Textos

MÉDICOS BRASILEIROS
            Vamos procurar o viés dos médicos brasileiros, pois segundo a Dra. Laura Stahlberg que é Mestre em Brasil em Perspectiva Global pelo King’s College London, que desenvolveu o tema da dissertação: International cooperation and health policy: An analysis on the design and implementation of the Mais Médicos Programme in Brazil, os médicos brasileiros não têm interesse no Programa.
            Encontrei um texto circulando no zap de congressistas (Henrique Mandetta, Adriana Sousa, João Henrique Zanconato, Olavo Viana) interessados em abrir uma Comissão Parlamentar de Inquérito (#CPIMaisMédicos) que serve para melhorar nossa visão nesse foco.
Vou contar uma historinha para vocês.
Em 2016, uma amiga médica recém-formada inscreveu-se no Programa Mais Médicos e, apesar da formação extremamente adequada e da NÃO PREFERÊNCIA por região para atuação, teve sua inscrição negada.
Em janeiro de 2017, no lançamento de mais um edital do programa, eu, terminando minha residência médica no INCA, mas incomodada com a história dela, resolvi me inscrever no programa para testar a hipótese de que o programa servia SIM para patrocinar a ditadura cubana, mais do que para levar médicos aos rincões do país.  Detalhe: no meu currículo constava um Doutorado e 720 horas de formação para atuação em saúde pública no internato da faculdade.
Olhem, foi uma trabalheira dos infernos. Vários formulários preenchidos, documentos scaneados e enviados, um dia inteiro perdido com isso... e, detalhe, na inscrição não especificamos NADA sobre preferências de áreas de atuação (a inscrição pode ser considerada até para regiões indígenas no meio do nada).
Pois bem, qual não foi a minha surpresa quando também não fui "aceita no programa", mas centenas de cubanos sim.
Na época deixei quieto, era só uma curiosidade que eu desejava sanar, mas agora levarei isso adiante - tem é que ser feita uma CPI desse programa escabroso. É revoltante ouvir de tantos e da mídia desinformada que "faltarão médicos" e que a população "ficará desassistida" com o fim da cooperação cubana. Isso é uma FALÁCIA!
O programa serviu para mostrar que temos SIM médicos brasileiros interessados em ir para o interior, desde que estimulados e adequadamente pagos para isso. Resta agora o governo desenvolver um programa mais decente, que envolva remuneração salarial e não uma bolsa sem qualquer direito trabalhista, disfarçada de "aprimoramento".
 
Ainda sobre o Programa Mais Médicos, a AMB (Associação Médica Brasileira) já havia denunciado tudo isso que digo em 2017 e declarou: "Precisou que o governo cubano se recusasse a enviar 710 médicos para o Brasil (600 novos e 110 como reposição) para mais vagas serem dirigidas a brasileiros. Mas esta quantidade de vagas ainda é insuficiente, perto da quantidade de médicos brasileiros interessados, pois só no último edital se inscreveram 10.557 médicos brasileiros.
O interesse de médicos brasileiros em entrar para o programa Mais Médicos sempre foi grande, antes das inscrições de janeiro. Em outros editais a quantidade de médicos inscritos foi superior ao último. Grande quantidade de profissionais procurou a Associação Médica Brasileira (AMB), por se sentirem preteridos ou cerceados nos seus direitos, beneficiando médicos de outros países."
Pois bem, agora vou lutar por essa CPI, porque já estou cansada de tanta mentira, de tantas acusações injustas de corporativismo médico e tanta irresponsabilidade envolvendo nós médicos brasileiros.
Paciência tem limite.
Henrique Mandetta Adriana Sousa João Felipe Zanconato Olavo Vianna
#CPIMaisMédicos
Se essas informações são verdadeiras, como acredito que sejam, da mesma forma que acredito que a Dra. Laura Stahlberg escreveu no seu texto informações que ela acreditava serem verdadeiras, então ela deve reconhecer a existência de fortes contradições. Como ela é Mestre em Brasil em Perspectiva Global, seria de muita utilidade que ela aprofundasse seus estudos aqui dentro do Brasil, avaliando tudo que foi feito nos últimos governos, porque houve esta mudança tão “milagrosa” nos rumos do país, e o que está sendo implementado para o futuro, qual a nova direção ideológica dos novos dirigentes.
 
Sióstio de Lapa
Enviado por Sióstio de Lapa em 23/11/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deve citar a autoria de Sióstio de Lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr