Meu Diário
29/08/2019 00h28
INCÊNDIOS NA AMAZÔNIA

            Mais uma vez volto a este assunto devido a importância que ele tomou carreado por narrativas que se chocam com a verdade. Um texto que circula na internet de pretensa autoria de Glauco Vasconcelos, Salvador (BA), merece também ser submetido à nossa reflexão.

Ainda bem que o Presidente Bolsonaro fez o papel que caberia à imprensa (jornalistas) de informar a verdade de fatos relevantes.

Para pautar o desvirtuamento do papel da imprensa que deveria ter a responsabilidade de informar, de modo profissional, íntegro e isento, comprometido, apenas, com a verdade e sem interesses escusos, a partir de pesquisas que realizei, tendo, como fonte, os dados do INPE, coletei dados e fiz análises e considerações visando contribuir com o restabelecimento da verdade.

Conheça e  compare o número de  incêndios na Amazônia Legal nos Governos Lula, Dilma, Temer e Bolsonaro.

SOBRE A QUESTÃO DOS INCÊNDIOS NA AMAZÔNIA LEGAL: leia, conheça a verdade e compartilhe!

Em face da polêmica atual sobre o aumento  das ocorrências  de incêndios e  queimadas na Amazônia Legal, que vem decorrendo principalmente pelo sensacionalismo e afirmações alarmantes, distorcendo a comparação de números propositalmente, por apresentá-los fora do contexto em que se inserem, destruindo a imagem do Brasil, tanto no seio da Sociedade Brasileira, como internacionalmente, decidi, na condição de  um cidadão brasileiro (e nordestino, com muito orgulho), coletar informações junto ao INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) contemplando os registros oficiais sobre o histórico de incêndios na Amazônia Legal nos últimos quatro governos.

E está explicado o porquê de não ter havido a divulgação e, consequentemente, nenhuma repercussão negativa quando o número de incêndios e queimadas cresceu vertiginosamente, em diversas ocasiões, durante os governos de Lula e Dilma, até extrapolando os números registrados no governo Bolsonaro, conforme dados extraídos do histórico INPE, a seguir transcritos:

LEGENDAS: Lula = L; Dilma = D;  Temer = T; Bolsonaro = B; GOV = Governo; INCÊN = Incêndios

MÊS ANO GOV INCÊN

JAN 2005   L        4.618    

         2016   D       4.868

         2018  T        1.720

         2019   B       1.852

FEV  2007   L       1.879

         2016   D       2.188

         2018   T           992

         2019   B       1.675

MAR 2003  L        2.208

          2016  D       2.497

          2018  T       1.764

          2019  B       3.945

ABR  2010   L      1.572

          2016  D      2.049

          2017  T      1.100

          2018  B      2.193

MAI   2004  L      5.155

          2016  D      2.061

          2018  T      1.909

          2019  B      2.141

JUN  2004   L    14.493

          2016  D       4.213

          2018  T       3.846

          2019  B       4.838

JUL   2004  L     24.899

          2014  D    12.050

          2018  T    11.779

          2019  B      8.567

AGO  2005  L     73.683

          2012  D     35.263

          2017  T     27.712

          2019  B     33.405

FONTE: INPE - http://queimadas.dgi.inpe.br/queimadas/portal/estatistica_estados

ANÁLISE: Em dois meses, janeiro e fevereiro (de 2016) a maior ocorrência de incêndios foi no Governo Dilma; em outros dois meses, Março e Abril (de 2019) a maior ocorrência de incêndios foi no Governo Bolsonaro; e em quatro meses, Maio, Junho e Julho (de 2004) e Agosto (de 2005), a maior ocorrência de incêndios foi no Governo Lula.

Agora, pergunto: aonde estavam os jornalistas, os artistas globais, os cantores famosos e os especialistas em questões ambientais quando, somente em um mês (agosto/2005), no Governo Lula, ocorreram 73.683 incêndios, um número maior do que o total de incêndios do Governo Bolsonaro, de janeiro a agosto que totaliza 58.614 incêndios e queimadas?

Eu mesmo respondo: certamente cuidando do dinheiro pago por órgãos públicos do Governo da época nas contratações sem licitação para proferir palestras; ou cuidando da aplicação do dinheiro captado através da Lei Rouanet etc.

E como ouvi, hoje, um "respeitado" especialista em Meio Ambiente dizer, em uma entrevista na TV, que "o Governo Bolsonaro perdeu completamente o controle sobre os incêndios na Amazônia Legal, pergunto: como o total de 58.614  incêndios em todo o período do Governo Bolsonaro significa a perda do controle sobre a questão dos incêndios na Amazônia Legal, sabendo-se que, em um só mês (agosto/2005) no Governo  Lula, ocorreram mais de 70 mil incêndios ? (registre-se que ninguém acusou o governo da época de que teria perdido o tal controle sobre incêndios  na Amazônia Legal).

Também respondo: os formadores de opinião (imprensa, artistas globais, cantores famosos e especialistas em questões ambientais) mantiveram um silêncio absoluto, diante de um número realmente alarmante.

Para uma outra reflexão, pergunto:  como os defensores do "quanto pior para o País, melhor para eles" conseguiram mostrar ao mundo que no Governo Bolsonaro a Amazônia Legal teve um aumento de mais de 80% nas ocorrências de incêndios?

Continuo respondendo: através da manipulação dos dados, recorrendo-se a artifícios enganosos, tendo em vista que para noticiar de forma altamente impactante negativamente que houve um aumento de 82% nos incêndios no atual Governo, em relação ao mesmo período do ano anterior, foi feita uma comparação com a menor ocorrência de incêndios dos últimos 5 anos (desde 2014) no mesmo intervalo de janeiro a agosto, conforme os dados (também extraídos do INPE) que transcrevo a seguir:

Totais de incêndios nos últimos 5 anos, no mesmo intervalo de meses do Governo Bolsonaro (janeiro a agosto):

Em 2014 = 46.947

Em 2015 = 45.082

Em 2016 = 56.935

Em 2017 = 48.697

Em 2018 = 33.632

E registre-se que em agosto de 2018, o número de incêndios foi de 15.000, quase a metade do que havia sido registrado em 2017, 2016, 2015 e 2014, sendo, portanto, um ponto fora da curva.

Isto se chama: usar uma referência fora do contexto, prática que induz ao erro de fazer a opinião pública interpretar, de forma equivocada e extremamente preocupante, até em outros países, um fato que foi distorcido, sem   respeito aos princípios  éticos e morais que devem pautar as ações de quem tem a responsabilidade de noticiar.

Evidentemente, o objetivo de qualquer governo brasileiro deve ser reduzir, ao mínimo, a ocorrência de incêndios na Amazônia Legal (pulmão do mundo) para que todos respirem melhor, contudo, tratando a questão sem viés político ideológico e com a verdade dos números.

Para complementar esta matéria, com a qual busco contribuir para restabelecer a verdade da história do nosso País, registro que a média, no período de janeiro a agosto dos dois governos Lula, mesmo tendo, em alguns anos, a contribuição séria de Marina da Silva, foi de 75.102 incêndios, ou seja, 28% maior do que o total registrado no Governo Bolsonaro, em igual período.

Esta é minha contribuição para o restabelecimento da verdade sobre os números de incêndios na Amazônia Legal, comparando os Governos Lula, Dilma, Temer e Bolsonaro, cuja divulgação, na forma como vem ocorrendo, configura -se como uma espécie de "crime de lesa-pátria" por expor o Brasil, fragilizando sua imagem, com o objetivo de destruí-la, de forma  irresponsável, como se estivéssemos diante de um desastre ambiental de proporções nunca vistas,  alarmando  o País e o mundo, até o Vaticano, conforme palavras expressas pelo Papa Francisco.

Muito bom este trabalho com o objetivo de repor a verdade. Não sei como fica a consciência dessa turma que pega tais dados e os manipula de forma a iludir a opinião pública. Será que não se sentem envergonhados, se cumprem ordens de patrões e não querem perder os empregos? Será que a reputação para essas pessoas que agem para enganar o público, continuam incólumes pelas páginas de história?

Da minha parte eu percebo que jamais o Brasil teve um presidente tão comprometido com a luta contra a corrupção, o principal vírus que infesta o país, como este governo Bolsonaro. Então eu vejo, pessoas inteligentes, honestas, iludidas pelas falsas narrativas, como se tivessem perdido a capacidade de raciocinar e diagnosticar. Como pode esse vírus ter tanta capacidade de letalidade, contaminando profundamente o cérebro de pessoas honestas? Qual mecanismo?


Publicado por Sióstio de Lapa em 29/08/2019 às 00h28
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Voce deve sitar a autoria de Sióstio de Lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
28/08/2019 00h27
MACRON E A AMAZÔNIA

            Encontrei um texto escrito por Felipe Fiamenghi, em 24/08/2019, sobre o engajamento do presidente francês nos incêndios ocorridos agora na Amazônia, que vale a pena reproduzir aqui para nossa reflexão:

            Quer entender o engajamento do Macron com a Amazônia?

Vou te explicar, resumidamente.

A Europa vive, hoje, um socialismo "velado": A "social democracia". Altas cargas tributárias, muitos serviços "gratuitos" e uma montanha de subsídios, que não estatizam as propriedades, mas mantém os cidadãos absolutamente dependentes do Estado.

Um destes subsídios é para a produção rural, nos países integrantes do PAC (Política Agrícola Comum), do qual a França é o maior beneficiário.

São 10 BILHÕES DE EUROS, por ano, destinados a complementar a renda dos produtores rurais. Chegando, em alguns casos, a 40% do faturamento. Não são raras as propriedades onde o subsídio supera o lucro, após descontados os pesadíssimos impostos.

Desde 2016, com a vitória do Brexit, a União Europeia prepara-se para perder vários bilhões de Euros, em receita, devido a saída do Reino Unido.

Uma das medidas, apresentada em maio de 2018, antes das eleições brasileiras, era a de CORTAR OS SUBSÍDIOS AGRÍCOLAS. Proposta que, de imediato, a França tratou como "inaceitável".

Com a vitória de Bolsonaro e os novos tratados comerciais sendo rascunhados, entre Mercosul e União Europeia, Macron se viu em um "mato sem cachorro".

O Brasil é o maior gigante do agronegócio e, com uma política de acordos comerciais, considerando a taxa cambial, engolirá a produção francesa.

É como colocar um supermercado de bairro para concorrer com o Walmart.

Para "pregar a tampa do caixão", Boris Johnson venceu as eleições no Reino Unido, com a promessa de que, até 31 de outubro, sairá definitivamente da União Europeia, ainda que de forma "selvagem", e abrirá as fronteiras para além do comércio europeu.

Ou seja, a França está vendo a chegada de um concorrente peso-pesado, ao mesmo tempo que teve a certeza de uma perda de receita bilionária, que fará os recursos de subsídio minguarem, exatamente quando a demanda tende a aumentar.

Surge, então, um incêndio na Amazônia. Coisa absolutamente comum nesta época do ano e muito menor do que os já acontecidos em outras ocasiões.

Desta vez, porém, o governo brasileiro é de direita e a esquerda, inconformada com a perda do "trono", começa a fazer o que sabe de melhor: BARULHO.

Foi a OPORTUNIDADE PERFEITA para o bem maquiado presidente francês começar a demonizar a política ambiental brasileira e, assim, pedir sanções que salvarão a sua pele.

No ímpeto de convencer os colegas de UE, recém "chutados" da NOSSA floresta, resolveu aumentar o tom e deu a entender "disposições bélicas" para "garantir a preservação" daquele "patrimônio da humanidade".

Só esqueceu que a Alemanha já teve uma certa experiência do que acontece quando se enfia em território desconhecido e DUVIDO que, lembrando do inverno siberiano, tenha qualquer intenção de encarar o verão amazonense.

Macron está tão preocupado com o meio-ambiente quanto eu estou com a final do campeonato coreano de futebol de botão. O problema do presidente pó de arroz é o DINHEIRO que vai perder, competindo de igual para igual com o Brasil. Dinheiro, aliás, que ele NÃO TEM.

São as "belezas" do "Estado de Bem-Estar Social".

"O socialismo dura até acabar o dinheiro dos outros"

(THATCHER, Margaret)

Um texto lúcido que ecoa além do barulho recheado de falsas narrativas que são acompanhadas de falsas fotos. Sim, seria bom que o governo brasileiro aproveitasse o foco em que deixaram a Amazônia a nível internacional e fizesse um estudo de toda a região, estudando a participação de todos os grupos que se revezam por lá. Para onde estão indo as riquezas da região, quem são os protagonistas de tanto barulho e quais são seus interesses. Esta seria uma atividade importantíssima para nossa mídia investigativa, se não tivesse tão preocupada em procurar o que a nação não tem interesse em saber, inclusive considerando criminosos como paladinos da verdade e da honestidade... talvez ainda pensem que somos índios incultos que ficam impressionados com belas ou feias fotos de revistas e jornais, como nossos antepassados ficavam impressionados com os brincos e espelhos daqueles “deuses” portugueses.


Publicado por Sióstio de Lapa em 28/08/2019 às 00h27
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Voce deve sitar a autoria de Sióstio de Lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
27/08/2019 00h26
ATRAÇÃO MAGNÉTICA

O Magnetismo animal seria a faculdade que o magnetizador teria em transformar o Fluido cósmico universal em fluido magnético e este por sua vez é utilizado pelo organismo como fluido vital. Em função disso, no final do século XVIII foram criadas as condições para a prática terapêutica, constituindo uma doutrina chamada de mesmerismo. Este foi um dos primeiros movimentos de monta para trazer a atenção do mundo acadêmico ocidental para os fenômenos paranormais.

Franz Anton Mesmer, doutor em medicina, autor da doutrina, dizia o seguinte: "Esperam-se sem dúvida explicações sobre a maneira de se aplicar o magnetismo animal, e de torná-lo um meio curativo eficaz; mas como, independentemente da teoria, este novo método de curar exige indispensavelmente uma instrução prática e seguida, não creio ser possível dar aqui a descrição, nem desta prática, nem do aparelho e das máquinas de diferentes espécies, nem dos procedimentos de que me servi com sucesso, porque cada um, em consequência da sua instrução, se aplicará em estudá-los, e aprenderá por si mesmo a variá-los e a acomodá-los às circunstâncias e às diversas situações da doença." Ele dizia ainda que: "Nem a luz, nem o fogo, nem a eletricidade, nem o magnetismo e nem o som são substâncias, mas sim efeitos do movimento nas diversas séries do fluido universal".

Do ponto de vista espiritual, o magnetismo é o agente universal que tudo aciona. Tudo é atração magnética em todos os reinos da Natureza, tudo no Universo é atração magnética. Essa é a grande lei que rege todas as coisas, através da qual Deus faz acontecer a Sua vontade.

O estudo e a observação nos preparam a compreensão do magnetismo espiritual, que está acima do magnetismo animal. Podemos pressentir no futuro a descoberta de vastos horizontes do magnetismo no campo científico para o avanço da humanidade pelo caminho do progresso e da verdade, colaborando com a renovação moral dos homens e a transformação universal da sociedade humana.   

Essa atração magnética, animal e espiritual, funciona como matéria prima de Deus, e que espera a ação do nosso livre arbítrio para colocar essas forças a serviço da evolução.

Vejamos o exemplo mais corriqueiro dessa atração, na forma de desejo dos corpos biológicos dos machos e fêmeas, inclusive do homem e mulher.

No reino animal a atração magnética usa dos fluidos hormonais, da visão estética do corpo, da coreografia da corte, para temperar o desejo e viabilizar a formação de novos seres. Isso é feito com o intuito puramente reprodutivo nos animais, mas, no homem, onde pode se manifestar com mais força o magnetismo espiritual, este pode deixar em segundo plano os interesses biológicos e privilegiar os interesses espirituais, de desenvolver moralmente a si mesmo e colaborar com a vontade divina, de fazer evoluir a sociedade humana.

Este fenômeno está sempre acontecendo, e aqueles mais ligados aos princípios espirituais, exercem uma força magnética maior, e, portanto, estão sujeitos com mais rigor à vontade do Pai, seguindo a máxima: a quem muito é dado, muito será cobrado. Isso quer dizer que o comportamento sexual deve estar subordinado aos interesses éticos e morais associados ao magnetismo espiritual do amor incondicional, e não ao amor romântico, associado ao magnetismo animal.


Publicado por Sióstio de Lapa em 27/08/2019 às 00h26
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Voce deve sitar a autoria de Sióstio de Lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
26/08/2019 00h26
MENSAGEM PARA O REINO DE DEUS

            Neste mundo tumultuado, onde os valores materiais prevalecem sobre os mais dignos valores da ética e da justiça, inteligências do mundo espiritual associadas ao Cordeiro de Deus, continuam atuando no sentido de modificar esse padrão vibratório que hipnotiza e animaliza a maioria dos nossos irmãos.

            Recebi uma informação importante através de um livro adquirido num sebo que é interessante para nossa reflexão:

            “É importante a época em que vós estais; em toda parte os obreiros da destruição se esforçam por derruir os antigos monumentos, já solapados nas suas bases; outros procuram construir novos monumentos onde se possam abrigar as almas inquietas; mas, em geral, os que destroem não se preocupam com o que deva ser substituir o que for destruído; os que tratam de construir não se mostram seguros a respeito das bases em que hajam de assentar o monumento do futuro. A vós, espíritas, é que incube reunir os materiais esparsos, escolher as pedras boas para sustentarem o edifício do futuro, eliminar cuidadosamente tudo o que do tempo tenha recebido a marca da vetustez e dispor os fundamentos do templo onde a verdade terá seus altares e donde espargirá sua luz.

            ‘Metei mãos à obra, pois que os espíritos indecisos flutuam entre a dúvida que lhes é semeada nos corações e a fé de que precisam; seus olhos nada mais podem distinguir nas trevas de que os cercaram e buscam no horizonte uma luz que os ilumine e sobretudo que os tranquilize.

            “Cumpre que essa luz lhes seja mostrada, porquanto desapareceu a confiança que depositavam nos dogmas da igreja; falta-lhes esse apoio. Apresentai-lhes o esteio sólido da nova revelação.

            “Que eles enfim reconheçam que o Cristo, a nobre e grandiosa figura que lhes foi mostrada pairando, do alto da cruz ignominiosa, sobre o mundo, não é um mito, uma legenda. Mostrai-lhes também que os véus em que o envolveram é que o roubaram aos olhares deles, não lhes permitindo ver mais do que uma forma indecisa, incapaz de lhes satisfazer à razão.

            “Mostrai-lhes a verdade naquilo que comumente se considera mentira, conforme a palavra de quem repele os Evangelhos e o que eles encerram.

            “Mostrai-lhes que os milagres, proclamados maquinalmente por uns e negados por outros sistematicamente, são atos naturais derivados do curso ordinário das leis da Natureza e cuja impossibilidade só existe na ignorância do homem relativamente a essas leis.

            “A vós, pioneiros do trabalho, cabe a tarefa de preparar os caminhos, enquanto esperais que aquele que há de vir para traçar o roteiro comece a sua obra.

            “Com esse objetivo nós, oh! Bem-amados, vimos incitar-vos a que empreendais a explicação dos Evangelhos em espírito e verdade, explicação que preparará a unificação das crenças entre os homens e à qual poderia dar o nome de Revelação da Revelação.

            “São chegados os tempos em que o espírito que vivifica substituirá a letra que produziu seus frutos, de acordo com as fases e as condições do progresso humano, e que agora mata, se mal interpretada.

            “Ponde-vos à obra; trabalhai com zelo e perseverança, coragem, atividade e não esqueçais nunca que sois instrumentos de que Deus se serve para mostrar aos homens a verdade; aceitai com simplicidade de coração e reconhecimento o que o Senhor vos dá; tende sempre nos vossos pensamentos e atos a humildade, a caridade, a abnegação, o amor e o devotamento aos vossos irmãos e sereis amparados e esclarecidos.

            “Quando todos os materiais estiverem reunidos e for chegado o momento de se tornar conhecida, de publicar-se essa obra, destinada a congregar todos os dissidentes de boa-fé, ligando-os por um pensamento comum, sereis prevenidos.

            Considero esta uma mensagem dirigida a todos nós que, cientes da existência e vontade do Pai, procuramos fazer Sua vontade, conforme sejamos capazes de reconhecer as suas sugestões espalhadas por todas as oportunidades que nos são apresentadas a cada momentos


Publicado por Sióstio de Lapa em 26/08/2019 às 00h26
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Voce deve sitar a autoria de Sióstio de Lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
25/08/2019 00h23
NASCER DE NOVO

Jesus ensinou que para adentrar o Reino dos Céus era necessário nascer de novo. O que isso quer dizer, que a autoridade farisaica, Nicodemos, não conseguiu entender? Por que?

Claro que não é preciso cumprir a assertiva ao pé da letra. Ninguém pode, adulto, voltar ao ventre da mãe e nascer de novo. Também não pode, pelos mecanismos da reencarnação, pois podemos morrer e renascer diversas vezes, e sempre com a mesma disposição de espírito, de caminhar pela estrada larga do materialismo, e nunca alcançar esse Reino dos Céus.

O que é mais coerente no cumprimento da assertiva é fazer a mudança radical dos nossos paradigmas de vida e nos comportarmos dentro dele. Aí, sim, surge uma pessoa nova dentro do mesmo corpo, sem a necessidade de voltar ao ventre ou de reencarnar. Hoje mesmo eu ou qualquer pessoa pode se tornar cidadão do Reino dos Céus, é a promessa do Mestre.

Quando nascemos, somos dominados intrinsecamente pelos instintos biológicos, temos pouquíssima capacidade de raciocínio e por isso nosso espirito ainda não tem força pra entrar no campo mental e exercer a autoridade que lhe é devida sobre o corpo, no exercício do livre arbítrio e em defesa dos valores morais.

É a essa guinada radical dos paradigmas e do comportamento que Jesus se referia quando diz da necessidade de nascer de novo para adentrar o Reino dos Céus.

Vejamos que agora, eu, que admiti as lições do Mestre, me comporto diferente, defendo e pratico valores que antes eram indiferentes para mim. O meu mundo continua o mesmo ao meu redor; pessoas, animais, objetos, Natureza enfim, mas minhas atitudes são diferentes, como de uma pessoa que vem de um mundo novo e permanece no mundo velho. Isso não quer dizer que o mundo ao meu redor se transformou num passe de mágica, que foi criado o Reino dos Céus na sociedade. Não! Essa transformação é íntima, o milagre acontece pela vontade que se alia a um ensinamento. Sou eu que me permiti adentrar o Reino dos Céus, na minha mente e coração. É uma conquista pessoal.

Eu, que me considero cidadão do Reino dos Céus, mesmo que ao meu redor ainda prevaleçam as iniquidades. Porém, é o meu comportamento e o de quantos se tornaram cidadãos do Reino dos Céus que irá paulatinamente transformando a sociedade.

Jesus deu as condições após ensinar e exemplificar com o seu comportamento, como se deve comportar esse cidadão do Reino dos Céus frente as iniquidades da Terra. Não exigiu para isso nenhum pagamento, apenas que fôssemos capazes de expressar a gratidão dando de graça o que de graça recebemos, transmitindo ao redor, no nosso entorno e por onde andarmos, as suas lições, evangelizando, contribuindo para a formação de novos cidadãos para o Reino dos Céus. Também contribuir na passagem evolutiva da Terra, de planeta de Provas e Expiações, para planeta de Regeneração.


Publicado por Sióstio de Lapa em 25/08/2019 às 00h23
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Voce deve sitar a autoria de Sióstio de Lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.



Página 16 de 574 « 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 » [«anterior] [próxima»]


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr