Textos

VIAGEM A OUTRA DIMENSÃO
Encontrei a fórmula de falar com meu Pai com a naturalidade que eu tanto queria. Expliquei no texto anterior quando fiz minha oração. Hoje tentei fazer isso ao ir para cama dormir, por volta das 4 horas da madrugada com intenção de levantar às 7 horas. Ao deitar procurei sintonizar com o Pai e pedir para Ele me levar para passear, como experimentei na noite anterior, quando tive oportunidade de ir para as dimensões cósmicas e ver todo o conjunto das imensas e inúmeras casas do meu Pai. Como me senti orgulhoso ao ter um Pai tão bondoso e poderoso e que sou um dos seus tantos herdeiros.
Bem, nesta noite pensava em fazer uma viagem parecida. Enganei-me. Entrei através dos sonhos em uma dimensão que é mais difícil ser alcançado do que aquela do Cosmo que um dia, ao desencarnar, eu sei que poderei ir por lá. Essa dimensão do sonho eu não sei como acessá-la, não tenho conhecimento como fazer. Dependo exclusivamente do Pai para voltar a essa dimensão e continuar com os relacionamentos tão fortes que foram criados por lá. Mas, vejamos o que aconteceu desta vez.
Encontrei em outra dimensão uma pessoa querida por quem me apaixonei nesta dimensão material há cerca de 30 anos. Casei com essa pessoa e tivemos um filho, superando todas as dificuldades, eu e ela, para esse relacionamento se concretizar. Acontece que tínhamos paradigmas de vida diferentes e sabíamos que chegaria o dia de que não mais poderíamos ficar juntos. Eu, da minha parte tive o máximo de tolerância, mas sem perder as características de quem eu passei a ser: um defensor do amor incondicional e liberdade para acatar o amor de forma inclusiva, de onde viesse, sem preconceitos. Eu, quebrava assim a exclusividade do amor e do sexo, o que ela colocava como inegociável. Teria que existir a exclusividade do amor, a fidelidade aos compromissos do casamento; a possibilidade de sexo com outra pessoa seria inaceitável.
Este foi o motivo da nossa separação, no início muito tumultuada devido ao seu gênio rígido, explosivo, contundente. Mas a minha forma de amar, incondicional, não se perdeu. Continuei a lhe amar com toda a pujança, apesar da separação rigorosa que ela impôs. Porém, o tempo parceiro constante do amor, conseguiu derreter a muralha tão sólida de ressentimentos que ela havia construído entre nós. Hoje nós nos sentimos bons amigos, parceiros no trato com nosso filho que tem suas características especiais, porém, sentimos que não há mais clima para reeditarmos aquela paixão que sentíamos nos primeiros dias que nos conhecemos. Acontece que foi ela a principal protagonista desta viagem que o Pai me proporcionou a essa dimensão, a esse universo paralelo que não consigo localizar, aqui em minha dimensão, de nenhuma forma.
Mas vejamos o que aconteceu. Quero explicar ainda que estou digitando esse texto assim que acordei para que não perdesse tanto das informações que ficaram na minha mente. Sei que quanto mais o tempo passa, mais as informações de um sonho se perdem, mesmo que ele tenha sido tão lúcido e cheio de emoções como este. Iniciarei diretamente no próximo texto, do dia seguinte, para não cansar os meus leitores, críticos e comentaristas.
Sióstio de Lapa
Enviado por Sióstio de Lapa em 03/10/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Voce deve citar a autoria de Sióstio de Lapa e o site http://www.siostiodelapa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr