Meu Diário
20/03/2019 01h01
TOLERÂNCIA (01)

            Tudo que acontece no mundo fica registrado em algum aspecto da natureza. Se alguma pessoa inteligente, munida de um bom aparelho captador de imagens, distante 2000 anos da Terra, direcionando suas lentes em nossa direção, iria perceber um homem caminhando nas estradas da Galileia, acompanhado geralmente por 12 discípulos, chamado de Jesus de Nazaré.

            Isso tudo dentro de uma perspectiva material, sem colocar aspectos transcendentais, espirituais, que são muito mais abrangentes que nossos recursos físicos.

            Há vários autores espirituais que trazem informações da época de jesus, que o conheceram pessoalmente, como Ramatis, que tem um livro muito interessante, “O Divino Peregrino”, colocando com detalhes a vinda do Mestre à Terra.

            Irei. A partir deste artigo, trabalhar as informações trazidas pelo espírito Shaolin através do médium João Nunes, das reuniões instrutivas que Jesus fazia com os discípulos na cidade de Betsaída, quando voltava de suas caminhadas, ensinando e curando, por vilas, cidades e sinagogas.

            No primeiro encontro, registrado por Shaolin, uma pergunta foi feita por Filipe, aquele que já tinha recebido uma resposta meio dura do Mestre e que foi registrada por João, 14, da seguinte forma: ...“Se vós, de fato, tivésseis me conhecido, teríeis conhecido também a meu Pai; e desde agora vós o conheceis e o vistes.” Solicitou-lhe Filipe: “Senhor, mostra-nos o Pai, e isso é suficiente para nós.” Então Jesus ministrou-lhes: “Há tanto tempo estou convosco, e tu não tens me conhecido, Filipe? Aquele que vê a mim, vê o Pai, como podes dizer ‘mostra-nos o Pai?’”... Foi mais uma bronca do Mestre, pois Ele acabara de falar sobre isso, que alguém estando a ver Ele, estava vendo o Pai.

            Desta vez, Filipe foi mais cuidadoso com a pergunta: “Mestre, era nossa intenção saber com mais propriedade espiritual, o que significa Tolerância, pois as vezes me confundo por desconhecer seus limites.”

            O Mestre explicou com paciência.

            - É um estado de alma que todos nós deveremos conquistar.

            - Ela por si só tem múltiplos valores, mas denuncia algum perigo. É como uma massa forte no alimento da vida, que pode exagerar a fermentação.

            - Não podemos viver sem a força da Tolerância que nos faz acalmar alguns impulsos inferiores.

            - Junto a ela devemos colocar a razão em evidência para que não passe dos limites.

            - A impaciência pode ser fatal, da mesma forma que o veneno disciplinado pode ser fonte de vida.

            - Sem controle, a Tolerância forma uma interrupção na mente que desconhece a disciplina, fazendo esquecer a justiça. Ela não pode passar das fronteiras delimitadas pelo bom senso.

            - Quando toleramos um desequilíbrio, aprovamos a desarmonia. Passamos a alimentar uma força contrária que elimina a paz.

            - Tolerar sem conhecimento de causa é estimular efeitos que podem ser perniciosos, favorecendo a conivência.

            - Desaprovar um ato alheio, ou mesmo nosso, não implica em usar a violência, tampouco o escândalo.

            - Pelas tuas próprias feições, ao conversar com alguém, é fácil de notar, no silêncio do coração, que não apoias tais ou quais atitudes.

            - Tolerância é palavra mais ou menos solta, que carece do empenho do coração e da inteligência enriquecidas na experiência do tempo e nas bênçãos do Pai Celestial.

            - Não esqueçais nunca da condescendência (que cede a vontade ou opinião alheia), mas se esquecer da educação, que cede na hora que a caridade deseja e que nega no momento em que o abuso quer dominar a humildade.

            - No instante em que duvidas até que ponto pode ir a Tolerância, procurai os recursos da oração com respeito e fé, que a inspiração divina vos dará a resposta, como o instinto de comer e de beber.

            - Aqueles que se esforçam em direção à Luz, tem a assistência dos Anjos.

            - Se queres viver em paz com os outros e com a própria consciência, procura disciplina a vossa Tolerância para convosco e para com vossos semelhantes, desde que faças tudo isso com e por amor.

            Depois de explicações tão pertinentes e profundas, quase ninguém no círculo da reunião, ouviu as murmurações de Filipe:

            “Meu Deus! Como é trabalhoso ser bom! Como é problemático ajudar aos outros dentro dos princípios da justiça e do amor! Talvez a Tolerância dentro dessas normas, não agrade a ninguém!


Publicado por Sióstio de Lapa em 20/03/2019 às 01h01
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Voce deve sitar a autoria de Sióstio de Lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
19/03/2019 01h01
O CORAÇÃO DE JOÃO MARIA

            Ele nascera de uma mãe solteira, sem família, em área de forte promiscuidade, iniquidades. Mas ele tinha um coração bondoso. Aquela tese de que o homem é fruto do meio, parecia ser destroçada ao se observar a trajetória de João Maria.

            Conseguiu estudar em escola pública, apesar de ajudar a mãe em tarefas domésticas e trabalhar fora de casa para contribuir com a subsistência. Ao entrar na adolescência, introvertido, sem amigos, construía seu mundo com a leitura de gibis, histórias em quadrinhos, ficava encantado com a luta do bem contra o mal, se sentindo gratificado e empolgado com as histórias de contos de fadas, onde o bem sempre vencia e os mocinhos viviam felizes para sempre.

            Não conseguia namorar, sua introspecção potencializada com a timidez lhe deixava afastado daquelas por quem mais seu coração palpitava. Mas era esse coração tão prejudicado por não receber os prazeres da vida, que termina sendo o protagonista desta história. Pois era ele que fazia João Maria se envolver em situações enrascadas que levavam perigo à sua vida.

            Certa vez acontecia um incêndio na favela em que morava, a casa estava se consumindo pelo fogo e os bombeiros ainda demoravam a chegar. Ele ouviu um choramingar dentro das labaredas, e sem titubear mergulhou no meio delas trazendo uma criança a salvo, protegendo-a com o próprio corpo. Essa façanha não lhe deixou incólume, ganhou uma cicatriz no rosto que mais deformou a pouca beleza que ele possuía.  

            Outra situação, tinha ido ao passei da escola numa praia ornamentada de pedras. Um dos colegas chegou bem próximo das fortes ondas e fora derrubado com o risco de ser tragado para a profundeza do mar. João Maria mais uma vez, percebeu o perigo e correu sobre as pedras, sem avaliar o casco das ostras que lhe cortavam os pés, segurou o colega, protegendo o corpo dele com o seu, deixando-o a salvo, mas saindo com o corpo tricoteado com os diversos cortes. Mais uma vez as cicatrizes que ficaram deformaram ainda ais o seu corpo.

            Assim era sua vida, a cada ano que passava, mais ossos quebrados, cicatrizes, amputações deformavam seu corpo e lhe davam uma aparência monstruosa. Poderia causar asco em quem lhe via pela primeira vez, que não acompanhou a sua trajetória. Mas, mesmo assim, tendo oportunidade de chegar perto e conversar com ele, podia sentir em seu olhar uma vibração muito diferente de um monstro e muito mais próximo de um anjo. Do seu coração que ninguém podia ver, mas sentir, se expandia uma aura luminosa que aliviava quaisquer pensamentos sombrios de quem se aproximava. Aquele corpo tão deformado, mostrava simplesmente os caminhos de bondade apontados pelo coração.

            Alguém já escreveu sobre um caso parecido, mas de forma inversa. Dorian Gray, um jovem vaidoso e orgulhoso, fizera um pacto com o demônio, para que sempre fosse jovem e bonito, e que as ações do tempo e suas maldades, fossem retratados num retrato que ele sempre mantinha escondido. Esse retrato mostrava a aparência monstruosa de Dorian Gray, enquanto ele gozava de sua beleza; com João Maria acontecia o inverso: a consequência de sua bondade se expressava no corpo e o deixava com aparência monstruosa, mas por dentro, longe dos olhares curiosos, se encontrava um coração de beleza radiante, tão próximo de Deus quanto os anjos.

            Por esse motivo, o cuidado popular tem sua justificativa: “as aparências enganam”. O que é visto como um anjo pode ser um demônio, e vice-versa.

 


Publicado por Sióstio de Lapa em 19/03/2019 às 01h01
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Voce deve sitar a autoria de Sióstio de Lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
18/03/2019 01h01
EXPERIMENTO ESPIRITUAL

            Inspirado na leitura do livro “A Grande Aliança – Ciência e Espiritualidade caminhando juntas”, do Prof., PhD Gary E. Schwartz, desenvolvi o texto abaixo para justificar um piloto de pesquisa que pode ser melhor aplicado em outros semestres letivos.

            A descoberta do Novo Mundo, as Américas, foi um fato surpreendente para os povos civilizados daquela época. No entanto, existem outros mundos a serem descobertos, uns bem distantes, localizados nas profundezas do Cosmo, outros mais perto como as profundezas dos mares, e outros ainda mais perto, como o mundo espiritual.

            Como dizia John Dewey, todos os grandes avanços da ciência resultaram da audácia da imaginação. Assim aconteceu com os primeiros navegadores, os primeiros astronautas, os primeiros internautas da net, e, talvez, devamos imaginar agora os primeiros intranautas, aqueles mais capacitados para saírem do arcabouço de carne e entrarem no mundo espiritual e proporcionarem intercâmbio mais pragmático de lá com o mundo material. Já existe protótipos de tal laboratórios, que ejetam o homem no mundo espiritual, como a Conscienciologia e a Apometria, formas de projeção astral.

            Hoje, a maioria das pessoas ainda consideram a conexão direta com os espíritos como um mito ou superstição, ou como expressão de experiências mal orientadas de adeptos excêntricos da Nova Era.

            Uma das maiores crises de saúde pública que a humanidade enfrenta atualmente, especialmente no Ocidente, é o sobrepeso e a obesidade. Isso acontece devido a fácil obtenção de alimentos e bebidas saborosos, mas muito calóricos e com alto teor de gorduras; a facilidade maciça de restaurantes self-services; a falta de exercícios associada à frequência na frente da televisão, com a internet, tabletes, celulares e jogos realistas; estresse, depressão e ansiedade por vivermos em constante incerteza econômica ou ambiental.

            E se todas essas causas têm a ver com nossa separação dos espíritos, por nossa descrença no mundo espiritual? E se os espíritos estiverem de fato em torno de nós, prontos para nos incutir energia, esperança e orientações se estivermos preparados para cooperar com eles? E se a energia espiritual for como o ar e a água, facilmente disponível para nós se quisermos procura-la?

            Como prelúdio de uma investigação sobre como a ciência está descobrindo que os espíritos não só existem, mas também podem colaborar conosco em nosso cotidiano, vamos atuar numa situação verdadeira na qual eles possam desempenhar um papel. Vamos usar nossa imaginação com os dados da realidade. Estamos cercados de ar, mas se quisermos otimizar seus efeitos revigorantes devemos respirar com mais profundidade ou usar um aparelho de oxigênio. O mesmo acontece com a água. Isso pode ser aplicado aos espíritos ou energia espiritual ao nosso redor, e podemos usar seus poderes revigorantes? Os espíritos podem ser como o ar e a água que consumimos? Geralmente consumimos esses elementos de forma inconsciente e natural. Porém, se assim decidirmos, poderemos aprender a consumi-los de forma mais eficiente e benéfica à nossa saúde e vitalidade.

            Nosso experimento individual constará em pedir ajuda através da prece aos pretensos ajudantes espirituais (santos, anjos, parentes e amigos falecidos) para resolver um problema real que tenhamos, seja de natureza biológica, emocional, social, enfim, o que causa preocupação ou dor em nossa vida, e que apesar dos esforços, até agora não conseguimos resolver. Fazer isso diariamente, ao deitar e ao despertar. Ao final do semestre, apresentar o resultado em torno de percentagem, para melhor, pior ou indiferente. Caso não tenha feito o experimento, por qualquer motivo, simplesmente dizer que não participou, sem necessidade de justificar.


Publicado por Sióstio de Lapa em 18/03/2019 às 01h01
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Voce deve sitar a autoria de Sióstio de Lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
17/03/2019 01h01
TRANSIÇÃO PLANETÁRIA

            Sabemos, a partir do mundo espiritual, que a Terra irá passar brevemente por uma transformação evolutiva, de mundo de provas e expiações, para mundo de regeneração. Neste sentido diversas publicações abordam a questão e irei colocar aqui neste espaço um texto que encontrei no site da Cruzada dos Militares Espiritas que serve bem para nossa reflexão nos dias de tanta confusão provocada pelas hostes da corrupção.

Em 30 de julho de 2006 o médium Divaldo Franco recebeu de sua querida mentora Joanna de Angelis a mensagem que tem o título acima, na qual aquela benfeitora informava que já se iniciara a grande transição, anunciada pelas escrituras e confirmada pelo Espiritismo. Atingíramos o momento em que a Terra deveria ascender na escala evolutiva deixando de ser um planeta de expiação e provas para tornar-se um mundo de regeneração. A intensificação de ocorrências climáticas e abalos sísmicos destruidores, em escala nunca antes observada, ao lado de crimes hediondos e aberrações morais que se alastravam, mostravam claramente estarmos vivendo o referido período, acentuando a autora o absoluto controle da sabedoria divina na condução dos acontecimentos e a importância da fidelidade ao bem como forma apropriada de serem atravessados esses dias tormentosos de sofrimento e desorientação.

Alguns anos mais tarde, em 2010, o conhecido orientador espiritual Manoel Philomeno de Miranda escreve, também por Divaldo Franco, um livro com o título “Transição Planetária”, no qual amplia aquelas informações, mostrando, sobretudo, as ações em curso na espiritualidade para que esse período difícil pudesse ser atravessado com menos amargura e mais esperança. Assim, com clareza e objetividade, o autor apresenta um panorama do que vem ocorrendo em nosso planeta. A obra aborda, basicamente, três assuntos, a saber: O grande tsunami de 2004, que atingiu vasta extensão das costas do Oceano Índico; a vinda para a Terra de alguns milhões de espíritos que integram a humanidade de um dos planetas da constelação das Plêiades, em estágio evolutivo superior ao nosso de vez que lá já foram  superados o egoísmo e o desconhecimento da realidade espiritual, convivendo a humanidade como uma grande família e, por fim, o atendimento a individualidades profundamente vinculadas ao mal e que, há séculos, lideram falanges de obsessores que procuram instalar a infelicidade e o ódio entre os homens.

Acerca do primeiro tema são detalhadas as cuidadosas providências antecipadamente adotadas pela espiritualidade para socorro às vítimas do tsunami, durante o qual pereceram cerca de 200.000 pessoas, ações estas que incluíram a instalação de uma base de operações localizada acima da ilha de Sumatra e a convocação de expressivo número de experientes trabalhadores espirituais para socorro aos desencarnados naquela oportunidade.

É descrita a seguir (2º tema) a chegada à Terra, de milhões de entidades daquele orbe longínquo que aqui passarão a reencarnar nas mais variadas posições como irmãos mais experientes portadores de credenciais que os habilitam a contribuir positivamente para o nosso progresso.

Por fim – 3º assunto – o livro apresenta o trabalho de socorro a antigas vítimas de atrocidades praticadas por cristãos fanáticos, as quais, após deixarem o corpo em meio a terríveis sofrimentos, voltaram-se contra os antigos algozes e dominados por terrível revolta chefiam há séculos, numeroso contingente de criminosos desencarnados cuja ação objetiva a destruição das estruturas do bem na Terra e se volta, nesta hora, predominantemente contra as organizações espíritas que representam a mensagem cristã em sua feição original.

O trabalho de resgate de um desses líderes tem início, mas não se completa nesta obra, esclarecendo o autor que ele teria continuidade que é mostrada até o efetivo desligamento daquele irmão profundamente infeliz das hostes do mal, na obra “Amanhecer de uma Nova Era” também lançada pelo autor em 2012 pela psicografia de Divaldo.

“Transição Planetária” de certa forma nos traz acréscimo de responsabilidade pois a par da conceituação absolutamente clara de que já dispomos oferecida pela Doutrina Espírita, quanto ao nosso posicionamento nas diferentes situações da vida, nos esclarece com segurança quanto ao grave momento que estamos  atravessando, devidamente informados acerca da ocorrência e dispondo de recursos hábeis para colaborarmos – ainda que de forma extremamente singela – com os agentes do Bem na realização de tarefa tão grandiosa.

            Estamos sendo bem instruídos dos acontecimentos e de como nos comportar para compor as forças do bem que passarão a assumir os destinos do planeta a partir de sua transição. Com certeza, o Mestre e demais comandantes dessa Batalha Espiritual estarão sempre ao nosso lado, esperando que tenhamos a força e sabedoria necessária para a caminhada em direção à Luz.


Publicado por Sióstio de Lapa em 17/03/2019 às 01h01
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Voce deve sitar a autoria de Sióstio de Lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
16/03/2019 01h01
ESTUDO ESPIRITUAL

            Ao procurar ver como retomar o estudo espiritual na Cruzada dos Militares Espíritas, neste ano de 2019, após o recesso do carnaval e do término do livro de Joana de Angelis, fiquei a pensar como seria. Como sei da participação do mundo espiritual em nossas vidas, principalmente da sintonia que fazemos de acordo com nossas intenções e vibrações, fiquei a espera da intuição de qual livro adotar, de acordo com os meus amigos e família espiritual.

            Foi neste momento que recebi pela primeira vez um e-mail sobre as ações da Cruzada dos Militares Espíritas que acontece em todo o país. Irei colocar aqui na íntegra para que meus leitores também tenham conhecimento do alcance desse movimento, que, confesso, eu não tinha ainda essa dimensão ampla.

Msg Circ "U" Nr 96/10(b)

NÚCLEO DE NATAL DA CRUZADA DOS MILITARES ESPÍRITAS - NN/CME

DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA E PROMOÇÃO SOCIAL

CARAVANA EXPEDICIONÁRIA DE MILITARES ESPÍRITAS - CEME (*)

"... prossigamos nas tarefas em que fomos engajados, com vistas ao bem de todos..."

(www.cme.org.br)

"Fora da caridade não há salvação"

Atividades de natureza filantrópica unilateral de postura horizontalizada, sem regras rígidas e/ou hierarquias desnecessárias, dando preferência a realização de ações em função de COMBINADOS, na distribuição de alimentos (macarronada, sucos, água, café puro, café com leite, bolos), roupas, cobertores etc... aos nossos irmãos que, eventualmente, constituem a população em vulnerabilidade socioeconômica e, em situação de rua no bairro do Alecrim, em caráter emergencial, de perspectiva complementar,  jamais substituta das ações e atribuições das políticas públicas de Estado.

- Local de reunião inicial: sede da Cruzada dos Militares Espíritas (CME):...

... rua Joaquim Fagundes, 628, Praça Augusto Leite, Tirol, Natal/RN, 59.020-380.

- Data/Hora: 05/03/2019 (terça-feira), às 19h00;

- 18h50: chegada ao local (CME);

A - PRIMEIRA PARTE DAS ATIVIDADES:

-- 19h00: Leitura de uma mensagem preparatória;

- 19h05: Prece inicial;

- 19h10: Leitura e breve comentário de uma passagem de "O Evangelho Segundo o Espiritismo";

- 19h40: Prece de encerramento da primeira parte.

B - SEGUNDA PARTE DAS ATIVIDADES:

- 19h45: Deslocamento em caravana (comboio) para o local de distribuição de alimentos (bairro do Alecrim);

- 20h00: Início das atividades com uma breve abordagem (3 a 5min no máximo) de um tema do evangelho aos adultos, seguido de uma prece (Pai Nosso...);

- Haverá evangelização infanto-juvenil.

C - ENCERRAMENTO DAS ATIVIDADES:

- 21h00: Prece final (encerramento dos trabalhos), e momento de confraternização dos caravaneiros expedicionários, seguido da liberação dos obreiros.

Trabalho, Solidariedade e Tolerância!

Nosso fraternal abraço!

Solano (JSB)

(Cz Nr 7130 / CME)

P.S.:... (*) minoria co-criativa que visa a elevação gradativa da consciência nos passos da vida terrestre.

- Essa atividade ocorre, ordinariamente, todas as terças-feiras, de forma contínua durante o ano todo, sem qualquer recesso.

            Percebi, com o recebimento desse e-mail, que os amigos espirituais queriam chamar minha atenção para o local onde desenvolvemos a tarefa de estudos toda sexta-feira. Fui em busca do endereço da net (www.cme.org.br) que foi apresentado e coloco abaixo o que é a Cruzada.

A Cruzada dos Militares Espíritas (CME) é uma sociedade civil, legalmente constituída, fundada em 10 de dezembro de 1944, que objetiva especificamente atuar nas Forças Armadas e nas Forças Auxiliares, procurando congregar, sob sua bandeira, os militares que professam o Espiritismo, conforme definido na Codificação Kardequiana, e que vivem dispersos por todo país. Possuindo personalidade jurídica própria, tem seus estatutos devidamente registrados, os quais afirmam haver ela nascido “da vontade de um grupo de militares de afirmar, publicamente, a sua crença, no viver sem dispersão, em comunhão evangélica”.

A CME é filiada à Federação Espírita Brasileira, tendo assento no Conselho Federativo Nacional dessa entidade desde 6 de novembro de 1987, na qualidade de Entidade Especializada de âmbito Nacional, e se faz presente em todo o território brasileiro, nas três Forças Armadas e nas Polícias Militares, operacionalizando sua atuação através de seus Representantes, Núcleos e Delegados. Os Representantes atuam em determinada Unidade da Federação ou área geográfica específica, representando a instituição junto às autoridades civis e militares, órgãos federativos do movimento espírita organizado, sociedades espíritas, ou onde a presença da CME se fizer necessária. Cabe ainda a estes, amparar, orientar ou ativar Núcleos e GED em suas áreas de atuação. Os Núcleos funcionam como entidades (casas) espíritas em Guarnições ou Organizações Militares que ofereçam condições materiais e de pessoal para viabilizá-los. Os Delegados são os representantes da CME nas diferentes Organizações Militares (OM), elos de ligação entre a entidade e a comunidade espírita de suas OM. São designados por seus Comandantes, Chefes ou Diretores, a pedido da Cruzada, ou têm seus nomes levados pela Cruzada àquelas autoridades, para devida consideração e acolhimento.

Os Delegados são orientados pela Cruzada no sentido de criarem e coordenarem os Grupos de Estudos Doutrinários (GED), com a devida autorização de seus Comandantes, Chefes ou Diretores. Os GED se reúnem em horários fora do expediente ou em horários estabelecidos para os cultos religiosos pela 2ª Seção das OM, para a oração e o estudo da Doutrina Espírita em seu tríplice aspecto: filosófico, científico e religioso. Os membros da CME, designados Cruzados, compõem o seu quadro social. Admite-se para tal, militares da ativa, da reserva ou reformados, sem distinção de posto ou graduação, e civis que participem dos trabalhos dos Núcleos ou GED. O interessado deve preencher uma proposta de sócio e encaminhá-la à CME (Sede no Rio de Janeiro), não havendo nenhum tipo de contribuição obrigatória por parte do associado. Conforme consta do preâmbulo de seu estatuto. “é a CRUZADA DOS MILITARES ESPÍRITAS, obra de fraternidade. Não divide os homens; nem semeia ódios ou controvérsias pessoais. Não há imposição, nem dogmas. Pregar-se-á para quem quiser ouvir e apontar-se-á para os que têm olhos para ver. A expressão moral-espiritual da CRUZADA reside na liberdade de crer e no respeito a todas as demais crenças ou religiões. Não disputamos honras nem grandezas humanas, mas acreditamos no amor de DEUS e propagaremos as verdades evangélicas. ”

            DISTINTIVO DOS CRUZADOS

O Distintivo dos Cruzados, constituído de um sabre luminoso envolto por um triângulo azul, é resultado de comunicação mediúnica. A entidade espiritual, que assina por iniciais F. T. esclareceu o seu significado por intermédio de uma mensagem.

“O sabre, como sabeis, é instrumento usado nos Exércitos, mais como arma individual do que coletiva. Entretanto, vós que fostes considerados soldados de JESUS, como Cruzados, não para guerreardes e vos transformardes em assassinos ou homicidas, recebestes esse sabre não como arma de agressão, mas simbolicamente como meio protetor de novos soldados do Cristo de Deus.

O sabre luminoso com ponta romba indica que ele não se destina absolutamente a provocar a desintegração orgânica dos vossos irmãos terrenos que não creem. Não! Esse sabre que simboliza o Cruzado na sua missão evangélica, deverá estar sempre representado em vossa mente, vós que sois os soldados do Mestre tão amado!

O sabre luminoso que está contido nos limites de um triângulo de cor azul, tem grande valor, dada sua interpretação esotérica.

TRIÂNGULO! Olhai os seus três lados e vereis que nenhum difere um do outro. São todos iguais em cumprimento e ligam-se pelos extremos, formando os três ângulos. Jamais ele se desmanchará, ficando formado para sempre, resguardando o Sabre e a Luz que de sua ponta irradia.

Compenetrai-vos do valor esotérico do Triângulo. O seu valor não é somente na matemática dos homens, isto é, no estudo prático da triangulação que mostra quanto vale para o homem e, esotericamente, não desconheceis que o Triângulo é eterno, o que garante a luz que a todos iluminará na senda estreita que já penetrastes como Cruzados em busca de JESUS, o Divino Mestre.

Recebei, assim, vindo do Alto, esse Triângulo, que com o sabre luminoso completa um conjunto indestrutível”.

Compreendi, dessa forma, que estou engajado na Batalha Espiritual que se processa na Terra, em todos os tempos, sob o comando do Cordeiro de Deus, Jesus, representando a misericórdia divina, mas recebendo conselhos do Arcanjo Miguel, representando a justiça divina. Na minha condição de soldado, dentro de uma Casa Espirita associada à Cruzada dos Militares Espíritas do Brasil, vejo que devo assumir a personalidade de um Cruzado, mesmo com as características de minha personalidade, como assim deve ser com todos.

Com essa intuição na mente, procurei uma livraria espírita para adquirir o livro que melhor se ajustasse a essa proposta, de um Cruzado do Cristo. Encontrei quase de imediato o livro “Ave Luz” de João Nunes Maia pelo espírito Shaolin.

O título do livro se reporta a saudação dirigida pelos gladiadores ao imperador, antes de entrarem em luta, que significa “Salve César” os que vão morrer te saúdam (Ave Caesar, morituri te salutant).

Fazendo a transposição literária, poderíamos interpretar uma saudação a Jesus, portador da Luz, nós, Cruzados, que iremos entrar em luta na batalha espiritual e cujos corpos estão destinados à morte.

O conteúdo do livro aborda os encontros que Jesus tinha ao anoitecer com seus 12 discípulos, esclarecendo questões da intimidade de forma mais aprofundada. O pequeno exército do Mestre estava sendo treinado com os valores morais do espírito para enfrentar as forças do egoísmo aquarteladas na carne.

Este será nosso estudo neste ano, replicar as lições do Mestre para ajudar na nossa reforma íntima, nos tornando mais capacitados, como Cruzados, de entrar na Batalha Espiritual compondo as forças da Luz.


Publicado por Sióstio de Lapa em 16/03/2019 às 01h01
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Voce deve sitar a autoria de Sióstio de Lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.



Página 1 de 527 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [próxima»]


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr