Meu Diário
04/05/2019 00h03
DUELO EGO X EU

            Tenho a compreensão e convicção do mundo espiritual, da dicotomia matéria e espírito, da evolução conjunta, mas com prioridade para o espiritual. Dentro desse contexto, vejo que o meu espírito exerce constante vigilância sobre os interesses carnais, os prazeres da biologia. Procuro ficar sempre energizado com os pensamentos edificantes que encontro em diversos livros espiritualistas.

            Tive ocasião de vivenciar um duelo dentro da minha consciência entre os interesses do Ego, associado ao corpo e seus instintos, e os interesses do Eu, associado ao espírito e sua necessidade de evolução moral, seguindo as lições do Mestre Jesus.

            Tudo aconteceu por ocasião de meu retorno à Natal, depois do trabalho que realizo quinzenalmente em Caicó. Como sempre faço, compro a passagem no ônibus expresso com antecedência e pegar uma das primeiras cadeiras, com o objetivo de ver o panorama da viagem.

            Acontecia tudo dentro do previsto. O ônibus chegou, entrei e me acomodei na cadeira da frente ao lado de uma senhora. Abri a cortina que cobria a visão da estrada e aguardei a partida. Quando o motorista chegou, foi logo fechando a cortina, sem pedir licença a nós. A senhora logo reclamou, que gostaria da cortina aberta, e tentou chamar a atenção do motorista para o seu pedido. Ele não ouviu ou fez que não. eu disse que também gostaria de viajar com a cortina aberta, e chamei mais alto o motorista para atender o nosso pedido. Mas aí ficou claro, ele ouviu, pois o meu chamado foi bastante alto, mas ele fingia que não ouvia, fazendo outra tarefa. Nesse momento o meu Ego se inflamou, fui até a cortina e abri do jeito que estava antes. O motorista percebendo aquilo, me chamou de mal-educado, pois ele acabara de fechar a cortina. Eu repliquei que mal-educado era ele, pois fechou a cortina que nós abrimos, eu e a senhora que também estava interessada na abertura da cortina. Ele disse que era autoridade no ônibus e eu disse que como passageiro e consumidor, ele estava ali para nos atender. Procurei falar com o funcionário para intermediar a questão e procurei saber se o gerente ou pessoa qualificada poderia vir para resolver a questão. Não apareceu ninguém e o motorista não voltou a fechar a cortina.

            Viajamos com a cortina aberta e o motorista não voltou a falar conosco. Mas durante a viagem o meu Eu chamou a atenção da minha consciência. Lembrou que as vezes o escândalo é necessário, mas ai daquele que provoca o escândalo. Que eu deveria ter exercido a tolerância e ter procurado colocar os argumentos de forma mais didática e serena. Ao invés disso, investi contra o problema causando mal-estar no outro frente a sua autoridade de motorista. A consciência, com esses argumentos, logo gerou uma possibilidade de pedir desculpas pelo ato impulsivo e intempestivo. Mas, frente a esta possibilidade, o Ego se manifestou, dizendo que eu não deveria fazer isso, pois o motorista iniciou todo o processo de má educação e que eu fui apenas em busca de meus direitos, mesmo porque eu tenho a posição social mais alta.

            Este foi duelo travado no meu campo mental entre o meu Ego, responsável pelo meu corpo e o meu Eu, representante do Espírito, o qual tem a responsabilidade de manter o Ego e seus instintos sob controle. Como tenho a convicção de seguir os princípios cristãos, meu Eu decidiu que eu iria pedir desculpas quando o ônibus parasse 10m em Currais Novos.

            Assim aconteceu. Pedi as desculpas por minha má educação, como ele havia frisado. Ele aceitou e disse que eu poderia viajar com as cortinas abertas. Ao chegar em meu destino em Natal, agradeci por seu trabalho e ele em resposta disse que eu poderia viajar sempre com ele com as cortinas abertas.

            Senti-me gratificado pelo meu comportamento, e em condições de falar com mais propriedade na palestra que estava preparando sobre Tolerância.


Publicado por Sióstio de Lapa em 04/05/2019 às 00h03
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Voce deve sitar a autoria de Sióstio de Lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
03/05/2019 00h30
FRASES

            O verbo é algo importante em nossas vidas, não é a toa que está presente na Bíblia desde a formação do mundo. Encontrei na net um trabalho feito por Nando Pereira (Dharmalog.com), com relação às frases e o poder que elas têm de entrar em nosso psiquismo de forma duradoura e influenciar o nosso comportamento, talvez o nosso destino. Vejamos o que encontrei.

            15 frases que mudaram a vida das pessoas. Qual a sua?

            Uma das perguntas do site Quora, um dos mais conhecidos serviços de perguntas e respostas sobre informações especializadas, é “Qual é a frase (ou as frases) que alguém lhe disse e que mudou sua vida (pra melhor)?” (What are one or two sentences that someone has told you that changed your life (for the better)?). Mais de 100 pessoas já responderam no site e abaixo há uma seleção de 15 delas, traduzidas para o português – se você lê fluentemente em inglês, vale a pena ler as respostas completas, pois muitas vezes há casos narrados com as circunstâncias em que as frases foram ditas, além de muitas outras frases (alguns respondentes enviaram mais de uma frase).

            Eu mesmo tenho algumas frases que fizeram e fazem parte de momentos importantes. Três delas:

“Não vemos o mundo como ele é; vemos o mundo como nós somos”. (Anaïs Nin)

“Se chegarmos a entender a Verdade, estaremos completamente livres, como um dragão que obteve água, ou um tigre reclinado na montanha”. (Dogen Zenji)

“Amour Vincit Omnia” (O Amor Conquista Tudo). Frase de Virgílio (latim).

E a sua? Ou as suas? Qual a frase que lhe mudou ou ajudou a mudar a sua vida?

♣ “As pessoas não são contra você; elas são em favor delas mesmas”

♣ “Você pode ter o que quiser; só tem que pagar o preço”.

♣ “O que você está esperando? Que alguém te ‘descubra’? Vá e faça isso você mesmo”.

♣ “Um dia sua vida vai passar rapidamente diante dos seus olhos. Certifique-se que vai valer a pena assistir”.

♣ “O maior risco é não assumir nenhum (risco)”.

♣ “As coisas que você possui acabam por possuir você”. (do livro/filme “Clube da Luta”)

♣ “Um problema bem colocado é um problema metade resolvido”.

♣ “Ah, mas o alcance do homem tem que ser maior do que ele pode pegar; senão para que serve o paraíso?”

♣ “Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas só existe”. (Oscar Wilde)

♣ “O que você faria na vida se você soubesse que iria ter um sucesso muito maior do que o seu sonho mais fantástico?”

♣ “‘Sou o ator coadjuvante na minha própria vida’. Um amigo me disse isso uma vez e eu de repente e claramente percebi como deixamos outras pessoas tomarem conta de nós. Sempre busco, desde esse dia, ser o protagonista da minha própria vida”.

♣ “A perfeição é inimiga da excelência”. (Voltaire)

♣ “Você aprende mais com seus fracassos do que com seus sucessos. Não deixe isso lhe parar. Fracassos constroem o caráter”.

♣ “Todas as pessoas que você encontra tem medo de alguma coisa, amam alguma coisa e perderam alguma coisa”.

♣ “Vá pra onde seu medo está”. (Nicolas Gregoriades)

            Uma boa seleção que serve para nossa reflexão, e quem sabe, redirecionar algum aspecto de nossas vidas. Para mim, é difícil escolher uma delas, mas fazendo um esforço de discernimento, escolho: “Você pode ter o que quiser; só tem que pagar o preço”.

            E você, caro leitor?


Publicado por Sióstio de Lapa em 03/05/2019 às 00h30
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Voce deve sitar a autoria de Sióstio de Lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
02/05/2019 00h30
O CONTRATO

            Vamos elaborar um contrato de convivência. Não podemos formular um contrato de casamento, pois para mim isso é incompatível. Não se adequa aos meus atuais paradigmas de vida.

            Primeiro, amor. Devemos nos relacionar sempre dentro do amor, isso implica trazer junto todas as virtudes associadas: tolerância, compaixão, perdão, solidariedade, humildade, etc. Essas virtudes devem sempre estar presentes nos nossos mais íntimos ou distantes formas de se relacionar, mas também pode ser dirigido a terceiros, e isso será muito gratificante, para mim.

            Segundo, liberdade. Temos que ter e dar toda a liberdade possível ao outro. Jamais exigir tal ou qual comportamento do outro. Pode ser dialogado sobre a conveniência ou não de tal comportamento, mas o outro sempre terá prioridade no seu próprio comportamento. Se esse comportamento provoca qualquer tipo de emoção no outro, que prejudique a sua qualidade de vida, o outro tem todo o direito de sair do relacionamento, sem quaisquer queixas ou ressentimentos, pois este é o contrato.

            Terceiro, sintonia. É importante que haja sintonia entre os paradigmas de um e outro, mesmo que o caminho de cada um tenha suas diferenças. Fica claro a partir deste momento, que a minha missão de vida está associada a compreensão que tenho, dentro da consciência, da vontade de Deus. Compreendo que Ele quer que eu realize ao meu entorno, o Reino dos Céus, como já coloquei dentro do meu coração. Isso implica em praticar o amor inclusivo, sem ciúmes de qualquer natureza. Por esse motivo, o primeiro e o segundo item são importantes, condições sine qua non para a sua realização.

            Isso não implica num relacionamento para a vida toda, ninguém pode prever o que pode surgir no futuro. Implica sim, num relacionamento harmônico, com companheirismo, onde um colabora com o crescimento do outro, independente das relações que cada um possa estabelecer no seu contexto de vida.

            Este tipo de relacionamento é o que mais se aproxima da construção da Família Universal, quebrando o poder da família nuclear. Assim, será feito o alicerce para o Reino de Deus, onde cada um possa se ver como um irmão, um pai para uma criança, um filho para um idoso, independente dos laços sanguíneos.

            Não será fácil implementar tal contrato, sempre haverá as forças do egoísmo associadas aos interesses da nossa animalidade, vendo nas pessoas que se aproximam como adversários. Porém, o espírito, responsável pela condução do corpo biológico, deverá assumir a responsabilidade dessa condução, de promover a evolução espiritual em detrimento da evolução biológica.


Publicado por Sióstio de Lapa em 02/05/2019 às 00h30
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Voce deve sitar a autoria de Sióstio de Lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
01/05/2019 00h30
ORAÇÃO MAIO 2019

            Ouço Tua voz, Pai, cada vez mais perto de mim. Não é porque estavas distante, sei disso, pois sempre estivestes comigo e estarás para sempre. Foi devido a minha ignorância, parecia um bebê recém-nascido que olha para os pais e não sabe de quem se trata. 

            Agora sei com segurança da Tua existência e do meu dever enquanto filho obediente que quero ser. Mas continuo com muita ignorância, e gostaria de pedir, se merecimento eu tiver para isso, um pouco da sabedoria alcançada por Salomão. Quero ter mais segurança, Pai, na escolha dos diversos caminhos que colocas à minha disposição. Sei que a qualquer um deles eu posso escolher, mas nem todos me convêm, de acordo com as intenções que já desenvolvi dentro da minha consciência.

            Também percebo, Pai, que a cada gota de conhecimento que adquiro, um mar de perguntas, de desconhecimento surge no horizonte. Procuro construir meus paradigmas dentro da verdade, pois ela, junto com a liberdade, é pilar forte do amor incondicional. Porém hoje, muito mais do que ontem, devido os recursos da tecnologia, vivemos mergulhado num mar de notícias falsas que procuram desvirtuar nossas opiniões. Não temos tempo de ir em busca da origem de cada informação, de analisar um fato ocorrido com isenção, por isso é preciso ter um mínimo de inteligência e sabedoria para não terminarmos hipnotizados pelas circunstâncias falsas.

            Isso é tão problemático, Pai, pois mesmo nós tendo descoberto um pouco da verdade, tendo redirecionado nosso pensamento para a construção de um paradigma mais coerente com Tua vontade, vamos nos defrontar com a opinião de um grande número de pessoas, às vezes a maioria, que permanecem hipnotizados ou as vezes cooptados por um falsa sistema que lhe oferecem benefícios dos quais não querem largar. Para fazer esse enfrentamento, é necessária outra virtude, a coragem. Coragem que aliada à sabedoria deve fazer o confronto até mesmo com nossos amigos, pessoas íntegras, mas que podem estar hipnotizadas pelas notícias falsas e emparedadas por paradigmas construídos que impedem uma retomada de posição. Isso sem contar das pessoas que não são amigas, que podem ser cúmplices conscientes desse sistema falso, dessa matrix na qual aprisionam tantas pessoas e se locupletam dos frutos dessa mentira. Essas pessoas podem facilmente se tornarem violentas e reagirem com agressão verbal ou mesmo física, sem falar das falsas notícias que podem produzir contra nós.

            Por isso, Pai, Te peço, sabedoria e coragem, por mínimo que sejam para que eu possa pelo menos galgar os passos da minha escada em direção a Ti.


Publicado por Sióstio de Lapa em 01/05/2019 às 00h30
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Voce deve sitar a autoria de Sióstio de Lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
30/04/2019 00h26
O SORRISO DO APARTAMENTO

            Lembro que no dia 21 deste mês, publiquei neste espaço um texto com o título “Lágrimas da Casa”. Agora trago este texto em contraposição.

            O “Sorriso do Apartamento” se refere ao “meu” apartamento, local de onde ninguém pode me expulsar ou impedir de entrar. Passei a ficar desconfiado de tanto ser expulso dos meus relacionamentos e ficar à deriva, sem um lugar para ir. Então, este é o meu apartamento, o meu domínio pessoal. Aqui eu faço imperar a minha missão, de construir relacionamentos com base no amor incondicional, inclusivo. Qualquer pessoa que chegue neste meu ambiente e não sintonize com esta energia que está dentro dele, não poderá ficar. Para que exista a harmonia dentro dele, condição especial para se manter o amor, é necessário a sintonia com o amor incondicional. O amor condicionado a qualquer situação pode até ser tolerado, mas jamais ser acolhido em suas críticas.

            Assim é o meu apartamento, um ninho de amor incondicional. Foi assim que ele me recebeu, com um sorriso na essência, ao perceber a tristeza em minha face. Era como se ele tivesse dizendo: seja bem-vindo, Francisco, como sempre. Você sabe que isso sempre vai acontecer, onde você estiver, com quem estiver, pois seu amor incondicional sempre irá entrar em choque com o amor condicional de alguém. A liberdade que tu ofereces a qualquer companheira, jamais tu terás a recíproca, por mais que elas se esforcem, está no sangue, nos instintos, na biologia. Terminas fazendo o outro sofrer, e por consequência, você também passa a sofrer, pois não quer se sentir culpado pelo sofrimento de ninguém.

            Senti-me acolhido no sorriso do meu apartamento, era um sorriso solidário, de estar me dizendo que não tem mágoas por eu não ficar mais tempo dentro dele, que entende que eu deva sair e me relacionar, afinal o amor incondicional só pode ser praticado dentro dos relacionamentos e estes estão na maioria fora das quatro paredes de um lar. Mas que eu possa voltar quantas vezes eu quiser e ficar se isso for necessário.

            Fiquei a lembrar das lágrimas da casa, que tem se acostumado comigo. Tenho que faze-la compreender essa condição, que não posso ficar onde não me queiram, por qualquer motivo apresentado. Tenho que seguir as lições do Mestre que disse: ao chegares em alguma casa e perceberes que não é bem-vindo, bate a poeira de tuas sandálias e parte.

            Já que elas não podem se locomover, nem a casa nem o apartamento, talvez desenvolvam algum tipo de telepatia e possam trocar informações. Talvez um coração de pedra possa entender melhor os meus motivos, do que um coração de carne, tão cheio de instintos e egoísmo.


Publicado por Sióstio de Lapa em 30/04/2019 às 00h26
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deve citar a autoria de Sióstio de Lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.



Página 10 de 545 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr