Textos

CÍRCULO DO MAL DE HITLER (09) – ESCALADA AO PODER
Interessante procurar saber como o mal pode se desenvolver e ameaçar todos os países do mundo. O que se passou na Alemanha Nazista sob o comando de Hitler e seus asseclas, abordado pela Netflix em uma série sob o título “Hitler’s circle of evil” serve como um bom campo para nossas reflexões.
IX
Em julho de 1921, o Partido Nazista entra em crise. Eckart descobre que o líder oficial do partido, Anton Drexler, está tentando se unir a outros grupos políticos. Hitler fica furioso. Por que o manifesto deles deveria ser poluído por outros partidos? Ele renuncia imediatamente.
Mas, secretamente, Hitler não tem intenção de dar as costas aos nazistas. Foi um movimento bem esperto de Hitler. Ele renunciou para assumir o poder. Como? Porque ele diz: “Vocês podem me apoiar, ou agir sem mim.” Ele sabe bem, como um bom negociador, que tem a carta na manga. Ele sabe que eles vão apoiá-lo.
É através de Dietrich Eckart que Hitler exige se tornar o presidente, com poderes ditatoriais. Eckart apresenta o ultimato de Hitler ao partido e convoca uma votação. Com uma maioria esmagadora, 543 a 1, eles retiram Drexler e tornam Hitler o líder oficial.
Eckart entrega a Hitler o controle total do Partido Nazista. Mas logo se arrependerá disso. Os nazistas ainda são uma pequena organização marginal. Para realizarem o plano de tomar o poder à força, precisam de mais do que palavras. Precisam de um exército.
Na época, a política na Alemanha era uma atividade extremamente violenta. Ernst Rohm começa a formar a milícia paramilitar do partido, a chamada “Sports Section”.
No outono de 1921, já tem 300 homens e um novo nome: Destacamento Tempestade. Ou Sturmabteilung. A SA expulsa importunos de reuniões e intimida adversários políticos, mas não é disciplinada. Eles precisam de um líder, e como oficial do Exército, Rohm não o pode ser. Por sorte, o homem perfeito para o trabalho volta para Munique. O renomado herói de guerra Hermann Goring está de volta, e o ambicioso ex-piloto se identifica com a causa que pode lhe dar o poder e a influência que almeja.
Goring vê que ele deveria participar daquilo. É um movimento pequeno e ele poderia ser importante nele. Ele não concorda com todas as políticas extremistas de Hitler, mas decide ignorar as objeções morais em troca de seu poder pessoal e reconhecimento. Ele viu no nazismo uma forma de ter avanço pessoal. Tinha interesse próprio, queria que a Alemanha fosse do jeito dele.
Um dia após ver Hitler discursar, os dois se encontram. E Goring percebe seu valor para Hitler e o Partido Nazista. Ele é uma celebridade, conhecido, venerado pelas pessoas. É bom tê-lo na equipe. Junto com os outros membros do crescente círculo íntimo, eles tirarão o Partido Nazista das sombras.
Goring é o terceiro homem que vem se juntar ao grupo. Também considera Hitler com menosprezo, queria apenas aproveitar a situação e não ficar ocioso. Mesmo tendo a consciência do exagero de Hitler quanto os judeus, Goring não dá importância. Mostra que sua consciência, mesmo não sendo tão malévola quanto a de Hitler, não se incomoda de ficar dentro desse contexto. Esta é uma situação que considero comum, muita gente se alia a determinada personalidade mesmo sabendo que o que pensa e faz está errado, mas por algum interesse pessoal fica perto até o fim.
Isso também aconteceu no Brasil com a astúcia de Lula, envolvendo muitas pessoas com suas mentiras, inclusive eu. Acontece que, quando descobri que ele estava mentindo descaradamente no caso do mensalão, de imediato retirei o meu apoio que dava a ele e fiquei a distância, criticando o mal feito até hoje.
No entanto, muitas pessoas, com alto grau de conhecimento, de responsabilidades, tanto acadêmicas quanto eclesiásticas, jurídicas ou parlamentares, continuavam como até hoje dentro dessa influência maligna, mesmo com todos os fatos sendo devidamente registrados e punidos pela justiça.
Que tipo de hipnose é essa que a pessoa não ver o erro que está sendo cometido, mesmo não sendo cumplice dos crimes? Pois quem está se locupletando de alguma forma com as iniquidades, já têm suas justificativas.
 
Sióstio de Lapa
Enviado por Sióstio de Lapa em 05/03/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deve citar a autoria de Sióstio de Lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr