Meu Diário
04/12/2017 23h59
POTÊNCIA DE AMAR E DE TRANSAR

            Quem tem olhos para observar o rio da vida que flui pela própria Natureza, o Corpo de Deus, irá ficar encantado com o que acontece com o seu próprio corpo. Eu, estando com 65 anos, tenho oportunidade de falar assim com tanto entusiasmo, vendo o que acontece com o meu próprio corpo e os relacionamentos que ele permite.

            Um ponto importante que foi gerado no corpo e nele se mantém praticamente durante toda a vida, é a sexualidade. Freud já havia descoberto, apesar da críticas preconceituosas que sofreu na época, que desde a infância temos uma sexualidade corporal, mesmo que nós, crianças, não tivéssemos esse entendimento e buscássemos nos comportar simplesmente pela curiosidade e desejos.

            Quando chega a puberdade nossos corpos são inundados pelos hormônios, os desejos se tornam mais fortes, o cérebro já está habilitado para estudar e participar do fenômeno com mais consciência crítica.

            Quando vem a senectude, os hormônios escasseiam e a potência para a realização do sexo vai se perdendo. No entanto, o cérebro mantem sua capacidade crítica cada vez mais elaborada, desde que não tenha sido acometido por qualquer espécie de demência. O idoso percebe que sua potência masculina, erétil, vai se perdendo. É um fenômeno irreversível que irá acontecer inevitavelmente, apesar de podermos fazer alguma compensação com substituição de hormônios ou comprimidos que facilitam a ereção.

            Estou no ponto de observar essa fenomenologia ocorrendo no meu corpo, pode até surgir o desejo sexual, mas não tem o devido acompanhamento da ereção. Posso usar hormônios e comprimidos eréteis, mas percebo uma certa resistência dentro do meu campo mental. É como se eu, fazendo uso desses artifícios, tivesse fugindo do fluxo da Natureza ao qual devo me adaptar e não lutar contra ela. Ainda não usei hormônios, e penso não usar em nenhum momento. Mas já usei comprimidos como Viagra, Helleva, que tem o objetivo de facilitar a dilatação dos vasos penianos e favorecer o enchimento de sangue promovendo a ereção. Não tive muito sucesso. Acredito que a minha forma de pensar associada ao fluxo da Natureza tenha entrado em conflito com o desejo sexual, desejo esse que quer forçar o corpo a funcionar como antes.

            Além desse aspecto puramente biológico, existe também o aspecto espiritual. A minha consciência consegue dar prioridade ás atitudes espirituais em comparação com as biológicas, materiais. Então, tenho a compreensão que o desejo sexual que ainda existe em minha mente, não encontra mais respaldo na arquitetura fisiológica do meu corpo para a potência necessária ao ato. É como se o meu espírito tivesse sido dado o sinal para que a minha mente se volte com mais vigor para os aspectos profundos da espiritualidade.

Por exemplo, uma mulher que tenha um terço da minha e que se relaciona comigo, desperta em minha mente material o desejo forte do sexo, por ela ter com exuberância os recursos sensuais próprios da reprodução (lábios, seios, nádegas, etc). A minha mente espiritual leva à crítica de que não posso pensar em leva-la para a cama, para obter um prazer que se encontra entre nós defasado pelo tempo. Enquanto ela tem todo o potencial de gerar filhos e seguir o seu destino biológico e espiritual dentro do ritmo da Natureza, eu perdi o meu potencial reprodutivo e mesmo que o consiga artificialmente o filho gerado irá perder o apoio do pai, pela morte, muito antes da morte da mãe.

Não quero dizer que isso não possa acontecer, e até acontecer de forma ética, de acordo com o relacionamento dos envolvidos. Quero dizer que isso foge um pouco do ritmo da Natureza. Será mais coerente, para nós que respeitamos a Natureza como o “Corpo e Fisiologia” de Deus, o Criador, entender essa jovem, que desperta nossos desejos instintivos como uma filha e que merece o Amor Incondicional, assim como todos os nossos irmãos. Agindo assim, acredito que estaremos fluindo com mais naturalidade no fluxo da Natureza, na construção da família universal que viabilizará o Reino de Deus, assim como Jesus previu.

            A nossa capacidade de amar incondicionalmente deve entrar em queda de braço com o desejo sexual instintivo. Não é porque eu perdi minha potência sexual, que eu perdi também a capacidade de amar, pelo contrário. Quando isso acontece, de eu perder a potência sexual, é o momento que a capacidade de amar deve ficar mais potente, o espirito estar mais fortalecido, e cada vez mais que o tempo passa, que nos aproximemos do falecimento da carne, mais nossa mente e alma estará associadas aos interesses espirituais.


Publicado por Sióstio de Lapa em 04/12/2017 às 23h59
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (voce deve citar a autoria de Siostio de lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
03/12/2017 12h08
ÂNCORAS ESPIRITUAIS

            Coube a fala de Paulo ““Glória, porém, e honra e paz a qualquer que obra o bem”, escrito em Romanos, 2:10, interpretada por Emanuel em “Caminho, Verdade e Vida, livro mediúnico escrito por Chico Xavier, para que despertasse em mim a intuição do que poderia ser feito nas lojas que funcionam no Shopping do Artesanato “Mãos de Arte” na Praia do Meio.

            O Shopping atrai muitos turistas que vêm de todos os estados do Brasil e até de outros países. As lojas tem o sentido de divulgar a cultura do nosso estado, o Rio Grande do Norte, através da produção literária dos nossos escritores e a arte através dos trabalhos artesanais. Podemos também fazer uma interação espiritual com quem nos visita e tem interesse em ampliar os seus horizontes espirituais, servindo de âncora viva aqui em Natal da seguinte forma.

            Podemos abrir um livro de registro para os visitantes que tiverem interesse, e colocar nome, endereço e forma de comunicação, email, celular, etc... Colocará também a prática espiritual que realiza no seu ambiente comunitário e de trabalho. Este é o objetivo central com este trabalho, identificar por menor que seja o trabalho no bem que cada um faça, de acordo com a sua consciência, e ter oportunidade de interação mútua entre todos que se declararem, tendo as lojas administradoras desse intercâmbio.

            Será também apresentado o trabalho comunitário que se faz na Praia do Meio, através da Associação Cristã de Moradores e Amigos da Praia do Meio, o caderno de atas e de reflexões cristãs que é feito a cada reunião, a forma transparente de prestação de contas, de como é feita a aplicação do dinheiro arrecadado, sempre considerando que é um dinheiro recebido das doações, mas que agora pertence a Deus e que devemos administrar com coerência e honestidade na prática do Bem.

            Podemos oferecer um tour pelo bairro, previamente agendado, onde o turista pode ver de perto as características de moradia e relacionamento de uma comunidade simples e ainda comprometida pela miséria dos crimes, drogas, prostituição. Nivaldo, como um marinheiro bastante viajado com capacidade de comunicação em outras linguas, será o cicerone oficial.

            Podemos também verificar dentro da comunidade a casa que melhor servir para a instalação da sede da associação e abrir um livro de ouro a ser assinado com esse objetivo, tanto destinado a moradores, colaboradores, políticos, empresários e turistas. Esta sede servirão como mais uma casa de Deus, não somente para orar, já temos igrejas suficientes com esse objetivo. A sede terá a finalidade primordial de servir de oficina de trabalho para o Bem comum, uma prática do Evangelho onde o foco está dirigido no servir ao próximo sem espera de recompensas materiais.

 


Publicado por Sióstio de Lapa em 03/12/2017 às 12h08
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (voce deve citar a autoria de Siostio de lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
02/12/2017 23h59
AMA-PM REFLEXÃO E ATA (29-11-17) – GLÓRIA AO BEM

“Glória, porém, e honra e paz a qualquer que obra o bem.”  - Paulo (Romanos, 2:10)

            A malícia costuma conduzir o homem a falsas apreciações do bem, quando não parta da confissão religiosa a que se dedica, do ambiente de trabalho que lhe é próprio, da comunidade familiar em que se integra.

            O egoísmo fá-lo crer que o bem completo só poderia nascer de suas mãos ou dos seus. Esse é das características mais inferiores da personalidade.

            O bem flui incessantemente de Deus, e Deus é o Pai de todos os homens. E é através do homem bom que o Altíssimo trabalha contra o sectarismo que lhe transformou os filhos terrestres em combatentes contumazes, de ações estéreis e sanguinolentas.

            Por mais que as lições espontâneas do Céu convoquem as criaturas ao reconhecimento dessa verdade, continuam os homens em atitudes de ofensiva, ameaça e destruição, uns para com os outros.

            O Pai, no entanto, consagrará o bem, onde quer que o bem esteja.

            É indispensável não atentarmos para os indivíduos, mas, sim, observar e compreender o bem que o Supremo Senhor nos envia por intermédio deles. Que importa o aspecto exterior desse ou daquele homem? Que interessam a sua nacionalidade, o seu nome, a sua cor? Anotemos a mensagem de que são portadores. Se permanecem consagrados ao mal, são dignos do bem que lhes possamos fazer, mas se são bons e sinceros, no setor de serviço em que se encontram, merecem a paz e a honra de Deus.

            ATA DA REUNIÃO DO DIA 29-11-17

            As 19h, na casa de Paulo Henrique, teve início mais uma reunião da AMA-PM e Projeto “Foco de Luz”, com a participação das seguintes pessoas: 01. Paulo Henrique; 02. Maria Dalva; 03. Marize; 04. Francisca; 05. João Maria; 06. Nivsldo; 07. Jaqueline; 08. Edinólia; 09. Francisco Rodrigues; 10. Manoel Assunção; 11. Francisco Manu; 12. Maiara; e 13. Maria José. Após os 30 minutos de conversa livre foi iniciada a reunião com a leitura do texto espiritual acima, seguida dos devidos comentários. Edinólia informou que foi realizada a prestação de contas cujo relatório foi distribuído entre os presentes e chamou a atenção sobre o compromisso do pagamento dos empréstimos que foi concedido e muitos não estão pagando nem os juros para a conta não ficar aumentando a cada dia. Foi novamente lembrado que esse dinheiro pertence a Deus, desde o momento que foi doado pelos sócios ou colaboradores e administrado pela tesouraria. Deus espera que nós procuremos cumprir os acordos que foram feitos, para que novas pessoas com dificuldades semelhantes possam ser beneficiadas, e evitemos o egoísmo de não retornar aquilo que prometemos e os gestores não cobrar aquilo que é devido a Deus. São essas oportunidades sublimes que que Deus nos oferece para que possamos praticar as instruções do Amor e Caridade ensinadas pelo Mestre Jesus. Paulo confirma o evento do Natal para o dia 25-12-17, as 20h, na praça Maria Cerzideira. Frente as dificuldades de fazer um evento sem gastos para a Associação, foi dito que todos voluntários devem se sentir como um apóstolo do Cristo, praticando o ato de servir a quem quer que seja, principalmente os mais humildes e necessitados, sem esperar qualquer recompensa, quer seja material ou de reconhecimento do público. Tudo será dedicado a Deus a quem ficará responsável por nossa recompensa, aqui ou mais além, agora ou quando tivermos mais amadurecimento. Nivaldo e João Maria falaram da necessidade de carro de som, mesas e cadeiras, mas que seria inconveniente a cobrança de qualquer valor para garantir o seu uso. As doações em dinheiro e produtos podem ser recebidas sem garantir aos doadores quaisquer privilégios, pois eles passam a integrar o trabalho evangélico de prestação de contas direta com Deus. O trabalho da Associação será o de manter fielmente a transparência das doações. Edinólia falou do bazar que irá ser realizado no próximo dia 10-12 na praça Maria Cerzideira, que irá necessitar de mais doações e do apoio de pessoas que também cheguem com o espirito de cooperação para gerar renda para a Associação, sem gerar custos com almoços ou outras necessidades. Paulo falou que o CNPJ está cumprindo os trâmites necessários e que foi encaminhado ofício à direção do HUOL com a finalidade de gerar cartões de acessibilidade para os necessitados. Jaqueline traz para venda os talões de rifa em prol da escola de capoeira. Maria José que comparece pela primeira vez à reunião, informa que não tem mais assiduidade porque cuida de uma pessoa excepcional. Maiara solicita um documento para comprovar a sua residência na Rua do Motor nº 634 nesta comunidade, para ter acesso ao serviço de saúde do bairro. Paulo dará encaminhamento junto à secretaria do Foco de Luz no HUOL. As 20h30 a reunião foi encerrada, Nivaldo fez a oração de encerramento, todos posamos para a foto oficial e partimos o bolo dos aniversariantes, Ana Paula e Jaqueline.


Publicado por Sióstio de Lapa em 02/12/2017 às 23h59
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (voce deve citar a autoria de Siostio de lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
01/12/2017 23h59
ORAÇÃO DEZEMBRO 2017

            Oh Pai, permita-me que eu Te encontre no ar que respiro, na luz que me ilumina, na força que me move, na coragem de caminhar...

            Sei que sou cheio de dúvidas apesar de ter também grandes certezas... dúvidas se estou realmente no caminho certo ou se entrei em algum desvio iludido pelos prazeres que o meu corpo deseja...

            Mas, procuro seguir a bússola que o Mestre Jesus nos ensinou, o Filho que enviastes para nos dar essas lições: “Fazer ao próximo o que desejas que façam contigo.” Então, como posso errar se estou procurando seguir com a máxima coerência o caminho indicado por essa bússola?

            Sei que o roteiro apontado por essa bússola está associado ao Amor Incondicional, enquanto eu vivo dentro de uma cultura onde predomina o Amor Romântico, condicionado ao exclusivismo dos relacionamentos, e praticado dentro da mais ampla incoerência e hipocrisia...

            Esta, meu Pai, é minha maior dificuldade, pois seguindo a bússola comportamental eu vou praticar inevitavelmente o amor inclusivo, que inclui a todos que se aproximam de mim e são tocados afetivamente, quer seja por desejos ou solidariedade, quer tenha o potencial de aprofundar ou não, características do Amor Incondicional.

            Todos sabem que eu penso e procuro agir dessa forma, inclusiva, incondicional, dentro das orientações da bússola comportamental do Cristo. Isso implica que eu posso me aproximar afetivamente de qualquer pessoa, sem limite de profundidade, desde que não saia desse roteiro que a bússola impõe. Mas quando existe uma terceira pessoa, que se aproximou de mim justamente pelos efeitos da bússola, que se ligou afetivamente, profundamente, talvez uma paixão, e desenvolveu o Amor Romântico ao invés do Amor Incondicional, essa pessoa gera o apego, o ciúme, o exclusivismo. Entrou em conflitos de paradigmas e exige a exclusividade, mesmo sabendo que foi advertida que procuro praticar o Amor Incondicional e não posso garantir a exclusão de ninguém dos meus afetos, da mesma forma que não posso restringir que ninguém que esteja ao meu lado tenha seus afetos também restringidos.

            Por esse motivo, Pai, sou severamente criticado por estar indo por um caminho diferente de todos, que vão por outro caminho, geralmente na teoria, com muita hipocrisia, por isso eu sinto que estou na trilha da verdade e do amor que levam a Ti, enquanto percebo nos outros a mentira e o egoísmo que se afastam da Tua luz.

            Estas, Pai, são as dúvidas que os meus irmãos jogam sobre mim, mas no entanto tenho a certeza gerada por minha consciência de estar seguindo a bússola do Mestre, e dessa forma, como poderia estar errado?

            Que achas de tudo isso?


Publicado por Sióstio de Lapa em 01/12/2017 às 23h59
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (voce deve citar a autoria de Siostio de lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
30/11/2017 10h18
INTUIÇÕES DO ALTO

            Não importa, por mais que nossa mente materialista queira negar o mundo espiritual e a existência de Deus, eles estão presentes a nossa volta e de acordo com a qualidade dos nossos pensamentos sintonizam conosco e deixam suas informações preciosas, geralmente na forma de intuições.

            Três fatos aconteceram a partir da reunião de ontem na Associação Cristã de Moradores e Amigos da Praia do Meio (AMA-PM), quando discutíamos a melhor forma de fazer o evento natalino mais próximo das lições do Cristo, e que reforçam essas considerações.

            Primeiro foi a decisão firme do presidente, Paulo, de que esse evento deveria ser para nós a oportunidade de servir ao próximo sem nenhuma perspectiva de recompensa material, para nós, nossos familiares ou amigos. Todos que contribuírem, quer seja com algum produto, dinheiro ou trabalho, devem ter a consciência de que estão “servindo ao próximo”, ao irmão, por mais diferente ou estranho que seja, como se fosse uma prova prática que Jesus nos oferece.

            Segundo, foi com a tesoureira da Associação, Edinólia, que ao final da reunião, mesmo sendo dito que o tempo estava encerrado, ela disse com firmeza que acabara de ter uma intuição revestida de Luz que este trabalho que fazemos com tanta dificuldade está sendo bem visto pelo mundo espiritual e que não fiquemos preocupados com os problemas que surgem e que parecem não ter fim, pois o Cristo é quem está no comando, “tocando” o coração das pessoas sintonizadas com o Bem, e que Ele está agora no meio de nós.

            Terceiro, aconteceu comigo... estava pensando como fazer para construir algo no momento da reunião do jantar que estávamos organizando para representar com mais fidedignidade a importância do nascimento do Mestre Jesus, tendo em vista as lições do Amor, de solidariedade e de fraternidade que Ele nos deixou. Lembrei que no ano passado tentamos montar um presépio vivo, que construímos uma árvore com nossos próprios recursos... mas que poderíamos fazer este ano que ficasse mais próximo do que o Mestre espera de nós. Pensei em cada um levar uma lembrancinha e referente ao Natal e deixar na praça. Depois, nos dias seguintes, cada comunitário que sentisse a necessidade de ficar com um destes presentes, poderia levar para casa. Foi daí que acredito veio à intuição dos nossos amigos de Luz, para que convidássemos a mãe mais recente para ela ir com o seu filho e o marido para receberem os presentes de quem pudesse levar para o recém-nascido que representa o Cristo. O espaço onde esta família ficar, terá uma manjedoura para receber os presentes, e um local para a apresentação dos valores artísticos do bairro, como se anjos tocassem músicas celestiais para o divino ser que acabara de vir ao mundo material.

            De repente, a preocupação que tínhamos de como fazer esse evento, passou a se dissipar. Temos agora uma orientação a seguir, temos os nossos amigos que estão dispostos a servir e sabemos que os amigos espirituais que seguem as orientações do Cristo, anjos e mentores, estão ao nosso lado, intuindo e colaborando.

 


Publicado por Sióstio de Lapa em 30/11/2017 às 10h18
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Voce deve citar a autoria de Sióstio de Lapa http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.



Página 3 de 434 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr