Textos

TRÓTSKY (10) – FAMÍLIA NUCLEAR OU FAMÍLIA UNIVERSAL
Série Netflix
            A cena se desloca para a troca de roupas de Trótski em uma oficina, sob a supervisão de Alexander.
            - A. Quanto mais perfeita a pessoa parece ser, mais demônios ela tem dentro dela. E as pessoas vendo a beleza... Espere. Elas querem ver o oculto, o maligno... É atraente. Nada mau.
            - T. Podemos acabar perdendo o foco com tudo isso.
            - A. Nada na política é por acaso. Tudo importa. O que diz, como diz, sua aparência. Precisa parecer um todo. Um manifesto. Se lembra da Natália?
            - T. A mulher que odiou meu discurso?
            - A. Não pelo seu discurso em si, mas porquê... como posso explicar? Todos os sociais-democratas são feios. Se vestem mal. Eu sei que é o interior que importa. É o que é mais valioso. Mas ética sem boa aparência só atrai marginalizados. Tenho boas notícias para você. Uma carta de uma tal Srta. Sokolovskaya. Pelo visto você é casado e tem duas filhas. Se arrependeu?
            - T. Eu nunca me arrependo de nada.
            Leitura da carta.
            “Oi, querido Leon. Faz seis meses que estamos no exílio sem você. Fico feliz que tenha chegado à Europa. Sempre soube que conseguiria. Nossas filhas cresceram. Zinaida lembra de você, quer saber quando você volta. Nina, finalmente, está saudável. Não sei mais o que dizer. Fico lembrando do nosso último dia”.
            A cena recua, Trótski está recebendo de forma clandestina seu documento trazido por uma carruagem, em 1902, em Irkutsk, exílio para prisioneiros políticos.
            - T. Como a Nina está?
            - S. Dormindo. Quando?
            - T. Hoje. Enquanto dá para passar pela taiga. Não está lamacento ainda.
            - S. Não é para sempre, é? Você está indo embora, mas... voltaremos a ficar juntos?
            - T. Sim. Sim, claro!
            A cena se volta para um prisioneiro que conduz um trenó, escorrega, cai e é brutalmente espancado. Volta diversas cenas de violências que habitam na mente de Trótski.
            Trótski está se preparando visualmente para começar a luta dentro da realidade que ele vive, para libertar o ser humano do jugo da escravidão, quer tirar o seu irmão do sofrimento, do trabalho forçado. Considera os seres humanos como irmãos, dignos da luta para libertá-los, dentro de uma perspectiva universal, que começará pela Rússia. Para isso acontecer, sua família nuclear deve ficar para trás, ele não pode ficar junto dela e cumprir uma missão que domina sua mente e emoções. Não está arrependido de ter construído essa família nuclear, pois ela também se beneficiará das consequências libertárias de suas ações. Jesus Cristo evitou criar uma família nuclear para ele, além da que ele estava inserido desde criança, para que sua missão não ficasse comprometida com essa responsabilidade. Mas Trótski sabe que irá pagar o preço desse distanciamento da família nuclear, para colaborar na construção da família universal, mesmo que isso implique na destruição de algumas famílias nucleares que ele encontrará em oposição de sua missão.
            Parece que Trótski está muito distante dos interesses das corporações, com todo o seu idealismo, mas quando ele aceitou ser produzido pelo jornalista e que irá coloca-lo dentro da mídia, com a sua mensagem mais forte em favor da revolução, ele está cedendo aos interesses corporativos, capitalistas, que naquele momento sintonizam um com o outro. A questão é saber quando os interesses de ambos não mais sintonizarem, quem irá prevalecer. E se nessa disputa não houver os princípios cristãos em evidência, certamente a balança influenciará os interesses egoístas da natureza humana.
Sióstio de Lapa
Enviado por Sióstio de Lapa em 17/01/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deve citar a autoria de Sióstio de Lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr