Meu Diário
13/08/2017 06h42
DEZ MANDAMENTOS PARA O TRABALHO ESPIRITUAL

            O Dalton enviou pelo seu site Consciencial, este trabalho referente ao trabalho espiritual que, para quem deseja caminhar nessa trilha é importante fazer a reflexão sobre o cumprimento desses 10 mandamentos.

  1. Não se desconectar na matéria. O excesso de espiritualismo pode criar uma descompensação com graves prejuízos para a vida pessoal e material de uma pessoa. A matéria é tão importante quanto o espírito; ambos são matizes, graus da mesma manifestação. Nenhum dos dois pode prevalecer sobre o outro. Antídoto: Equilíbrio.
  2. Não despertar os poderes antes da consciência. Os poderes estão a serviço da consciência. Não é preciso busca-los; quando chega o momento, eles surgem naturalmente. Buscar o poder antes do saber é inverter a ordem natural do processo. Para que sirvam a consciência, os poderes devem ser doados a partir de algo além de nossa vontade. Antídoto: Equanimidade.
  3. Não fixar-se em pessoas em vez de em suas informações. Você não monta uma casa em um túnel. Ele é só um meio para se chegar até ela... Quem depende de um mestre volta à infância psicológica. Em um processo de iniciação ou terapêutico isso pode ser  necessário, mas somente como uma fase a superar, e não como um estado onde parar. Antídotos: Discernimento e Moderação.
  4. Não sentir excesso do autoconfiança. Quem se crê autossuficiente é uma presa fácil para os agentes do engano e não raro se vê envolvido por eles. Quem crê demais na própria capacidade está fadado a equivocar-se. Antídoto: Desconfiar de si mesmo.
  5. Não sentir-se superior. Nunca julgue que a própria linha de trabalho é superior às demais. Essa superioridade é a antítese do esoterismo, que afirma justamente a onipresença da consciência em todos os seres e caminhos. Essa postura desconecta uma pessoa das autênticas correntes da consciência amplificada, e é o ponto de partida para a via negra. Antídoto: Equidade.
  6. Não deixar-se levar por impulsos messiânicos. A vontade de salvar os demais é uma armadilha fatal. Sua tela de fundo é a vaidade e a insegurança. Essa fobia paranoica rompe com os canais de conexão com o mestre interior, bloqueia o processo de autoconhecimento e lança a espiritualidade numa espiral involuta, além de inibir o direito ao “livre-arbítrio de cada um”. Antídoto: Confiança na Existência.
  7. Não tomar medidas inconsequentes. O entusiasmo pode levar uma pessoa a romper com seu círculo profissional e familiar sem necessidade. Com o “fluir” ou o “fechar os olhos e saltar” – axiomas que só deveriam ser usados em situações muito especiais -, os mais entusiasmados do mundo esotérico incentivam os recém-chegados a se arrebentarem logo na largada. Antídoto: Responsabilidade Serena.
  8. Não agir com demasiada rigidez. Encantada com as novas informações que lhe ampliam a consciência, uma pessoa pode tornar-se intolerante. Ela tem a tentação de impor sua forma de pensar e seus modelos de conduta aos demais. Limitando sua capacidade de ver a partir de outras perspectivas, ela perde o acréscimo de consciência que havia conquistado. Antídoto: Tolerância e Relaxamento.
  9. Não se dispersar. Estudar ou praticar demasiadas coisas ao mesmo tempo sem aprofundar-se em nenhuma delas leva a uma falsa sensação de saber. Nessa atitude, pode-se passar uma vida inteira andando em círculos, enquanto se faz passar por um sábio. Antídoto: Concentração.
  10. Não abusar. Manipuladas, as informações espirituais servem de álibis ou justificativas convincentes para os piores atavismos. Usar essas informações para fins muito particulares é um crime. Ninguém profana impunemente o que pertence a todos. Antídoto: Retidão e Integridade.

          Desses 10 mandamentos, o 9º é o que mais se aplica a mim, ao qual deverei ter mais atenção, pois tenho a tendência à dispersão, iniciar vários projetos e não ter pernas para a conclusão. Isso leva à perda de tempo com o que eu deveria estar focando e aprofundando.


Publicado por Sióstio de Lapa em 13/08/2017 às 06h42
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (voce deve citar a autoria de Siostio de lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
12/08/2017 01h00
MENSAGEM DE VELUDO (BRASÍLIA 01-07-17) – AGH 07

            Transcrição de vídeo gravado durante evento realizado na cidade de Brasília em 01-07-17. Na ocasião Veludo (espirito) manifesta-se através da mediunidade de Robson Pinheiro para trazer uma mensagem do guardião Watab.

            Há, há, há... o correio que chegou aqui é Veludo.

            Boa noite, que coisa boa... há, há, há...

            Mas gente, eu venho aqui em nome de daqueles que podem mais, porque eu estou mais da base de vocês pra baixo, há, há, há...

            Mas eu venho em nome dos Guardiões Superiores, principalmente de Watab, pra falar com vocês que a responsabilidade pela transformação deste país está em suas mãos. Mas não tentem pensar que é somente manifestando-se nas ruas, se manifestando no meio das greves, das convocações dos sindicatos que vocês irão transformar o país. Há, há, há... não é assim mesmo não. Vocês só vão conseguir transformar esse país na hora que vocês começarem a investir nas células deste país. Não se transforma um corpo enquanto uma partícula menor desse corpo está adoecida, está enferma, está com câncer. E essa partícula se chama família. Portanto, se querem continuar nesta guerra espiritual a favor da renovação do planeta, a favor do projeto espiritual do governador cósmico que é Jesus, comecem dentro de casa, comecem na família de vocês, porque senão o discurso lá fora vai ser muito bonito, mas vai ser um discurso sem força moral, vazio. Transforme a sua família e seja luz ali dentro. Adianta você pensar que vai transformar o mundo, há, há, ah...que vai transformar o Brasil, se tem um câncer necessitado de ser tratado, uma célula cancerosa na humanidade dentro da família? Porque não mudar, curar a família e ao mesmo tempo você terá força moral para ir para as ruas, para ir para suas redes sociais, divulgar a necessidade de transformação. Comece transformando o núcleo primeiro, que é o grupo cármico ao qual você está vinculado, a família cármica. E quando eu falo de família cármica mesmo, não estou falando de família consanguínea não. Porque as vezes a família consanguínea não é o grupo cármico nosso, porque a família espiritual está maior. Isso significa que as vezes a célula cancerosa pode estar no meio daquele grupo através do qual ocorre a sua evolução, o seu progresso, que pode ser o grupo de amigos, o grupo de trabalho. Se o meu grupo familiar está falindo e eu ignoro isto em favor da comunidade, tem uma coisa muito errada comigo. O primeiro grupo cármico a qual estamos vinculado é este que vocês chamam de família. Depois, qual o próximo grupo cármico que nós temos? O trabalho! Onde você passa a maior parte do seu tempo. Se você foi chamado a trabalhar em determinada área, e se essa área pode ser um fator de transformação social, invista nessa área e faça bem feito. Não corra da responsabilidade que o seu trabalho impõe sobre você. Assuma isso como uma missão diante da convocação do nosso general que é Jesus, e que é Miguel. Quando eu assumo isso como soldado... soldado significa comprometimento com a Lei, com a Ordem, com a Disciplina, com a Ética, com a Equidade, com a Moral. Então eu tenho um compromisso inadiável com os meus grupos cármicos. Já que eu não posso influenciar mudando a cabeça de quem está no comando. É mais ou menos o que ocorre com as questões psicológicas, com as questões emocionais. Se eu mudar o pensamento e a emoção, automaticamente o corpo irá refletir essa mudança, não é mesmo? Mas tem hora que é difícil você mudar o pensamento e a emoção. Então você faz no sentido contrário. Muda a periferia! Se eu estou com depressão, se eu estou com fobia, síndrome do pânico, alguma coisa, eu não consigo ainda mudar o meu interior, mudo o exterior como estímulo para o interior. Passo a cuidar do corpo, passo a me vestir melhor, cuidar da aparência, sorrir, fazer academia, fazer caminhada... isso vai injetando energia e daqui a pouco o seu interior começa a renovar por repercussão vibratória por efeito dominó. Então, as vezes precisa renovar o núcleo familiar e com o conhecimento que você tem, renove, estimule, o núcleo de trabalho, que é a outra célula dentro da qual você convive. Terminou isto, qual a comunidade mais próxima que nós temos? A comunidade do condomínio, do prédio que eu vivo, do bairro que eu vivo... porque não começar a fazer um trabalho, já que você não pode mudar a cabeça de quem está lá dentro, quem está no comando superior. Mas vocês tem outro poder que ontem vocês fizeram e eu estava junto de vocês, pois fui convocado e fui lá. Vocês tem ferramentas espirituais, vocês tem armas espirituais, vocês tem conhecimento, e muitos de vocês, senão todos, comprometimento! Vocês imaginam aquilo que foi dito aqui. Se vocês se unirem, conhecem várias pessoas e grupos diferentes, e fizerem a mesma coisa que fizeram antes, se reunirem na Praça dos Três Poderes, ou na Catedral, ou no Jardim Botânico, ou em qualquer outro lugar. Cada grupo aqui representado, marcar para um final de semana, não estou falando todo dia não. Um final de semana cada grupo vai, se reveza e faz o que vocês fizeram ontem. Vocês imaginam a força de vocês, a cada seis meses vamos reunir todos os grupos e vamos abraçar aqui na Praça dos Três Poderes e vamos fazer com que essa ferramenta espiritual que nós temos possa ser colocada a serviço dessa mudança energética. O poder vai ser maior. E se vocês pegarem então a família de vocês, e aquilo que vocês chamam de culto do Evangelho no Lar, e parar com essa bobeira de ficar só rezando, e começar a utilizar uma tática de guerra espiritual. Vamos usar o nosso culto para nós ajudarmos quem está no poder. Ensine os filhos e a família de vocês a se ocuparem e preocuparem com o destino da sua nação. Compartilhem com eles, olha, temos pessoas necessitadas do apoio, hoje nós vamos sair, tirar o foco do interesse da nossa família e vamos pensar na família brasileira, e vamos adotar um deputado, um parlamentar qualquer para o culto no Evangelho no Lar. Você está educando a célula a pensar no cérebro. E a pensar com emoção, participar com o coração. Vocês já imaginaram o poder que tem a oração de uma criança? Ignorando a questão da antiguidade espiritual dela? Está previsto para a humanidade ter um impacto muito grande no sistema social de vocês. Só que, o que vai vencer isso vai ser o choro de uma criança. O livro sagrado fala que da boca daqueles que mamam, e da boca de uma criança, é que está a verdadeira fortaleza, porque é no seio da família. Ensine-os a pensar a nível cósmico. Vamos fazer todo culto no lar agora, não para nós, mas vibrando por aquele que estão precisando, no poder. Você educa a família e a criança a pensar mais profundamente. É um papel educativo. Vamos levar às nossas crianças aquela proposta que foi passada para vocês do Colegiado. Por que numa manifestação eu não possa ir. Todo mundo aqui sai para uma manifestação (10:10) dessas que seja da CUT... vistam-se todos de branco para se distinguir dos outros, e vão para as ruas. Localizem os médicos que tem entre vocês, todos os médicos estarão envolvendo o grupo. Falem com as autoridades: vocês vão ver um grupo de pessoas de branco, estamos aqui para ajudar a manter a disciplina e a ordem e dar apoio aqueles que precisam. A hora que começar a baderna, todos que estão de branco em completo silêncio, ninguém vai gritar, ninguém vai fazer nada, uma manifestação em silêncio. O silêncio é tão poderoso, incomoda tanto, que o povo faz bagunça e grita porque tem medo do silêncio. Começou a bagunça, vocês se ajoelhem na praça, todos de branco, e comecem a cantar, cantem para Maria de Nazaré. Vocês vão ver que aqueles que estão fora dessa vibração vão parar, porque vão respeitar esse nome. Veem um grupo de gente estranha, ajoelhado, cantando... não terão forças para ir em cima de vocês. E terminou de cantar, fiquem em silêncio, vamos ajudar a quem precisa, chama a polícia, corpo de bombeiros, guarda nacional... estamos aqui para ajudar, contem conosco. Não tomamos partido, nosso partido é de Cristo. Daqui a pouco vocês vão ser uma corrente poderosa. Eu posso protestar? Posso! Mas que tal protestar de uma maneira diferente? Ao invés de paralisar? Vocês imaginam!? Paralisar tudo!? Numa época que o país precisa de trabalho? Isso é horrível! Não, vamos combinar todos, sem exceção, nós vamos protestar diferente, nós vamos trabalhar todos de branco. Todos, é só simbolicamente, vamos levar uma vela para o trabalho. Vamos entrar em completo silêncio e não vamos falar absolutamente nada. Cada um de nós vamos ter o que fazer sozinhos, uma obrigação em completo silêncio. Se entrar gente questionando, um olha para o outro e começa a cantar Ave Maria, a única voz, o dia inteiro de paralização produtiva. Temos que fazer uma coisa diferente, vocês vão chamar atenção. Imagina se, diante da reunião de seus parlamentares, 100 pessoas entram para dentro do parlamento, de branco, segurando uma vela acesa... vão entrando, todos em silêncio, um protesto silencioso... e entrem e vão se posicionando, e coloquem as mãos em frente aos seus parlamentares... eles vão se assustar com uma gente estranha, mas vocês estão se posicionando sem precisar destruir, sem precisar depredar, sem precisar fazer nada negativo. Existem mil e uma forma que a gente guardiões, podem fazer. Existe como manifestar-se de uma maneira decente, sem precisar paralisar o país, ou impedir aqueles que querem trabalhar de irem para o seu trabalho. Na verdade não tem greve no país, vocês tem um grupo que impede o outro de trabalhar. Então precisamos renovar nossa maneira de manifestar. Precisamos aprender que a célula está com câncer. E isso é na família que você resolve, e se você não resolver isto na família, daqui a pouco são essas crianças, adolescentes, jovens e adultos que estarão contaminados com tudo e irão simplesmente substituir aqueles que já deveriam ter saído do poder, mas vão substituí-los com a mesma convicção, com o mesmo problema de sempre. Mude a família e a sociedade mudará. Vocês podem pensar assim: Veludo está dando aula de evangelização infantil. Não! Nessa besteira de evangelização infantil, você está ensinando aos filhos aquilo que você não faz, que você gostaria de ter feito, mas não teve coragem de fazer e agora quer que ele faça para aliviar sua consciência. Eu estou falando em mudança radical mesmo, de comportamento, de reeducação mental e emocional da família, da rota de vida da sua família. Colocar em prática junto com eles. Começar a deixar de lado o celular e abram um livro, resgatem a beleza do livro, do conhecimento, do estudo, da educação, do filho, para que ele possa ser valorizado nas gerações futuras. Mas como eu vou ensinar ao filho fazer isso se eu fico o tempo inteiro no celular, o tempo inteiro no tablete, o tempo inteiro no computador... quem é quem no contexto familiar? Quem está dando lição para quem? Como é que eu vou exigir que presidente, os deputados, sejam punidos pela corrupção, se eu estou albergando atitudes profundamente questionáveis no meu dia a dia, lidando com a família, com os amigos e com o trabalho de maneira que não é elegante, que não é ética, que não é moral? Eu não tenho como pedir para o outro fazer aquilo que eu não faço. Isso não é questão de você ter feito, é ser coerente com a proposta que vocês tem. E a proposta de transformação social virá quando vocês resolverem fazer essa cirurgia na alma do país. E adotarem os seus governantes em suas reuniões mediúnicas, uma vez por semana. Tornem sagrado isso! Uma reunião mediúnica, uma desobsessão, uma apometria, para aqueles que estão no poder. Olha, se vocês conseguem resolver o problema hoje, das pessoas que batem às portas das suas casas, a espiritualidade tem tanta convicção, por que vocês não usam esta convicção para ajudar aqueles que estão lá do mesmo jeito? O que você tem feito espiritualmente por eles? Vocês já pensaram no poder que vocês tem na mão e que não usam? Por que já foi dado à Terra, a espada da Justiça. Já foi dada para vocês. Pensem nisso com certo carinho! Não estou dando receita para vocês seguirem, estou levantando ideias para vocês apreciarem, discutirem... mas não esperem até a próxima encarnação para fazer isso. Porque as vezes, a próxima encarnação de vocês será noutro planeta. Que o homem grande abençoe vocês. Que o nosso representante maior tenha misericórdia de todos nós, dessa nação brasileira. E quem sabe, a gente pode corresponder, não as expectativas, mas ao investimento que o alto tem feito através de vocês e em vocês. Corresponder a isso é ser coerente com a proposta. Boa noite para vocês. Que o homem grande abençoe todos vocês.

            São propostas muito interessantes para ser discutido em grupos. Acontece que temos que organizar os grupos com essa orientação. Todos estamos fazendo o mínimo dentro de nossa área de influência, e as vezes não sabemos o que fazer para sensibilizar os amigos que pensam e agem diferentemente, que acham correto ir para as ruas, depredar, impedir os outros de ir e vir. A proposta de fazer alguma coisa concreta a partir da família, no trabalho, na comunidade na qual estamos inseridos, já é alguma coisa, e o primeiro passo. Irei ficar atento nesse foco de ação e evitar tanto o dispersamento que tenta nos influenciar. Essa é uma nova proposta de trabalho que deve impactar na sociedade se formos competentes o suficiente para introduzi-las sem provocar hostilidades ente nossos pares, mesmo que muitos já estejam contaminados com o “câncer” da corrupção que já se alastrou profundamente em nosso país.

           

 

 


Publicado por Sióstio de Lapa em 12/08/2017 às 01h00
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (voce deve citar a autoria de Siostio de lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
11/08/2017 16h27
DIMENSÕES DA VERDADE (12) – MANSOS

           A Terra está corrompida. Aqui encontramos impiedosos que fazem dos seus atos uma rotina, déspotas que manipulam o poder como se fosse uma ferramenta de exclusividade para alcançar benefícios pessoais; ali vemos verdugos que não possuem nenhum prurido de usar o poder para a opressão do próximo; adiante, vemos os maus serem aplaudidos pelas massas ignorantes e entes subordinados e complacentes.

            Essa realidade já está escrita nos Evangelhos conforme visto em Mt 24.8 – Certamente a violência e a corrupção moral são sinais da volta de Jesus. São o princípio das dores. A Igreja precisa orar mais por nosso país e pelas nações (2Cr 7.14). Diante da volta iminente de Jesus, não podemos ficar parados, esperando, de braços cruzados que tudo aconteça e que as pessoas morram e sofram sem salvação.

            Em reflexões íntimas podemos ficar tentados, frente às facilidades amorais que tantos utilizam, a pensar que não é loucura permanecer íntegro? Se consideramos alguém correto e de repente o vemos ser arrastado pela cobiça e o erro? Se as pessoas que consideramos de valor, de repente descobrimos que são escravas de paixões erradas?

            Podemos ser tentados, em concluir que o melhor a fazer é seguir o mal. Não podemos cair nessa armadilha. Temos que refazer os painéis morais de nossa mente e nos deixar afagar pela brandura e pacificação. Lembrar que, sem seguidores, o mal não prospera.

            Lembrar que na Natureza existe o macro e o microcosmo, e tudo é constituído através de átomos que também são universos miniaturizados. Lembrar que a floresta depende do filete de água que circula por suas entranhas. Lembrar que o sol, para nos favorecer a vida, se consome enquanto gera substrato e converte massa em energia.

            A vida espiritual na Terra depende das mil insignificâncias nobres que possuímos e que o Senhor se serve para a construção do melhor em nosso meio. É imperioso que permaneçamos com nosso posto de bem servir, pois Deus é Verdade, ver tudo, e não tem pressa. A preparação da regeneração moral da humanidade depende da melhoria das condutas dos homens. Precisamos aceitar o guia moral do Evangelho para que possamos viver melhor na Terra e conquistemos as bem-aventuranças na vida espiritual.

            É importante que tenhamos a consciência da jornada que devemos empreender em nossas diversas reencarnações, para aprender a nos purificar, burilar o nosso espírito, no infinito caminho a percorrer na senda evolutiva. Cuidemos desde agora de exercitar a mansuetude e a sensatez.

            A Terra está classificada ainda como planeta de provas e expiações, portanto este atributo de mansuetude e justiça não vai ser comum de encontrar entre nós. Mesmo assim, é necessário que sejamos benignos e pacientes, que tentemos transformar moralmente as relações socioeconômicas para que fiquem sintonizadas com a Justiça.

            Neste mundo de provas e expiações nem sempre é fácil aguentar firme, nem sempre é fácil compreender as pessoas, nem sempre é fácil perdoar. Problemas nem sempre são fáceis de se resolver. Situações adversas nem sempre são fáceis de se aceitar. Ora, não podia ser tudo mais fácil nesta vida? Às vezes sobrevêm o desânimo e desistimos de realizações importantes quando topamos com os obstáculos.

            A compreensão de nossa jornada evolutiva desde os primórdios é muito importante. Reconhecer que no início nós éramos animais puros, guiados pelo instinto, sem nenhuma nesga de critério moral em nossa consciência. Passamos pela evolução biológica que preparou o nosso corpo e principalmente o cérebro para acolher os princípios da ética, aceitar a autoridade moral de Jesus e submeter a nossa força biológica, financeira ou política aos seus postulados. Isso é o que nos transformará de animal em humano no caminho da angelitude.

            Nos dias atuais devemos aprimorar nossa inteligência dentro da coerência dos ensinos evangélicos com relação a criminalidade que está exacerbada em todos os pontos do nosso país. Usemos a figura de linguagem usada pelo Cristo, de lobos, ovelhas e pastor.

Os indivíduos podem ser caracterizados dentro de cada uma dessas características. Os lobos são os marginais que infestam a nossa comunidade e nos aterrorizam com os atos mais bárbaros. Por suas ações devem ser considerados mais como animais do que humanos que absorveram a moral evangélica; as ovelhas são aquelas pessoas que não apresentam com predomínio os instintos animais, que são susceptíveis às lições evangélicas e podem cada vez mais conter os seus impulsos instintivos; os pastores são aqueles que se preocupam com a proteção do rebanho, das ovelhas. Pode ser um religioso que usa a caridade, a misericórdia, para ensinar sobre o Evangelho, como pode ser um policial que usa a Justiça para retirar do meio das ovelhas o lobo feroz.

            É preciso que nós, ovelhas em processo de aprendizagem das lições do Cristo, interpretemos bem quando Ele nos disse: “Eis que eu vos envio como ovelhas para o meio dos lobos; sede, portanto, prudentes como as serpentes e simples como as pombas” (Mt 10.16). Se eu vou está no meio dos lobos, das feras que podem me trucidar, acabar com a minha vida, e como eu tenho responsabilidade com a minha vida com prioridade (Amai ao próximo como a si mesmo), deverei estar armado para defender esta vida que é a minha, mesmo que isso implique em destruir a vida do animal que me ameaça. Mesmo que eu esteja, prudentemente armado para me defender, não deixarei de ser simples nos meus mais diversos relacionamentos, inclusive divulgando essas lições do Cristo, até mesmo para as feras, se elas estiverem dispostas a ouvir e aprender.

            Finalmente, agindo dessa maneira, mesmo armados não iremos perder a condição de mansos e ficar enquadrado na recompensa divina, segundo o Cristo: “Bem-aventurados os mansos, eles herdarão a Terra”.  


Publicado por Sióstio de Lapa em 11/08/2017 às 16h27
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (voce deve citar a autoria de Siostio de lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
10/08/2017 05h12
FOCO DE LUZ – REFLEXÃO E ATA (12-07-17) – ENTRA E COOPERA

“E ele, tremendo e atônito, disse: Senhor, que queres que eu faça? – Levanta-te e entra na cidade e lá te será dito o que te convém fazer.” (Atos, 9:6)

            Esta particularidade dos Atos dos Apóstolos reveste-se de grande beleza para os que desejam compreensão do serviço com o Cristo.

            Se o Mestre aparecera ao rabino apaixonado de Jerusalém, no esplendor da luz divina e imortal, se lhe dirigira palavras diretas e inolvidáveis ao coração, por que não terminou o esclarecimento, recomendando-lhe, ao invés disso, entrar em Damasco, a fim de ouvir o que lhe convinha saber? É que a lei da cooperação entre os homens é o grande e generoso princípio, através do qual Jesus segue de perto a humanidade inteira, pelos canais da inspiração. O Mestre ensina os discípulos e consola-os através deles próprios. Quanto mais o aprendiz lhe alcança a esfera de influenciação, mais habilitado estará para constituir-se em seu instrumento fiel e justo.

            Paulo de Tarso contemplou o Cristo ressuscitado, em sua grandeza imperecível, mas foi obrigado a socorrer-se de Ananias para iniciar a tarefa redentora que lhe cabia junto dos homens. Essa lição deveria ser bem aproveitada pelos companheiros que esperam ansiosamente a morte do corpo, suplicando transferência para os mundos superiores, tão somente por haverem ouvido maravilhosas descrições dos mensageiros divinos. Meditando o ensinamento, perguntem a si próprios o que fariam nas esferas mais altas, se ainda não se apropriaram dos valores educativos que a Terra lhes pode oferecer. Mais razoável, pois, se levantem do passado e penetrem a luta edificante de cada dia, na Terra, porquanto no trabalho sincero da cooperação fraternal receberão de Jesus o esclarecimento acerca do que lhes convém fazer. (Caminho, Verdade e Vida – Emanuel/Chico Xavier)

ATA

            As 19h do dia 12-07-17, foi realizada mais uma reunião da AMA-PM e Projeto Foco de Luz com a participação das seguintes pessoas: 01. Paulo Henrique; 02. Edinólia; 03. Nivaldo; 04. Márcia; 05. Duzimar; 06. Genilson; 07. Alzenir; 08. Francisco; 09. Mano; 10. Adélia; 11. Washington; 12. Movelito; 13. Diácono Márcio e 14. Graça. Após os 30 minutos iniciais de conversa livre, foi iniciada a reunião com a leitura do preâmbulo espiritual “Comer e Beber” e a ata da reunião anterior que foi aprovada por todos os presentes sem ressalvas. Foi avaliado por todos a Festa Junina realizada no dia 01-07-17. Mais uma vez ficou a sensação de que todo o esforço realizado não foi canalizado em direção à vontade de Deus, terminou prevalecendo os interesses mundanos, interesses monetários em torno de venda de bebidas e alimentação, inclusive o grande esforço de arrecadação com o bingo para fazer o pagamento de uma banda musical com ritmos fora do contexto evangélico. É importante lembrar que nossa proposta de trabalho é cumprir na íntegra o que Jesus ensinou, sem partidarismo, sem credo religioso, mas com a inclusão de todos que tenham a Boa Vontade de ajudar de forma incondicional, sem querer receber benefícios materiais em troca do trabalho comunitário desenvolvido. É necessário que seja feito um esforço coletivo, uma tempestade de pensamentos, para encontrar a forma mais coerente de trabalhar as festas dentro do espírito cristão. Convidar as quadrilhas tradicionais que exibem a tônica evangélica, trabalhar os alunos de música junto com o professor para trabalharem músicas características do evento cristão, organizar os jovens interessados para participarem da organização do evento e da comunidade. Foi informado pelo Diácono sobre a festa de Santana no final deste mês e da participação da AMA-PM. As 20h30 a reunião foi encerrada, o Diácono Márcio conduziu a oração ao Pai e todos posamos para a foto oficial.


Publicado por Sióstio de Lapa em 10/08/2017 às 05h12
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (voce deve citar a autoria de Siostio de lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
09/08/2017 05h09
RESPOSTAS JUN/17 – ACADEMIA DE GUARDIÕES DA HUMANIDADE (06)

            É possível ter ambientes dentro de casa tão carregado que criam verdadeiras crostas, e que as salamandras podem ter dificuldades em limpar esses ambientes. É preciso advertir que é preciso muito cuidado ao usar os elementais do fogo como as salamandras, é preciso ter conhecimento para usar esses seres.  

            Não há mais dúvidas no mundo espiritual que estamos governados por representantes dos adversários do Cristo, inclusive por pessoas boas que estão hipnotizados por essas forças. É importante focar nossa luta no campo das ideias, para que não terminemos por combater os nossos irmãos que também são bem intencionados como nós, mas que estão iludidos pela força hipnótica dos agentes do mal.

            Deve haver interesse em transformar o adversário de nossas ideias em amigo e até em parceiro, ao ser reconhecido a verdade das situações que estamos envolvidos. Os espíritos realmente mudam de lado, e passam a trabalhar no lado do Bem. Esse é o grande objetivo das reuniões mediúnicas, em trabalhos de desobsessões.  Tem exemplos citados em diversos livros, de André Luíz, de Ângelo Inácio, etc.

            Não temos como avaliar como estar o andamento dessa Batalha Espiritual, cujo protagonismo está no mundo espiritual e que envolve milhares de ano. O que sabemos é que estamos próximos de cumprir uma etapa vitoriosa que é a transformação do planeta Terra em ambiente de regeneração, onde a maioria dos espíritos que permanecerem aqui, estarão voltados para o bem, contrário do que acontece hoje.

            O que podemos observar hoje, é que as pessoas que se dizem do Bem tem medo de se pronunciar, de dizer o que pensam, de colocar “a cara à tapa” frente a oposição, os elementos do mal, que geralmente são muito ousados e atrevidos. Muita gente se diz que é do Bem, mas quando convocados nem 10% comparecem. Será que são do Bem mesmo? Ou pessoas que se aproveitam da onda, da moda?

            As doações de ectoplasma são realizadas mais pelos chacras básico, genésico e também pelo esplênico que fica logo acima. Pode se sentir uma sensação sexual nesse momento devido essa proximidade. É importante se definir pelo menos um dia da semana dentre de um horário conveniente para essa doação e deve ser esperado nessa ocasião a percepção de flashes espirituais que irão ficando cada vez mais nítidos.

            A paralização que se sente em alguns momentos ao adormecimento, deve-se ao início do desdobramento, um mecanismo de defesa que o organismo usa para preservação da vida. A mente pode associar essa paralização com um ataque energético, mas isso não é o que acontece.

            Plantas que tenham flores ou pontas, como a samambaia, lança e espada de São Jorge, o alecrim, são importantes para se ter dentro de casa. Permitem um cheiro muito salutar o manjericão, principalmente o rojo. As pontas servem para absorver as energias negativas e descarregar na terra onde elas são plantadas.

            As marcas das coisas ruins que fizemos e que ficam registradas no nosso perispírito, são diluídas gradativamente com o trabalho no Bem que podemos fazer durante as vivências posteriores.

            Em alguns momentos de trabalhos espirituais, pode ser observado uma baixa de temperatura. Isso se deve por ter no espaço uma temperatura muito fria, e nas regiões astrais onde se fazem trabalhos nas sombras, também são regiões frias.

            As tecnomagias, torres que se colocam para irradiar as influências hipnóticas, não se tornam desenvolvidas no ambiente material, pela dificuldade de operacionalizar. Uma forma de se libertar dessas influências, é o conhecimento, como Jesus já ensinava, que a Verdade nos libertará. É importante que tudo seja questionado, que possamos fazer nosso próprio juízo, de sermos livres pensadores, para não sermos utilizado inocentemente pelos espíritos das trevas.  


Publicado por Sióstio de Lapa em 09/08/2017 às 05h09
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (voce deve citar a autoria de Siostio de lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.



Página 3 de 412 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr