Meu Diário
02/12/2022 00h01
ASCENÇÃO DOS PORCOS – 6-GARÇA

            Vejamos uma fábula da floresta, por Caio Coppola, publicada há 3 semanas no Youtube, que considero uma pérola de criatividade dentro da verdade coberta pela mentira e que vou apresentar dividida para não ficar muito cansativa.



            Aproveitando esse momento de histeria coletiva, o chefe Javaporco convocou uma grande reunião dos bichos para comunicar suas intenções de mais uma vez tomar o poder.



            Mas tão logo ele iniciou o discurso alegando a própria inocência, uma garça, enfurecida, irrompeu na clareira a passos largos, assustando a todos. E a Garça era um animal diferente. Ela voava com a elite dos pássaros e também caminhava no lodo, como os animais do chão. Mas o que realmente impressionava os bichos era outra coisa. Apesar de passar o dia todo andando na sujeira do pântano, suas penas ainda eram brancas e limpas.



            Após uma pausa dramática, a Garça de asas abertas gritou a plenos pulmões: “Seu porco larápio, você nunca foi rei, não passa de um chefe de bando, você é um corrompido que se aliou a alcateia que aterroriza os animais de bem. Você defende a invasão de tocas e quer liberar cogumelos tóxicos que deixam nossos filhotes vulneráveis à predadores. Você não é livre, porco, você é um desenjaulado e eu te desafio a uma votação pelo reino dessa magnífica floresta”.



            As palavras da Garça acirraram os ânimos e dividiram os bichos. Sobre o pretexto de manter a ordem pública a Corte dos Corvos determinou que a votação fosse realizada só uma semana depois e também proibiu que a Garça se referisse ao Javaporco como larápio, corrompido, desenjaulado, chefe de bando e aliado de alcateia.



            Silenciada, a Garça foi difamada pelas gralhas e papagaios que espalhavam e repetiam mentiras a seu respeito. E na véspera do seu confronto com o Javaporco, a esbelta ave sofreu um atentado contra a sua vida e foi envenenada por uma picada de serpente encantada.



            A Garça sobreviveu, mas perdeu a disputa. Na contagem realizada cuidadosamente pelo Tribunal dos Corvos, o Javaporco venceu po um único voto.



            Moral da história: animais de bem e defensores da floresta jamais devem subestimar a força das criaturas da lama.



            Assim chega ao fim essa fábula que se encaixa perfeitamente nos dias de hoje no Brasil. Os animais corruptos talvez pensem que não existem bichos inteligentes que não veem os seus crimes. Enganam-se os corvos de capa preta, pois ao lado da Garça existem muitos gaviões, calados, mas atentos.



Publicado por Sióstio de Lapa em 02/12/2022 às 00h01
 
01/12/2022 00h01
ORAÇÃO DEZEMBRO 2022

            Pai, aqui o mundo está tumultuado... muitas mentiras invadem a nossa mente. Procuro seguir os caminhos da verdade, mas são tantos os que permanecem iludidos por falsas narrativas, os que destroem as reputações dos bons e até ameaça a existência física, que sinto temor em também ser destruído entrando nesse rodopio de iniquidades.



            Mas sei, Pai, que não devo temer frente às ameaças que estão à minha volta, por eu ser o portador da verdade. Quero apenas, Pai, sabedoria, inteligência, para que eu não perca o meu poder de discernir o que é verdade ou mentira, o que é bom ou mal, para que eu possa saber onde estão as árvores boas a partir dos seus frutos.



            Sei que devo seguir no Caminho da Verdade, em busca da Vida eterna, como Mestre que nos enviaste ensinou. Mas tenho que ser prudente nas minhas ações, e isso não implica em covardia. Devo seguir as estratégias que estão colocadas ao meu dispor, quer venham intuitivamente de vossa imensa sabedoria, ou dos meus irmãos, encarnados ou desencarnados que também querem fazer a Tua vontade.



            Estou me engajando na estratégia do Bernardo que fez um documentário sobre a Teologia da Libertação e agora está conduzindo um curso, “O Bom Combate”, que promete colocar uma forma de agirmos em grupo, em defesa do Cristianismo, e seguindo a Tua vontade, nessa Guerra Espiritual, na qual estamos engajados de alguma forma, consciente ou inconscientemente.



            Além disso tenho diversas obrigações dentro do mundo material e que devo associá-las também ao mundo espiritual. Compromissos com pessoas que trabalham ao meu lado, ajudando a outras pessoas... alunos, formais ou informais, que necessitam de esclarecimento quanto a verdade dos fatos e a preparação profissional dentro dos critérios espirituais do cristianismo.



            A parentela fica cada vez mais esclarecida, os parentes consanguíneos que formam os laços biológicos, aqueles que mostram a intenção de seguir a Tua vontade, Pai, e estes formam a minha família espiritual, que, como Jesus ensinou deve estar acima de qualquer outra, mesmo que eu tenha a responsabilidade material com a família biológica.



            É neste caminho que estou indo, a minha consciência se sente coerente com a Tua vontade, Pai, e com os ensinamentos do Mestre. Mesmo que isso faça com que muitas pessoas do núcleo do meu amor, me rejeitem e se afastem de mim, as vezes com violência moral e até física.



            Percebo que tudo isso acontece porque coloco como prioridade o que sinto na consciência, onde está a Tua lei, que esta é a Tua vontade e que devo cumpri-la, independente do que eu venha a sofrer.



            Abençoa-me, Pai, pois sinto a estrada cheia de espinhos... mas tenho que ir avante!



Publicado por Sióstio de Lapa em 01/12/2022 às 00h01
 
30/11/2022 00h01
ASCENÇÃO DOS PORCOS – 5-CORVOS

            Vejamos uma fábula da floresta, por Caio Coppola, publicada há 3 semanas no Youtube, que considero uma pérola de criatividade dentro da verdade coberta pela mentira e que vou apresentar dividida para não ficar muito cansativa.



            Provisoriamente, um velho Morcego assumiu o reinado, afinal de contas ele era o único mamífero que voava, ou seja, ele tinha características tanto dos tucanos quanto dos porcos.



            Ocorre que a crise que já era seríssima, foi agravada por uma longa seca, uma praga mortal e um grande incêndio. Eram as maiores tragédias que a floresta já havia enfrentado e os animais em sofrimento clamavam por uma solução milagrosa ou quem sabe, um Salvador da Selva.



            Confinado confortavelmente em uma cocheira lá nos fundos do estábulo, o Javaporco, antigo pai dos bichos, enxergou uma oportunidade e voltou a conspirar com velhos aliados.



            Aos papagaios pediu que divulgassem seu discurso culpando o novo reinado pelos infortúnios. As corujas, pediu que ensinassem aos filhotes como seu governo havia sido justo e próspero; aos corvos pediu que fosse absorvido, afinal, foi o Javaporco que indicou os pássaros de penas pretas como juízes supremos da floresta.



            Com sua habitual astúcia o corvo decano respondeu a pedido do suíno: “Não podemos absolve-lo, há provas contundentes contra a vossa porquice, contudo é possível fazer algo de efeito similar.



            O Tribunal dos Corvos reuniu as gralhas, as maritacas, as arapongas e todas as aves de piado insuportável por um anuncio importantíssimo: “Estamos aqui reunidos para reparar uma grave injustiça cometida contra um formidável suíno que tanto contribuiu para a nossa floresta”.



            O Corvo seguiu com a leitura do seu parecer. A prisão de autoridade animal não pode se dar por aclamação, ela requer um julgamento formal, conforme decisão de ontem desta Suprema Corte dos Corvos. Assim, declaramos nula a condenação contra o Javaporco, pedimos desculpas pelo seu encarceramento e decretamos sua imediata soltura.



            Uma das gralhas menos estúpida, quebrou o silencio sepulcral e questionou o eminente pássaro: “Vossa Corvisse, não seria o caso de realizar um novo julgamento já que há tantas evidências contra o réu?”



            O Corvo magistrado já tinha sua resposta na ponta do bico: “Não haverá novo julgamento, pois, o acusado tem idade avançada, nosso velho Javaporco já sofreu demais com esse processo e a floresta perdeu seu direito de puni=lo por algo que aconteceu há tanto tempo”.



            As aves quase se depenaram ao bater em revoada para espalhar aos berros a notícia. Ao saber da novidade, micos, macacos, guaxinins, fizeram o L com a palma das mãos e gritavam das copas das árvores: “Porco Livre! Porco Livre! Porco Livre!”



            Até alguns tucanos mais desavergonhados desceram de cima do muro para rolar na lama junto com os suínos. E fizeram isso, mesmo sabendo que o barro misturado com esterco estragaria suas penas para sempre e eles nunca mais conseguiram voar.



            A porcaria que cobre de lama da iniquidade o nosso país, parece com essa floresta dominada pelo Javaporco. Felizmente nós, humanos, temos a condição de pedir ajuda transcendental, ao Pai que tudo criou e que espera nos ver chegar próximo dEle, mesmo que passemos por provas duríssimas a fim de burilar o nosso espírito.



Publicado por Sióstio de Lapa em 30/11/2022 às 00h01
 
29/11/2022 00h01
FESTA DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO

            Ontem, dia 28-11-22, foi a abertura da festa da padroeira da cidade de Ceará-Mirim, Nossa Senhora da Conceição.



            Por eu ter aberto o meu senso de discernimento e ver com mais clareza a guerra espiritual que se desenvolve desde o início dos tempos, fiquei curioso de ver como ela estava acontecendo.



            Fui até lá sozinho, disposto a ser um simples observador. Encontrei apenas dois conhecidos, um quando cheguei e outro quando já estava saindo, da minha visita por cerca de uma hora. Muita gente fora e dentro da igreja, e quando já estava saindo, por volta das 8h30, continuava chegando mais gente.



            Refleti que esse evento era importante para informar as pessoas o papel que a padroeira, Nossa Senhora da Conceição, teve ao aceitar a proposta de Deus de ser o pai do seu filho, mesmo ela sendo virgem. Ela aceitou a proposta e gerou filho de Deus que veio com a missão de ensinar à humanidade o Caminho ladeado pela Verdade para conduzir a pessoa em espírito à Vida eterna.



            Quando cheguei, fiquei um pouco parado em frente a igreja, ouvindo o que o padre estava falando. Ele lia um trecho do Evangelho de Mateus, onde um oficial pedia ajuda ao Mestre Jesus para curar um seu subordinado e quando este ouviu do Mestre sua determinação em atender ao pedido, ele disse que não era preciso o Mestre ir até sua casa, bastava dar a ordem com suas palavras que seu servo seria curado.



            O Cristo realmente fez a cura do servo à distância e comentou que não tinha ainda encontrado tanta fé em seu povo como aconteceu com o oficial romano.



            Percebi, mais uma vez que a essência de todo o trabalho do Cristo foi baseada na fé. A pessoa devia acreditar no transcendental onde tudo provinha de Deus.



            Agora, será que essas pessoas que vieram a igreja participar dessa festa, têm a fé que o oficial romano demonstrou e que o Cristo espera que tenhamos? Parece que não.



            Circulei por todos os pontos da festa. A maioria era de pontos comerciais para a venda de alimentos, de jogos, de brincadeiras, de bebidas, inclusive alcoólicas. Só encontrei um ponto que oferecia um trabalho mais próximo da espiritualidade. Era uma banca com folders para possíveis doadores assinarem em benefício de uma Casa de Caridade para idosos. Fiz o meu cadastro e levei mais alguns folders para a Clínica Bem-Estar para que os clientes tenham oportunidade de contribuírem se assim desejarem



            Faço uma avaliação de que 99% dessas pessoas que estavam ao redor da igreja tem um foco mais no apelo mundano do que no apelo espiritual. Aquelas que estavam dentro da igreja podem ter um maior nível de espiritualidade.



            Com o avanço do comunismo até dentro das igrejas, o cristianismo vai perdendo a sua tradição, a fé e o mundo se ver a mercê do domínio de outras práticas que estão longe das lições do Cristo. Mas como a evolução sempre acontece na direção do Bem, da procura de Deus, todo esse avanço deve servir para encontrarmos formas mais seguras de seguir no Caminho que o Cristo nos ensinou.



Publicado por Sióstio de Lapa em 29/11/2022 às 00h01
 
28/11/2022 00h01
RESGATE DA CONFIANÇA (SONHO 27-11-22)

            Estava passeando com minha amiga M. Já tive vários encontros com ela, inclusive jantei sozinho com ela em sua casa, sempre na condição de amigos. Mesmo desejando ter uma relação afetiva mais aprofundada com possibilidade de sexo. Mas nunca encontrei espaço para esse aprofundamento, e seguindo os caminhos do Amor Incondicional e a bússola do Cristo, de fazer ao próximo aquilo que desejo ser feito a mim, eu não via como entrar nesse caminho de intimidade afetiva como desejava, sem ferir os meus princípios espirituais. Sempre terminava nossos encontros com abraços, por mais afetuosos que fossem, mas sempre sem ser invasivo.  



            Neste sonho estávamos mais uma vez passeando sozinhos. No momento que eu perguntei como estava ela com seus relacionamentos afetivos, ela ficou um momento calada e depois confessou. Eu não sou o que você pode imaginar que eu sou. Eu tenho namorados e fico mais à vontade com eles. Mas com você tenho certo bloqueio, não consigo evoluir da forma que eu sou... não lembro como foi meu comportamento. Seguiu o sonho...



            Fomos a casa de um amigo e lá encontrei duas pessoas amigas que também são amigas de minha companheira. Não fiquei preocupado por mim nem por minha amiga, pois ambos sabemos como é a minha forma de pensar e de me relacionar, e que minha companheira sabe também, e que, o que estamos fazendo não implica em traição. Porém minhas amigas também sabem disso e criticam minha companheira por ela se permitir viver comigo nessas circunstâncias. Notei que elas faziam perguntas, procuravam saber o nome da minha amiga, e ela respondia sem defesas.



            Saí por um momento para comprar uma quentinha com alimentação e quando voltei fui sentar com minha amiga, sendo observado pelas duas. Estava na mesa com minha amiga, comendo da mesma quentinha, quando minha companheira surgiu, trazia consigo espetinhos ainda quentes. Fiquei surpreso, mas não houve nenhuma confusão, ninguém reclamou de ninguém. Mas imaginei que as duas entraram em contato com minha companheira, disseram a situação e aconselharam dela vir e trazer alimentação, e assumir o seu lugar como minha companheira. Foi isso que imaginei que ela fizera.



            Percebi logo em seguida que estava somente na companhia de minha companheira e perguntei onde estava minha amiga. As duas responderam, com ar de vitória, que ela havia ido embora. Olhei o caminho e não vi ninguém. Não vacilei, pedi desculpas e saí na carreira em busca de minha amiga. Ao dobrar uma esquina encontrei minha carteira de documentos e cédulas que havia caído quando eu fui comprar a comida e não havia percebido. Voltei a coloca-la no bolso da bermuda que estava usando e continuei na corrida. Encontrei minha amiga que já ia em direção ao Uber que havia pedido, cheguei perto dela e disse para cancelar, que era eu que iria leva-la para casa, pedindo desculpas por não ter percebido quando ela havia saído de perto de mim.



            Ela aceitou o convite e o pedido de desculpas e a conduzi para casa... não tenho mais memórias do sonho, acredito que eu tenha acordado nesse ponto.



            Entendo que foi meus mentores espirituais que permitiram que eu fosse testado em função da prática dos meus princípios que sempre defendo dizendo que estão associados à vontade de Deus e não aos meus desejos carnais. Faço agora as seguintes reflexões...



            Primeiro e o mais importante, foi o resgate da confiança. Eu saí com minha amiga na base da confiança, que ela iria ser respeitada e tudo que eu fizesse era em benefício do seu crescimento pessoal e não para atender os meus desejos egoístas. Se aconteceu tal fato constrangedor da minha companheira ter chegado e ter lhe deslocado da posição que estava comigo, e que foi motivo dela ter se afastado e se retirado de forma humilhante, eu deveria ter evitado isso se tivesse percebido a manobra antes. Como isso não aconteceu de imediato, mas logo que percebi o que acontecera, corri, literalmente, para remediar a situação. Pedi perdão pelo acontecido e felizmente minha amiga reconheceu a situação, que eu não havia percebido nem ela havia dito nada. Perdoou a minha falta de atenção e recobrou a confiança que tem em mim, permitindo que eu a conduzisse de volta para casa. O ponto positivo para nós de tudo isso, foi a lição que ficou, de quem somos e quem são as pessoas que estão ao nosso redor.



            Segundo, o encontro da carteira quando eu ia correndo à procura de minha amiga. É uma sinalização de que eu poderia ter perdido algo importante quando fui em busca da compra de alimentação para mim e minha amiga. O fato de eu ter encontrado a carteira nessa busca da amiga que saiu daquele encontro constrangida, mostra que eu estou firme nos meus princípios, fui ameaçado de perde-los, mas consegui resgatá-los.



            Terceiro, uma reflexão importantíssima, também, mas que não depende de mim a sua conclusão mais coerente. Diz respeito à minha companheira. Ela recebeu a notícia de suas amigas de que eu estava sozinho com uma amiga e que devia aparecer com alimentação e assumir o seu devido lugar. Ela fez como as amigas sugeriram, mas não fez como tem acordado em se comportar para comigo. Se ela tivesse agido dentro do nosso compromisso de companheirismo, seguindo os meus princípios com firmeza e honestidade, teria trazido os petiscos que ela trouxe e sentaria junto de mim e da minha amiga. Procuraria saber como foi nosso passeio, se estava tudo bem, em que podia colaborar, mostraria o alimento que trouxera, pois soube por suas amigas que nós estávamos comendo quentinha e depois permitiria que eu fosse para a casa da minha amiga para deixa-la, sem nenhum policiamento do que poderia acontecer. Nós faríamos isso, eu iria deixar a minha amiga, todos nos abraçaríamos fraternamente, sem nenhum sentimento negativo a atrapalhar, em pleno clima de fraternidade, de amor universal. Minha companheira ficaria com suas amigas, agradeceria por elas terem avisado da situação e dela ter sido útil para melhorar ainda mais os momentos que eu passei com minha amiga. Isso a deixaria mais fortalecida, as amigas teriam o testemunho de uma ação mais próxima do Reino de Deus e mais distante da hipocrisia social em que vivemos.



            Acredito que esta última reflexão tenha sido em função de uma mensagem e situação que minha companheira compartilhou comigo. Um grande amigo dela da época que ela era freire e ele frei. A amizade deles chegava perto da intimidade afetiva, mas devido os rígidos controles da instituição e dos princípios nada evoluiu. Acontece que ambos saíram do convento, ele casou e voltou a se encontrar virtualmente com minha companheira, agora convivendo comigo. Ele sabe dos meus princípios, ela falou, do amor inclusivo que faz parte do Amor Incondicional. Ele pede para se encontrarem e desenvolverem o afeto que já tiveram um dia e bem forte. Minha companheira sabe que está liberada para tal encontro e que pode agir de acordo com sua consciência, que tolerarei tudo que ocorrer, dentro dos princípios do Amor, inclusive dela ter um filho, que pode ser registrado pelo próprio pai ou por mim, se o pai biológico tiver algum tio de impedimento.  



            Enfim, o sonho pode ter resgatado e testado várias condições. Espero que eu tenha passado em todas, frente ao meu propósito de fazer a vontade do Pai em todas as circunstâncias.



Publicado por Sióstio de Lapa em 28/11/2022 às 00h01



Página 1 de 798 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » próxima»


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr