Textos

VOLTA, IRMÃO FRANCISCO
Quando Francisco chegou à terra de Assis, Itália, na noite medieval, encontrou o terror espalhado, a ignorância predominante, os corruptos que se locupletavam junto aos poderosos, para esmagar os camponeses e cidadãos pobres.
Havia superstição e medo em toda parte, caminhando a humanidade sob o estigma do pecado e do vício, que eram punidos com impiedade.
Ele chegou e apresentou a Verdade, que nunca mais deixou de iluminar a sociedade. Havia perversidade sem disfarce e a discriminação de todo tipo, havendo o homem se tornado o lobo do homem, assim ficando desprezível.
Na sua simplicidade ele cantou o hino de louvor a todas as criaturas, chamando-as docemente de irmãs.
Permanecia epidêmico o ódio, que espalhava o bafio pestilento das guerras intérminas, deixando os campos juncados de cadáveres que apodreciam a céu aberto.
A sua voz, então, suave e meiga, entoou o canto da paz, e se fez o símbolo da verdadeira fraternidade que um dia se estenderá por toda a Terra.
Hoje vivemos dias parecidos aqui no Brasil... as doenças e acidentes deixam os seres humanos animalizados nos corredores dos hospitais, amputados, utilizados para motivos de corrupção; a fé religiosa ainda mantém a pompa extravagante, amparada nos fortes e ajuda a manter a miséria e deixar mergulhados na ignorância os fracos, com pequenos donativos retirados dos impostos deles mesmo; a violência adubada pela impunidade deixa os cidadãos presos e desarmados dentro de suas próprias casas e os criminosos livres e armados disseminando o terror pelas ruas; as famílias ameaçadas de dissolução pela libertinagem dos costumes, com filhos agredindo pais, alunos ameaçando professores; os corruptos invadem e manipulam as instituições públicas e privadas, construindo falsas narrativas para manter o poder e o controle das multidões...
Volta, Irmão Francisco, para novamente reunir as tuas criaturas, todas elas à tua volta como fizestes naqueles dias na Itália, na pequena cidade de Assis, conduzindo-as à Jesus. Novamente convoca os teus irmãos que sintonizam com teus pensamentos e estão dispostos a seguir teus passos. Nós estamos aqui, no Brasil, país destinado a ser a “Pátria do Evangelho e Coração do Mundo”. Estamos aturdidos, saudosos aguardando a tua voz que conhecemos e não conseguimos esquecer as lições que nos deixastes.
Volta, por favor, Irmão Alegria, a fim de que a tristeza do desamor bata em retirada e uma primavera de bênçãos tome conta de tudo... Canta, então, novamente a tua oração simples, que acompanharemos... “Onde houver desespero que levemos paz e esperança”.
Irmão Sol, a grande virada do nosso planeta para o estágio de Regeneração aguarda o caminhar dos teus passos inspirados pelo Cristo, para que possamos seguir com segurança na trilha, por mais estreita que seja!
Sióstio de Lapa
Enviado por Sióstio de Lapa em 26/11/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deve citar a autoria de Sióstio de Lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr