Textos

ONDE ESTÁ O GOLPE?
            Após o impeachment da ex-presidente Dilma, seus aliados fizeram um grande esforço para catalogar o evento como um golpe, mesmo sabendo que foi cumprido todo o ritual burocrático e legal para isso acontecer, muito mais do que aconteceu com o ex-presidente Collor, pois ninguém levantou a voz para protestar que havia sido um golpe. Collor não tinha por trás dele um exército de pessoas beneficiadas diretas ou indiretamente, ou então cumplices dos crimes cometidos, para defenderem com tanto ardor o golpe sobre a sua presidente.
            Encontrei no whatsapp um texto que irei reproduzir abaixo que coloca elementos para nossa reflexão.
            No dia 6 de outubro de 1968, após assalto à mão armada ao Banco Banespa da Rua Iguatemi, em São Paulo, a assaltante vulgarmente conhecida como Dona Vanda, usando técnicas de terrorismo e portando um revólver de calibre 38 em mãos, conseguiu fugir com seus comparsas, roubando a vultosa quantia de 80 mil Cruzeiros Novos, valor que trazido para março de 2016, seria de aproximadamente R$ 690 mil. Um roubo do patrimônio do brasileiro.
            O crime do assalto ao Banco Banespa em outubro/68 foi um grande sucesso para a quadrilha de terroristas, pois comparado ao de dois meses antes, quando no dia primeiro de agosto, o mesmo bando, numa tentativa frustrada de assalto ao Banco Mercantil de São Paulo, fugiu sob tiros, sem levar um centavo sequer, deixando para trás dois comparsas. Um seriamente ferido e o outro morto. Na ocasião, Dona Vanda era conhecida como Patrícia.
            Dois anos depois, em 16 de janeiro de 1970, a terrorista (então chamada Dona Luíza) foi finalmente capturada pela Operação Bandeirantes e após ter sido presa e torturada, confessou ter planejado minuciosamente o assassinato do Capitão Chandler e o assalto ao Quartel da Força Pública do Barro Branco, entre outros.
            Passados 45 anos, essa mesma mulher, não mais usando exatamente as estratégias de terrorismos e armas nas mãos, mas sim uma caneta de Presidente da República do Brasil e a estratégia das pedaladas fiscais...
            Essa mesma Dona Vanda, Patrícia ou Luíza, que agora no poder usa o mesmo nome de Dilma, assalta os cofres da Caixa Econômica Federal, banco fundado em 1861 por Dom Pedro II. Mais um roubo do patrimônio público do povo brasileiro.
            E tem gente que não conhece a história. Única desculpa para sair às ruas para defende-la.
            Essa mesma mulher, no governo de Lula assume a presidência do Conselho de Administração da Petrobrás (até então uma das mais sólidas e bem conceituadas empresas brasileiras), e graças a uma série de concessões, “desconhecimentos” e pela sistematização da corrupção e crime organizados durante sua gestão, a Petrobrás amarga hoje um rompo de 42 bilhões de reais. Mais um roubo do patrimônio público do povo brasileiro.
            E tem gente, que não conhece a história. Única desculpa para sair às ruas para defende-la.
            Em março de 2016, a terrorista e assaltante de bancos tenta impedir a prisão de um poderoso milionário e chefe de um cartel organizado, durante uma operação da Polícia Federal. Um homem que já desviou bilhões e bilhões de reais de um país carente de remédio, comida e educação. Mais um roubo do patrimônio público do povo brasileiro.
            ... E tem gente, que não conhece a história. Única desculpa para sair às ruas para defende-la.
            Mas só conhece a história quem estuda... e a primeira coisa que a ladrona de bancos fez em seu segundo mandato foi cortar 10,5 bilhões da educação brasileira. Boa estratégia, pois se mantiver o seu público eleitor sem acesso à educação, garantirá as próximas eleições ao eleitor ao PT (povo que o próprio Lula chama de “peões”). Sem leitura e educação este ciclo poderá se perpetuar,
            Mais um roubo do patrimônio público do povo brasileiro.
            Se ainda não acredita nos fatos acima, estude para confirmar e tirar suas dúvidas e então, dar um basta ao roubo do teu patrimônio.
            Isto sim que é um golpe.  
            Esse texto procura abrir nossos olhos, principalmente para quem fica apregoando aos quatro ventos que a ex-presidente foi vítima de um golpe, que quem está sendo vítima de um golpe somos nós, brasileiros, que deixamos os falsos moralistas porem as mãos em nosso dinheiro sem qualquer pudor ou vergonha. A não ser que sejam beneficiários do crime, diretas ou indiretamente... conscientes ou inconscientemente!
 
 
Sióstio de Lapa
Enviado por Sióstio de Lapa em 05/03/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Voce deve citar a autoria de Sióstio de Lapa http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr