Textos

SOLIDÃO
Eu sou um cálice de carne viva
Cheio de mágoas, de padecer
E dos sorrisos, minha alma priva
E com as lembranças fico a sofrer

A brisa passa por meus cabelos
Como carícias pra minha dor
Arrependido, caio em joelhos
Do que ontem fui e do que hoje sou

A chuva chega e me traz tristeza
O vento passa e deixa a saudade
Do tempo ido, de felicidade

Antes eu vivia com tua beleza
Fui encantado pela paixão
E hoje, triste, vegeto na solidão
Sióstio de Lapa
Enviado por Sióstio de Lapa em 17/06/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Voce deve sitar a autoria de Sióstio de Lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr