabedoria de pelo menos escolher o caminho mais adequado para a minha atual situação, para que eu possa avançar pelo menos um milímetro a cada mês e que não me sinta destroçado pelo peso de tanta incompetência sobre a minha cabeça.
Amém, conforme a Tua vontade!
Sióstio de Lapa
Enviado por Sióstio de Lapa em 01/08/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (voce deve citar a autoria de Siostio de lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr