Meu Diário
29/11/2017 23h59
AMA-PM REFLEXÃO E ATA (29-11-17) – A REGRA ÁUREA

“Amarás o teu próximo como a ti mesmo.” – Jesus (Mateus, 22:39)

            Incontestavelmente, muitos séculos antes da vinda do Cristo já era ensinada no mundo a Regra Áurea, trazida por embaixadores de sua sabedoria e misericórdia. Importa esclarecer, todavia, que semelhante princípio era transmitido com maior ou menor exemplificação de seus expositores.

            Diziam os gregos: “Não façais ao próximo o que não desejais receber dele.”

            Afirmavam os persas: “Fazei como quereis que se vos faça.”

            Declaravam os chineses: “O que não desejais para vós, não façais a outrem.”

            Recomendavam os egípcios: “Deixai passar aquele que fez aos outros o que desejava para si.”

            Doutrinavam os hebreus: “O que não quiserdes para vós, não desejeis para o próximo.”

            Insistiam os romanos: “A lei gravada nos corações humanos é amar os membros da sociedade como a si mesmo.”

            Na antiguidade, todos os povos receberam a lei de ouro da magnanimidade do Cristo.

            Profetas, administradores, juízes e filósofos, porém, procederam como instrumentos mais ou menos identificados com a inspiração dos planos mais altos da vida. Suas figuras apagaram-se no recinto dos templos iniciáticos ou confundiram-se na tela do tempo em vista de seus testemunhos fragmentários.

            Com o mestre, todavia, a Regra Áurea é a novidade divina, porque Jesus a ensinou e exemplificou, não com virtudes parciais, mas em plenitude de trabalho, abnegação e amor, à claridade das praças públicas, revelando-se aos olhos da humanidade inteira.        

ATA DA REUNIÃO DA AMA-PM E PROJETO FOCO DE LUZ

No dia 08-11-17, as 19h, na casa de Paulo Henrique, foi realizada mais uma reunião da AMA-PM e Projeto Foco de Luz com a presença das seguintes pessoas: 01. Paulo Henrique; 02. João Maria; 03. Nivaldo; 04. Maria Dalva; 05. Francisco Rodrigues; 06. Washington; 07. Edinólia; 08. Nélia; 09. Mano; 10. Marize; e 11. Juliano. Após os 30 minutos de conversa livre, foi lido o preâmbulo espiritual com o título “A Regra Áurea” com a reflexão dos presentes. Foi em seguida discutido a dificuldade de engajamento da comunidade nas atividades da Associação. Temos a compreensão que a dificuldade de sobrevivência que atinge a grande maioria dos comunitários é o que dificulta a visão evangélica que o grupo mantem em suas atividades, nada fazendo ao próximo com objetivos materiais. Quem participa de nossas reuniões e percebe a dimensão espiritual do trabalho que fazemos, caso tenha o interesse em desenvolver em suas atividades as lições do Mestre Jesus, permanecerá conosco e se envolverá em alguma atividade, por mais simples ou complexa que seja. Foi feito um ligeiro relato sobre as atividades daqueles que estão presentes e que mantém uma certa regularidade. Paulo, como presidente da Associação é quem tem o maior número de tarefas, mostrando na prática que o maior cargo é aquele que mais serve a todos; João Maria, que sempre está disposto a colaborar com os eventos da Associação e desenvolve um trabalho espiritual à frente do Terço dos Homens, da igreja católica; Edinólia, que tem o cargo de tesoureira na Associação, sempre está preocupada em produzir eventos que tragam lucros e mostra o maior cuidado com os recursos que são doados e cobrem muitas necessidades, inclusive financeiras de alguns associados;  Nivaldo, que sempre está disposto a ir nas repartições ou nas ruas e praças da comunidade levando o companheirismo ao presidente que procura levantar a consciência da comunidade; Francisco Rodrigues, que coordena o Projeto Foco de Luz, organiza a parte burocrática da Associação e traz as reflexões evangélicas para orientar o caminho que todos devem seguir, nas pegadas de Jesus; Washington, que sempre dá suas opiniões e se mostra disposto a colaborar em audiências ou visitas dentro da comunidade; Netinha, que está colaborando nos eventos como festas e bazares, trazendo pessoas da sua amizade para viabilizar os trabalhos;  Mano, vice presidente da Associação, sempre está visitando os moradores e eventos dentro da comunidade, ligado ao movimento evangélico. Depois dessas considerações foi discutido a questão de presentes para as crianças até a idade de 12 anos, a data do evento do Natal, que ficou definido para o dia 25 de dezembro, o local do bazar, e a acessibilidade ao HUOL. As 20h30 a reunião foi encerrada, Mano fez a oração ao Pai, e todos posamos para a foto oficial.


Publicado por Sióstio de Lapa em 29/11/2017 às 23h59
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Voce deve citar a autoria de Sióstio de Lapa http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
28/11/2017 23h59
AS DOBRAS DO VÉU

            Veremos agora o que existe de mensagens do mundo espiritual referente a essa questão política que divide o Brasil em Direita e Esquerda, num confronto recheado de mentiras e agressividade...

            Amados!! O ano de 2018 está chegando, e com ele, um grande recomeço para a humanidade, principalmente para aqueles que se propuseram às mudanças do seu Eu Interior.

            Tivemos quatro anos a partir de 2012 para as adaptações energéticas, a mudança de nossa consciência mental para o Chackra Cardíaco e fazer as primeiras limpezas internas.

            Em 2016 as máscaras que ocultavam a verdadeira identidade de cada ser humano, começaram a cair uma a uma, revelando também todas as nossas imperfeições. Isso não teve por finalidade mostrar quem os outros são, mas sim, mostrar para nós mesmos quem de fato somos. Era preciso reconhecer por debaixo das máscaras, as nossas imperfeições para que pudéssemos aceita-las, iluminá-las e curá-las.

            Na sequência veio um 2017 varrendo tudo aquilo que ainda não havia sido removido, ou que negávamos a mexer, aceitar e curar. Este foi o ano da desconstrução.

Não se pode refazer uma obra sem antes desmanchá-la. Não se pode construir nada sólido em cima de base instável. E 2017 foi o ano de firmar esta base.

            Estava sendo anunciado pelos Amparadores da Luz que formam o COMANDO PLANETÁRIO, que estes três últimos meses do ano seria como “uma acomodação de rochas”.

            Essa “desconstrução” em 2017 é necessária para que entremos em 2018 prontos para um novo início. Um duplo início, pois é um ano 11. Este será o primeiro ano 11 banhado pela Luz Fotônica do Sol Central Galáctico. Isso faz toda a diferença!

            Este último trimestre de 2017 está fazendo um Raio X de nossa alma. Vai erguer cada dobra do nosso véu e mostrar a cada um de nós aquilo que ainda estava escondido. Não há o que fazer, senão reconhecer que cada mancha escura que está lá, nos pertence e necessário é que liberemos para ser curada. Não é momento para resistência, medo, vergonha ou ego. Antes, é uma oportunidade única de reconhecer as imperfeições que ainda restam a ajustar.

            A ansiedade, as angústias, as dores injustificadas, as dificuldades de toda ordem, mas principalmente essa sensação de vazio existencial que está acometendo uma grande parcela da humanidade, nada mais é que a resistência ou a dificuldade de compreensão sobre o grande momento que estamos vivendo. Aquilo que ainda não foi curado em nós, vai ressurgir de uma forma ou de outra. É uma oportunidade de iluminarmos, visto que o próximo ano vai ser propício aos avanços necessários dentro desta Transição Planetária.

            Há fortes indícios chegando através das canalizações dos Amparadores da Luz, de que muitos de nós estamos na última encarnação, antes do Grande Evento. São os chamados “Semeadores da Luz”. É a parcela da humanidade que veio preparada para fazer a sua transformação, e ao mesmo tempo, ajudar os outros a despertar. Esses, também segundo tais informações, não estão isentos de resgates, mas vêm com todas as condições de fazê-los inteiros ainda nesta atual existência. Todas as pendências das vidas passadas irão surgir uma a uma, quer queiramos ou não. Entretanto, ao resgatá-las adquirimos experiências para orientar os demais que também passarão por tais circunstâncias. É a oportunidade que temos de iluminar as nossas sombras e nos transformar no ser cristalino que vai habitar a Nova Terra. É o Novo Humano sendo gerado. As crianças que nascem agora, já vem com essa nova configuração energética. Também é certo que muitos decidirão por seu livre arbítrio, continuar na sua acomodação e negar que sob as dobras do seu véu haja qualquer coisa que necessite ser iluminado. Como já sabemos, a estrada da vida no presente momento encontrava-se em bifurcação: um caminho acolherá os que tiverem energia da Quinta Dimensão. O outro seguirá com aqueles que permanecerem vibrando na 3D.

            Muita coisa surpreendente virá em 2018. O nosso poder curador estará potencializado. As nossas intuições serão nossos guias. O nosso Poder Interior aflorará de forma surpreendente. Premonições e até capacidade de deslocamento como o tele transporte será experimentado por muitos de nós.

            O Velho Poder Controlador começará a ruir já neste próximo ano. O desmantelamento desta velha hierarquia se fará de forma rápida e definitiva. Fenômenos naturais serão mais frequentes, pois a Terra que se ilumina cada vez mais, também vai expurgar as suas sombras; principalmente as energias negativas geradas pelo ser humano.

            Porém, devemos lembrar que cada um está no seu devido degrau nesta escada da evolução. De acordo com o degrau, a visão que se tem é diferente dos demais. E essa visão determina a visão que cada um vai ter de acordo com o seu momento presente.

            O certo e o errado não serão mais antônimos e nem motivos para classificar qualquer coisa. São oportunidades que virão para que tenhamos o discernimento de auto avaliarmos e fazer as correções finais, pois o tempo está acelerado.

            Fique atento a tudo aquilo que te tira do conforto neste último trimestre de 2017. É o universo te entregando as ferramentas, deixando-o preparado para entrar 2018 num novo início. O início de um Novo Tempo onde seremos mais cristalinos... mais transparentes, sem manchas. Deixe a luz entrar em você e iluminar todas as dobras do véu.

            A linguagem do mundo espiritual também pode variar de acordo com as tendências e paradigmas de quem a pronuncia, mas todas tem as características de procurarem a Verdade, a solidariedade e uma evolução comum a todos, qualquer que seja o caminho que cada um esteja trilhando em determinado momento.


Publicado por Sióstio de Lapa em 28/11/2017 às 23h59
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Voce deve citar a autoria de Sióstio de Lapa http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
27/11/2017 23h59
O MECANISMO

            Também colhido no whatsapp um texto para nos ajudar a pensar sobre as narrativas que se colocam à direita e à esquerda do pensamento ideológico no Brasil atual.

            ATENÇÃO

            Recado para as pessoas inteligentes. Deixe de lado o partidarismo, o seu ódio pessoal e veja com clareza, como funciona a política brasileira.

            ESTARRECEDOR

            O Procurador da República, Deltan Dallagnol, da Força Tarefa da Lava-Jato, compartilhou e estamos copiando aqui a análise de José Padilha, colunista de O Globo, sobre o mecanismo de exploração da Sociedade Brasileira (aquilo que todos nós já sabemos mas que agora está bem melhor explicado).

            A IMPORTÂNCIA DA LAVA-JATO

            Vinte e sete enunciados sobre a oportunidade de desmontar o mecanismo de exploração da sociedade brasileira.

            01 – Na base do sistema político brasileiro, opera um mecanismo de exploração da sociedade por quadrilhas formadas por fornecedores do Estado e grandes partidos políticos. (Em meu último artigo intitulado Desobediência Civil, descrevi como este mecanismo exploratório opera. Adiante, me refiro a ele apenas como “o mecanismo”).

            02 – O mecanismo opera em todas as esferas do setor público: no legislativo, no executivo, no governo federal, nos estados e nos municípios.

            03 – No Executivo, ele opera via superfaturamento de obras e de serviços prestados ao estado e às empresas estatais.

            04 – No Legislativo, ele opera via a formulação de legislações que dão vantagens indevidas a grupos empresariais dispostos a pagar por elas.

            05 – O mecanismo existe à revelia da ideologia.

            06 – O mecanismo viabilizou a eleição de todos os governos brasileiros desde a retomada das eleições diretas, sejam elas de esquerda ou de direita.

            07 – Foi o mecanismo quem manipulou as massas para eleger o PMDB, o DEM, o PSDB e o PT. Foi o mecanismo quem elegeu José Sarney, Fernando Collor de Mello, Itamar Franco, Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma Rousseff e Michel Temer.

            08 – No sistema político brasileiro, a ideologia está limitada pelo mecanismo: ela pode balizar políticas públicas, mas somente quando estas políticas não interferem com o funcionamento do mecanismo.

            09 – O mecanismo opera uma seleção: políticos que não aderem a ele têm poucos recursos para fazer campanhas eleitorais e raramente são eleitos ou reeleitos.

            10 – A seleção operada pelo mecanismo é ética e moral: políticos que têm valores incompatíveis com a corrupção tendem a ser eliminados do sistema político brasileiro pelo mecanismo.

            11 – O mecanismo impõe uma barreira para a entrada de pessoas inteligentes e honestas na política nacional, posto que as pessoas inteligentes entendem como ele funciona e as pessoas honestas não o aceitam.

            12 – A grande maioria dos políticos brasileiros tem baixos padrões morais e éticos. (Não se sabe se isto decorre do mecanismo, ou se o mecanismo decorre disto. Sabe-se, todavia, que na vigência do mecanismo este sempre será o caso.

            13 – A administração pública brasileira se constitui a partir de acordos relativos a repartição dos recursos desviados pelo mecanismo.

            14 – Um político que chega ao poder pode fazer mudanças administrativas no país, mas somente quando estas mudanças não colocam em xeque o funcionamento do mecanismo.

            15 – Um político honesto que porventura chegue ao poder e tente fazer mudanças administrativas e legais que vão contra o mecanismo terá contra ele a maioria dos membros de sua classe.

            16 -  A eficiência e a transparência estão em contradição com o mecanismo,

            17 – Resulta daí que na vigência do mecanismo o Estado brasileiro jamais poderá ser eficiente no controle dos gastos públicos.

            18 – As políticas econômicas e as práticas administrativas que levam ao crescimento econômico sustentável são, portanto, incompatíveis com o mecanismo, que tende a gerar um Estado cronicamente deficitário.

            19 – Embora o mecanismo não possa conviver com um Estado eficiente, ele também não pode deixar o Estado falir. Se o Estado falir o mecanismo morre.

            20 – A combinação destes dois fatores faz com que a economia brasileira tenha períodos de crescimento baixos, seguidos de crise fiscal, seguidos de ajustes que visam conter os gastos públicos, seguidos de novos períodos de crescimento baixo, seguidos de nova crise fiscal...

            21 – Como as leis são feitas por congressistas corruptos, e os magistrados das cortes superiores são indicados por políticos eleitos pelo mecanismo, é natural que tanto a lei quanto os magistrados das instâncias superiores tendam a ser lenientes com a corrupção. (Pense no foro privilegiado. Pense no fato de que apesar de mais de 500 parlamentares terem sido investigados pelo STF desde 1998, a primeira condenação só tenha ocorrido em 2010).

            22 – A operação Lava-Jato só foi possível por causa de uma conjunção improvável de fatores: um governo extremamente incompetente e fragilizado diante da derrocada econômica que causou, uma bobeada do parlamento que não percebeu que a legislação que operacionalizou a delação premiada era incompatível com o mecanismo, e o fato de que uma investigação potencialmente explosiva caiu nas mãos de uma equipe de investigadores, procuradores e juízes, rígida, competente e com bastante sorte.

            23 – Não é certo que a Lava-Jato vai promover o desmonte do mecanismo. As forças políticas e jurídicas contrárias são significativas.

            24 – O Brasil atual está sendo administrado por um grupo de políticos especializado em operar o mecanismo e que quer mantê-lo funcionando.

            25 – O desmonte definitivo do mecanismo é mais importante para o Brasil do que a estabilidade econômica a curto prazo.

            26 – Sem forte mobilização popular, é improvável que a Lava-Jato promova o desmonte do mecanismo.

            27 – Se o desmonte do mecanismo não decorrer da Lava-Jato, os políticos vão alterar a lei, e o Brasil terá que conviver com o mecanismo por um longo tempo.

            Depois dessa leitura se você se sentir impotente, ACREDITE, que você pode fazer história. Continue lutando da maneira possível. REPASSE: é uma forma de luta. E não tenha medo de ir para as ruas, seus filhos terão orgulho de você. O Brasil é o nosso país.

            Esta é uma avaliação lógica do que acontece com nosso país, independente das narrativas ideológicas que se atacam mutuamente, pois como parece, todas estão dentro do mesmo mecanismo.


Publicado por Sióstio de Lapa em 27/11/2017 às 23h59
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (voce deve citar a autoria de Siostio de lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
26/11/2017 23h59
COMUNISMO GRAMSCIANO

            Recebi pelo whatsapp uma narrativa de direita que irei reproduzir aqui para servir de contraponto à narrativa de esquerda que reproduzi no dia anterior.

            É o PT instalando o comunismo gramsciano debaixo dos nossos olhos e dos políticos ignorantes de Brasília que só pensam em levar vantagem e cargos no Executivo.

            Esquecem esses políticos que todo patrimônio que eles obtiveram lícita ou ilicitamente será confiscado para o "Líder Supremo” da nação quando o PT, PSOL, PSTU, PCdoB, PDT, PPS, PSB, PP, PROS, integrantes do FORO DE SÃO PAULO instalar o novo regime e, ainda, serão fuzilados, assim como todos os que se opuserem ao Estado Comunista.

            Entenda tudo o que está acontecendo no nosso país lendo a matéria abaixo, é longa, mas esclarecedora.

            COMUNISMO GRAMSCIANO

            Antônio Gramsci (1891 – 1937) intelectual italiano e um dos fundadores do Partido Comunista Italiano (PCI) em 1921, percebeu que a implantação do comunismo nos países ocidentais não deveria seguir o modelo russo (Lenin) do uso da violência para conquistar ou tomar o Estado, mas, sim, ao contrário, primeiro conquistar o Estado e depois, então, a aplicação da violência para finalizar o processo.

            Nessa concepção, destaca-se o valor atribuído ao seu entendimento de Sociedade Civil como sendo o espaço social onde deve ocorrer a luta pela hegemonia, para que a classe subalterna passe a ser a Classe Dirigente.

            Um grupo social da Classe Dirigente, assumindo o controle da Sociedade Política (Estado), permite que o partido da Classe Dirigente seja posicionado acima do Estado.

            A manobra é simples, lenta e gradual. Utiliza-se dos instrumentos legais e políticos da democracia para, de forma pacífica e sorrateira, minar e enfraquecer as principais trincheiras democráticas: Executivo, Legislativo, Judiciário, Forças Armadas, Religião e a Família.

            Usando a propaganda subliminar, o populismo e a demagogia, as consciências são entorpecidas e é criada a sociedade massificada para a luta pela hegemonia.

            O envolvimento estratégico também é simples e eficaz, conduzindo o processo em três fases.

             Na primeira, organiza o Partido das Classes Subalternas e luta pela ampliação das franquias democráticas para facilitar a ação política, explorando as deficiências e vulnerabilidades do governo.

            Na segunda, luta pela hegemonia das classes subalternas, criando as condições para a tomada do poder.

            Na terceira fase, toma o poder, impondo novos valores e princípios através de uma nova ordem.

            O “socialismo pacífico” é a etapa intermediária para o “socialismo marxista”, o marxismo-leninismo, o comunismo...

            Preso em 1926, escreveu na prisão “Cadernos do Cárcere” contendo o seu pensamento para a tomada do poder de forma pacífica. Foi libertado pouco antes de morrer em 1937.

            O gramscismo contagiou países da Europa e, hoje, está transbordando na América do Sul. 

            A PENETRAÇÃO GRAMCISTA NO BRASIL

            FINALIDADE

            Criar as melhores condições para transformar o Brasil em uma República Socialista sob a inspiração de Antônio Gramsci.

            OBJETIVOS

            1 – Obter a hegemonia na sociedade civil.

            2 – Obter a hegemonia na sociedade política (Estado)

            3 – Estabelecer o domínio do intelectual coletivo (Partido Classe)

            4 – Silenciar os intelectuais independentes

            MÉTODOS

            Realizar a transformação intelectual e moral da sociedade pelo abandono de suas tradições, usos e costumes, mudando valores culturais de forma progressiva e contínua, introduzindo novos conceitos que, absorvidos pelas pessoas, criam o “senso comum modificado”, gerando uma consciência homogênea construída com sutileza e sem aparente conteúdo ideológico, buscando a identificação com os anseios e necessidades não atendidas pelo poder público.

            Assim é estabelecido o desejo de mudança em direção a um mundo novo, com a sociedade controlada através dos mecanismos de uma “democracia popular”, onde os pensamentos livres, temendo o rótulo de retrógrados ou alienados, se submetem a uma prisão sem grades, calando a voz da divergência existente dentro de si e se deixam, assim, vencer pelo “senso comum modificado”.

            Este prossegue intoxicando a sociedade, sob a égide do Estado, usado para reduzir e suprimir a capacidade de reação individual e coletiva. Nesse momento, está construída a base para a “tomada do poder” e consequente implantação do Estado Socialista.

            AÇÕES QUE TÊM ENFRAQUECIDO AS TRINCHEIRAS DA DEMOCRACIA NO BRASIL

            I – NOS PARTIDOS POLÍTICOS

            1 – Estimular o número elevado de partidos para enfraquecer a oposição e facilitar a tática de “aliança”, favorecendo o “partido classe”.

            2 – Manter a regionalização dos partidos; o controle por caciques ou oligarquias regionais afeta a unidade nacional, favorecendo o enfraquecimento dos partidos políticos de oposição e favorecendo o “partido de classe”, que possui “unidade de comando”.

            3 – Admitir a pluralidade de esquerda para ser bem explorada pelo “partido classe” por tempo determinado.

            4 – Esvaziar as poucas lideranças da oposição através de patrulhamento e ataque (dossiê) direto ou indireto (parentes)

            5 – Criar fatos novos para o esquecimento das mazelas de militantes do “partido classe” e aliados.

            6 – Afastar ou mudar de cargo o militante com erro focado pela mídia de oposição, para a sua proteção e do “partido classe”.

            7 – Usar a “mídia da situação” para silenciar as mazelas dos militantes dos militantes do “partido classe”.

            8 – Infiltrar militantes nos outros partidos para obter o seu controle e esvaziar os líderes de oposição, os neutros e os que não são adeptos do “partido classe”.

            II – NO EXECUTIVO

            1 – Criar aparelhos governamentais de coerção.

            2 – Distribuir cargos em órgãos e empresas públicas para militantes do partido-classe e seus aliados, em todos os níveis da administração (federal, estadual e municipal), (aparelhar o Estado).

            3 – Criar uma estrutura policial que possa ser transformada em Guarda Nacional ou Guarda Pessoal ou em Polícia Política (Polícia Federal, Força Nacional) para emprego imediato, quando chegar o momento oportuno.

            4 – Ampliar o “curral eleitoral” usando o assistencialismo como fim e não como meio, mantendo o benefício por tempo indeterminado.

            5 – Manter o “curral eleitoral” através de um sistema de ensino, controlando o baixo nível de aprendizagem e desenvolvimento da inteligência.

            6 – Silenciar a imprensa através de emprego da verba pública destinada à propaganda, mantendo a população sem informação correta.

            7 – Neutralizar políticos de oposição e aliados através de distribuição de dinheiro, cargo público ou qualquer outro tipo de benefício pessoal ou familiar.

            8 – Criar ou fortalecer um organismo sul-americano para diminuir a importância da OEA (EUA).

            9 – Participar de um bloco sul-americano de repúblicas socialistas democráticas.

            10 – Facilitar a penetração cultural e a projeção dos intelectuais orgânicos.

            11 – Denegrir heróis nacionais.

            12 – Enaltecer militantes da ideologia marxista.

            13 – Desmerecer fatos e vultos marcantes da História Nacional.

            14 – Impedir a tomada da Consciência Nacional.

            15 – Entorpecer a Vontade Nacional.

            16 – Eliminar valores do processo histórico-cultural nacional.

            17 – Mudar usos e costumes.

            18 – Enfraquecer o moral nacional.

            19 – Mudar traços da identidade nacional.

            20 – Mudar valores e princípios ético-morais.

            21 – Enfraquecer a família.

            22 – Enfraquecer a coesão nacional.

23 - Lançar a discórdia no seio da população.

24 – Desviar o foco dos debates em torno de questões relevantes em áreas estratégicas (saúde, educação, segurança, defesa, etc.) isentando o Governo de responsabilidade pelas deficiências e vulnerabilidades.

            25 – Estabelecer um poder paralelo ao do Estado (Conselho de Política Externa, Comissão de Direitos Humanos, etc.)

            26 – Alimentar as ONGs com o dinheiro público e estimular outras para atuarem na sociedade civil, apoiando direta ou indiretamente a luta pela sua hegemonia.

            III – NO LEGISLATIVO

            1 – Eleger militantes do Partido-Classe.

            2 – Unir temporariamente os partidos de mesma ideologia.

            3 – Fazer alianças com partidos de ideologia oposta.

            4 – Desmoralizar o legislativo, mantendo privilégios, barganhas e a falta de espírito público.

            5 – Criar leis para dar respaldo às mudanças de usos, costumes e valores da nacionalidade brasileira.

            6 – Obter o controle do Legislativo para conquistar o domínio da sociedade política (Estado), através do Partido-Classe.

            7 – Enfraquecer o Legislativo como fiscal do Executivo.

            8 – Submeter o Estado ao controle do Partido-Classe.

            IV – NO JUDICIÁRIO

            1 – Retardar ou impedir a modernização da estrutura do judiciário.

            2 – retardar ou impedir o aperfeiçoamento do judiciário.

            3 – Estimular o corporativismo extremado na magistratura.

            4 – Manter o magistrado afastado do povo e das suas necessidades.

            5 – Difundir na sociedade civil as ideias de parcialidade, ineficiência e improbidade do judiciário.

            6 – Desacreditar o judiciário perante as classes subalternas, explorando a lentidão funcional e a corrupção e privilégios dos magistrados como funcionários públicos.

            7 – Aparelhar o judiciário com material humano de interesse.

            V – NAS ESCOLAS

            1 – Usar as universidades como refúgio ideológico.

            2 – Buscar a hegemonia nos meios intelectuais.

            3 – Construir nova massa de manobra, usando as universidades, a mídia e as editoras.

            4 – Criar a geração revolucionária nas escolas de ensino médio.

            5 – Usar professores da nova massa de manobra no ensino básico (fundamental e médio).

            6 – Fortalecer o controle do sistema de ensino que não ensina a pensar, através do MEC

            7 – Apagar a memória do povo reescrevendo a história do Brasil para fatos e vultos nacionais relevantes.

            8 – Mudar valores e princípios ético-morais (professores homossexuais no ensino médio e fundamental, alterando a estrutura familiar).

            9 – Enfraquecer a vontade nacional.

            10 – Transformar a consciência nacional em consciência do partido político.

            11 – Controlar escolas e universidades particulares através de sindicatos e cm uma reforma universitária.

            VI – NAS FORÇAS ARMADAS

            1 – Enfraquecer a união dos militares, afastando os militares da ativa dos militares inativos.

            2 – Enfraquecer o “espírito de corpo”, separando os oficiais generais da tropa.

            3 – Introduzir, a curto prazo, o uso de drogas entre os militares.

            4 – Disseminar, a médio prazo, o homossexualismo entre os militares.

            5 – Preparar, a longo prazo, as gerações de chefes militares que servirão ao governo, e não à pátria, modificando a grade curricular das escolas de formação.

            6 – Enfraquecer a credibilidade e a confiança da população nas forças armadas.

            7 – Desestimular profissionalmente os militares que servem à pátria e não ao governo.

            8 – Criar o ambiente em que os oficiais terão apenas a visão da expressão militar e não de todo o poder nacional.

            9 – Enfraquecer o “espírito combativo”, de fundamental importância no confronto bélico.

            CONSIDERAÇÕES FINAIS

            O pensamento de Gramsci está sendo aplicado de forma dissimulada e protegida pelas franquias da democracia, tornando difícil a sua identificação.

            Conhecendo o pensamento de Gramsci, as técnicas para a sua aplicação e com uma análise paciente e detalhada da conjuntura nacional, chega a ser surpreendente a infiltração do marxismo-gramscismo na sociedade brasileira, cujo impacto no sistema político brasileiro poderá ser, a médio prazo, irreversível.

            Esta narrativa da direita pode ser comparada com a narrativa da esquerda, conferir os fatos da realidade ao nosso redor e usar a lógica para garimpar a verdade.


Publicado por Sióstio de Lapa em 26/11/2017 às 23h59
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Voce deve citar a autoria de Sióstio de Lapa http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
25/11/2017 23h59
E SE A DIREITA VENCER?

            Está acirrada a disputa ideológica entre a direita e a esquerda no Brasil, desde a gerência do PT durante 13 anos na presidência, e a pior crise ética e financeira que o país enfrentou. Vejamos o que diz Carlos D’Incao, num artigo postado no Facebook e que tive acesso pelo whatsapp.

            E SE A DIREITA VENCER?

            E se a direita vencer todos os pleitos eleitorais de 2018? E se ela conseguisse colocar Lula na cadeia e criminalizasse o PT e todos os partidos de esquerda? Não é esse o sonho do mercado e da elite tupiniquim?

            Pois então, façamos um pequeno passeio pelo sonho do mercado e das elites que comandam hoje o país e vejamos o que ele teria para oferecer ao povo brasileiro...

            Em primeiro lugar teríamos uma radical reforma previdenciária para “modernizar” o país. Afinal, o que são – para a direita – aqueles que não conseguem os benefícios da aposentadoria privada? São vagabundos que não tiveram o mérito de poupar dinheiro ou ex-parasitas oriundos do funcionalismo público e que mamavam nas tetas do Estado...  

            Os direitos trabalhistas virariam uma miragem e apenas a livre negociação reinaria. “Nada mais justo”, pensariam os liberais seguidores de Dória e companhia. Sindicatos, considerados um insulto ao espírito empreendedor, morreriam de inanição.

            E assim iniciaríamos o país onde os justos patrões dão o justo salário aos bons trabalhadores.

            Serviço público? Para que e para quem? Para que ter saúde pública se a privada é melhor? Teríamos o fim da “injustiça” de se cobrar impostos daqueles que cuidam de sua saúde em benefício dos ignóbeis que se estropiam devido aos vícios e maus hábitos...

            E a mesma lógica seria aplicada para a educação, para o transporte e para qualquer outra coisa que hoje é pública e que a direita deseja colocar nas mãos do mercado privado...

            Aqueles que querem estudar, que paguem. Aqueles que querem mais conforto, que poupe dinheiro para comprar um carro. E aqueles que não tem dinheiro, que trabalhem mais!

            Afinal, para a elite o pobre só é pobre porque é pobre de espírito. É porco, é vagabundo, é sujo, é irresponsável, é ignorante, é devasso, é bebum... Sua família é um bando... Uma verdadeira “ninhada” fruto da irresponsabilidade sexual de pais e mães que se reproduzem como os bichos...

            Se a direita ganhasse, teríamos finalmente um país sem aquilo que a elite mais detesta nesse mundo – o povo brasileiro.

            Que se encerrem as cotas que beneficiam apenas a escória! Que se acabe com a bolsa família que estimula a vagabundagem! E o que é esse programa “Minha casa, minha vida” senão um grande cortiço, dado praticamente de graça, para essa gente feia e pequena?

            O Brasil seria finalmente uma “casa limpa e arrumada”. A Ordem e a moral acabariam com a “devassidão esquerdista”. “Castração química para homossexuais!” “Censura para tudo que é indecente!” “Paulada nos insatisfeitos!” “Forca para os criminosos!”

            Pois é... a direita é sobretudo o ódio que se alimenta de seu próprio ódio...

            E de onde vem tanto ódio?

            Vem de longe... Vejamos...

            Caso singular na História, a elite brasileira é a única que se envergonha do seu país e tem ódio do seu próprio povo.

            Sempre foi assim...

            Até o século XVIII as elites se envergonhavam de sua origem negra e indígena. Seu sonho era voltar para Portugal... Mas em Portugal essa elite era considerada mestiça e desterrada... em Lisboa eram vistas como “dejetos endinheirados” ...

            E por isso eram cuspidas de volta para o Brasil...

            Aqui possuíam suas terras e tiravam sua renda. Para além disso, aqui podiam expurgar sua frustração de serem rejeitadas na metrópole... Tinham a mão pesada com os negros e os índios. E dessa violência uma multidão de mulheres negras e indígenas pariu uma nação de filhos bastardos, indesejados e desvalidos.

            Por isso, a negação da brasilidade das elites é mais que um gesto de anti-patriotismo, é uma negação de paternidade... Uma tentativa de se eximir das responsabilidades dos filhos que elas mesmas geraram, fora do casamento, “na cozinha”, “no mato”, “no cabaré”, quase sempre pelo uso da força...

            No século XIX, a elite brasileira quis se tornar francesa... E isso durou até o início da República... Trazia pesados casacos do rigoroso inverno europeu para exibi-los no verão carioca...

            E ainda naquele século, promoveram a primeira grande tentativa de exterminar a nossa brasilidade, dando generosos incentivos para os europeus trabalharem e conseguirem terras no país.

            A nossa grande onda migratória foi o reverso daquela ocorrida nos EUA. Ali os emigrantes receberam cidadania com a contrapartida de lutarem contra a escravidão e pela unificação de um país dividido pela guerra civil.

            Aqui os emigrantes receberam a cidadania para consolidar a exclusão social da maioria dos trabalhadores brasileiros (ex-escravos negros) e dividir o país entre os “civilizados” europeus e os “incorrigíveis” brasileiros...

            Por fim chegamos nos dias atuais quando a nossa elite brasileira sonha em virar norte-americana... Continua se rebaixando a um país estrangeiro em detrimento do seu próprio país, como sempre fez...

            Não se importa em ficar – feito gado – horas a fio numa imensa fila para tirar um “visto” de turista para visitar a Disneylândia... E já no aeroporto descobre que não é bem-vinda... pois é latino-americana...

            Novamente ela é cuspida de volta para o Brasil... E aos prantos se despede do Mickey e do Pateta... Entra raivosa na nossa pátria, lamentando ser brasileira...

            Ela sempre quis ser de outro país, mas nunca se esforçou em criar um país melhor...

            Pois a rigor, nossa elite nunca teve um plano de governo, um plano de país... apenas se limitou a ter um plano de família. E o plano sempre foi deixar o país...

            Na impossibilidade de deixa-lo, quer vende-lo barato para os estrangeiros (preferencialmente os norte-americanos). Talvez tenha a ilusão burlesca de que possa vir a ganhar a cidadania americana, se leiloar todas nossas riquezas...

            E essa elite se representa por uma direita que quer exterminar – com todas as forças – um povo que, de secular tradição, ela sempre detestou.

            Por isso a vitória da direita é a derrota do povo brasileiro. Por isso o nosso judiciário precisa tratar as lideranças da esquerda como bandidos... como gente imprestável... Uma gente que ousou um dia tentar vangloriar o Brasil com o Slogan, “Sou brasileiro, não desisto nunca!”.

            Sim, o Brasil viveu uma época singular em que o povo tentou se olhar com um pouco mais de dignidade e amor próprio. E essa felicidade tinha que ser violentada por uma elite que quer provar que somos os piores em tudo. Que precisa mostrar a todos nós que não há no mundo um povo tão corrupto e imprestável.

            Obviamente que o ódio é semeado também para que a miséria imposta ao povo seja considerada justa. O sistema político e o poder judiciário estão nas mãos da direita para criar um verdadeiro estado de terra arrasada. Querem matar qualquer esperança de cada brasileiro de um dia viver em um país melhor, pois isso é inconcebível para a elite brasileira.

            E qual seria o fim disso? Simples: o fim do próprio Brasil. A vitória da direita é, em síntese, a decretação de nossa fragmentação territorial, a total perda de nossa soberania e a instauração da barbárie a níveis estratosféricos.

            Ela vence, o país acaba.

            Por isso é importante alertar que uma batalha decisiva está por vir em 2018. Com Lula ou sem Lula, é preciso defender – nas urnas e nas ruas – o Brasil do perigo de seu próprio extermínio.

            A direita tem apenas o ódio. Mas o ódio ganha votos até certo ponto. Pois o povo não consegue compartilhar de um ódio tão grande, com raízes tão profundas e contra ele próprio...

            Por isso, com medo de que o povo a rejeite nas urnas, a direita quer liquidar com a democracia e com o presidencialismo no Brasil antes de 2018...

            Saber o que está em jogo é a condição fundamental para vencê-lo. E cabe a cada um de nós, que estamos do lado do Brasil, lutarmos contra as hordas da direita, financiada por uma elite que odeia o nosso país, mais do que qualquer estrangeiro.

            Não podemos duvidar, enfim, que a solução para o Brasil está e surgirá das mãos do seu próprio povo. Por mais que o concreto de ódio das elites tente sufocar toda uma nação, sempre teremos a força para vencê-lo.

            Como já disse um dia nosso maior poeta, “Mas eis que o labirinto – razão e mistério – presto se desata: Em verde, sozinha, anti-euclidiana, uma orquídea forma-se.” E ela nasce... vencendo o ódio, o medo e o concreto...

            Esta é uma narrativa de esquerda que devemos avaliar com a mente crítica, assim como devemos fazer com as narrativas de direita, para não sermos englobados pelos equívocos ou más intenções dos outros.


Publicado por Sióstio de Lapa em 25/11/2017 às 23h59
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (voce deve citar a autoria de Siostio de lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.



Página 4 de 434 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr