Textos

MISERICÓRDIA E JUSTIÇA
            Nós, cristãos, estamos sempre associando Jesus à misericórdia, à paz e a todos os elementos constitutivos do amor (tolerância, perdão, solidariedade, verdade, etc.) – Vinde a mim todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei (Mt 11:28)
            Mas, essa não é toda a personalidade do Cristo, meigo e cálido. Parece que esquecemos ou não lemos aquelas passagens onde Ele expulsa os vendilhões do templo, aos berros, derrubando mesas: - Jesus entrou no templo e expulsou dali todos aqueles que se entregavam ao comércio. Derrubou as mesas dos cambistas e os bancos dos negociantes de pombas, e disse-lhes: “está escrito: Minha casa é uma casa de oração, mas vós fizestes dela um covil de ladrões”. (Mt 21:12-13) – Chegaram a Jerusalém e Jesus entrou no templo. E começou a expulsar os que no templo vendiam e compravam; derrubou as mesas dos trocadores de moedas e as cadeiras dos que vendiam pombas. Não consentia que ninguém transportasse algum objeto pelo templo. E ensinava-lhes nestes termos: “Não está porventura escrito: a minha casa será chamada casa de oração para todas as nações. Mas vos fizestes dela um covil de ladrões”. Os príncipes dos sacerdotes e os escribas ouviram-no e procuravam um modo de o matar. Temiam-no porque todo o povo se admirava da sua doutrina. (Mt 11:15-18) – Em seguida entrou no templo e começou a expulsar os mercadores. Disse ele: “Está escrito: A minha casa é casa de oração! Mas vós a fizestes um covil de ladrões”. Todos os dias ensinava no templo. Os príncipes dos sacerdotes, porém, os escribas e os chefes do povo procuravam tirar-lhe a vida. Mas não sabiam como realiza-lo, porque todo o povo ficava muito admirado quando o ouvia falar. (Lc 19:45-48).
            Também disse, com toda radicalidade para aqueles que o queriam seguir, que não veio trazer a paz, mas a espada. – Não julgueis que vim trazer a paz à Terra. Vim trazer não a paz, mas a espada. Eu vim trazer a divisão entre o filho e o pai, entre a filha e a mãe, entre a nora e a sogra, e os inimigos do homem serão as pessoas de sua própria casa. Quem ama seu pai ou sua mãe mais que a mim, não é digno de mim. Quem ama seu filho mais que a mim, não é digno de mim. Quem não toma a sua cruz e me segue não é digno de mim. Aquele que tentar salvar a sua vida irá perde-la. Aquele que a perder por minha causa, irá reencontrá-la. (Mt 10:34-39)
            Avaliando essas passagens do Evangelho do Cristo e comparando com os dias atuais no Brasil, de intensa campanha política, onde a verdade se digladia com a mentira, vejo, entre todos que estão no principal foco da campanha, o candidato Jair Bolsonaro como aquele que mais se aproxima do comportamento do Cristo. Assim como o Cristo considerava o templo como uma casa de oração, o deputado Jair considera o Congresso como uma casa de justiça e era uma voz acusatória tonitruante contra a corrupção, fazendo com que os poderosos procurassem um meio de tirar-lhe a vida, como tentaram, apesar de todo apoio popular.
            Ele também mostra um discurso radical contra as iniquidades, está de espada erguida em defesa dos mesmos ideais do Cristo, é tanto que colocou no slogan de sua campanha “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”. Observamos que realmente ele não veio trazer a paz, veio em nome da justiça e por isso trouxe divisão entre familiares, colegas de trabalhos, amigos, etc.
            Por isso somos chamados a raciocinar onde está a raiz da corrupção, das iniquidades, da forma mais livre de qualquer condicionamento humano que seja possível, para identificar onde está a verdade, elemento fundamental do amor, que serve tanto a misericórdia para aqueles que estão iludidos pela mentira e querem se recompor, como serve à justiça para mostrar aos iníquos contumazes que a lei de Deus já está nas mãos das pessoas de bem. É hora de decidirmos pois estamos em batalha, ou empunhar a espada em nome de Deus, ou a faca em nome dos iníquos.
            Deus é nosso Pai, Jesus é nosso mestre e comandante, e o Jair, agora, no momento, é nosso capitão.
            Ave Cristo!
 
Dr. Francisco C. Rodrigues – Psiquiatra (ANP/ABP)
Prof. UFRN-CCS-DMC
Disciplina - Medicina, Saúde e Espiritualidade
 
Sióstio de Lapa
Enviado por Sióstio de Lapa em 27/10/2018
Alterado em 27/10/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deve citar a autoria de Sióstio de Lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr