Meu Diário
31/03/2021 00h30
SALMOS 46:5 – FRAGOR DA BATALHA ESPIRITUAL

            “Deus nela está! Não será abalada! Deus vem em seu auxílio desde o romper da manhã... Salmo 46:5. Versículo da Bíblia Sagrada Online.”

            WARRIOR NUN (Guerreiro Agora), este é o título da nova série da Netflix, que aborda num ambiente católico a luta entre o Bem e o Mal.

            A batalha espiritual está se desenvolvendo. O mundo está em polvorosa. A mentira como a principal arma das trevas, embala a pandemia do Covid aterrorizando as comunidades do mundo, fazendo com que o medo leve a destruição da economia, o desespero pela sobrevivência, pela saúde que se torna ameaçada de morte. 

            Esta série, dirigida ao público juvenil, coloca a batalha espiritual num contexto materializado, onde as pessoas eclesiásticas assumem posições de guerreiros habilitados em artes marciais, que usam armas pesadas e que se defrontam com o demônio, que entra em algumas pessoas e as fazem agir com violência descabida. 

            Esse é um aspecto da batalha, o que chama mais atenção, que leva o crente a se envolver emocionalmente naquelas lutas coreografadas das artes marciais. Do lado do bem existe um elemento de força, um halo divino próprio dos anjos que pode ser absorvido por uma pessoa especial e que torna o lado do bem capaz de enfrentar o demônio em iguais condições de manipulação da matéria.

            Mas o que chama a atenção de forma interessante e sintonizada com o que acontece hoje ao nosso redor, na batalha espiritual na qual estamos inseridos, é que o adversário do Cristo encontra uma forma de lutar dentro das próprias estruturas da igreja. Na série se observa eclesiásticos de alto padrão na hierarquia da igreja, boicotando os esforços dos combatentes do mal, chegando até a assassiná-los, como acontece com a pessoa que portava o halo divino.

            Mas será que essa estratégia de batalha que é colocada na série também se desenvolve em nossa vida real? Como o demônio conseguiu penetrar em nossa igreja católica, a principal instituição religiosa responsável por levar a mensagem de Cristo a todo o mundo? E atacando principalmente o Brasil, que está determinado pelo mundo espiritual a ser a pátria do Evangelho e o coração do mundo, segundo as comunicações advindas da doutrina dos espíritos? E usando uma estratégia católica utilitária, uma campanha da fraternidade, livre de qualquer suspeita, criada numa cidade brasileira que leva o nome de Natal, no Rio Grande do Norte? Numa cidade que evoca o nascimento, o nome do Cristo, o nosso comandante supremo nessa batalha?!

            Eis o que se transformou a Campanha da Fraternidade dentro da igreja católica. O demônio conseguiu penetrar no pensamento de autoridades eclesiásticas e deixar que o pensamento da Teologia da Libertação prosperasse e desse todas as instruções para que as estratégias revolucionárias, que levam a guerra entre os irmãos, pudessem ser ensinadas e doutrinadas em todas as paróquias, com o aval do Conselho Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que não se preocupou em se debruçar sobre o documento.

            Felizmente, o Cristo tem seus soldados em todas as dimensões da vida material, principalmente em movimentos religiosos que levam o seu nome e os seus ensinamentos, para a construção do Reino de Deus, conforme a vontade do Pai. Um desses movimentos religiosos, o Centro Dom Bosco, altamente sintonizado com a fé católica, observa os erros que irão ser colocados em prática nesta atual campanha da Fraternidade de 2021 e faz o confronto com as reais lições que o Cristo nos deixou. Faz um apelo para que a CNBB corrija o erro evangélico que deixou ser implementado no seio da igreja católica brasileira e isso faz com que a maioria dos cristãos conscientes dos postulados do Cristo vejam esses erros e se posicionem ao lado dos dirigentes do Centro Dom Bosco.

            Este é o meu caso. Não estou dentro da igreja católica por ter outras convicções espirituais, mas isso não tira o meu respeito a esta igreja que, apesar dos erros monstruosos que fez no passado, continua sendo a principal instituição religiosa que leva o pensamento do Cristo ao redor do mundo. Como sou cristão, que fortaleci minha fé com os estudos da doutrina espírita, vejo com clareza o ataque do mal dentro da igreja católica e me posiciono como aliado do Centro Dom Bosco, contra essas influencias malignas que surgem a partir de pessoas com altos postos eclesiásticos, como acontece na série que inspirou este texto. 

            Sejamos todos nós, cristãos, guerreiros agora na batalha que está em curso, para enfrentar o inimigo, lutando ao lado de Cristo, mesmo que o inimigo, o demônio, esteja colocado dentro da igreja. Deus virá em nosso auxílio, desde o romper da manhã, dissipando as trevas que por enquanto nos cobrem.


Publicado por Sióstio de Lapa em 31/03/2021 às 00h30
 
30/03/2021 00h28
TEMPO DE REFLEXÃO 

            A arma das sombras, o vírus formado nas grutas das artimanhas, da enganação, da mentira, até construir a pandemia que assola o mundo, agora assusta as pessoas que se tornam vítimas mais fáceis das falsas narrativas, da tentativa de controle mundial por elites cheias de iniquidades. Um texto que circula nas redes sociais serve para fazermos nossas reflexões sobre o que está acontecendo.

Um ano vencido após o início da devastadora pandemia e já é possível observar uma mudança nos hábitos da criatura humana, que se vê ainda encurralada dentro do próprio lar, em obediência aos limites impostos pelas autoridades sanitárias e governamentais, objetivando conter o contágio destruidor.

Nesses últimos doze meses, os encarnados foram se dando conta que a pandemia nos constrangeu a uma profunda reavaliação de nossas relações interpessoais. A febril corrida pelo ter teve que ser refreada. Os templos religiosos fecharam suas portas, impotentes para solucionar pela via do milagre a devastação causada pela contaminação descontrolada. Os arsenais nucleares jazem impotentes e derrotados diante do inimigo infinitamente pequeno. As farmácias e drogarias, abarrotadas de medicamentos diversos para tantos males e disfunções não possuíam um só antiviral que detivesse o meliante do oxigênio.

Colapso por toda parte. Comércio de portas fechadas. Bancos escolares vazios. Ruas desertas em muitos lugares. O medo nos tirou das ruas e nos aprisionou em casa.

Gregários por natureza, igualmente tivemos que limitar as visitas, os abraços, as manifestações de afeto corporal, evitando contaminar o idoso amado, a mãe velhinha e os avós idolatrados com o monstro devorador.

Começamos a perceber a nossa impotência, nossas limitações. Fugimos, quase todos, para o ambiente seguro das redes sociais. Criamos tribos, grupos virtuais, soltamos o verbo engasgado na garganta. E um festival de intolerância, sectarismo e intransigência explodiu numa sociedade ansiosa, refém. Mas tivemos uma farta messe de luz nesse período.

Frases de amor e amparo aos mais carentes. Textos de grande emoção, nos arrancando lágrimas de alegria. Cultos religiosos virtuais levaram esperança a milhões de esfaimados de fé no futuro.

E uma enorme saudade dos abraços, do convívio próximo nos está inquietando a alma. Sonhamos com a manhã ensolarada em que poderemos sair de casa, buscando a porta do vizinho para afirmar que o pesadelo acabou. Correr, livres como uma criança, pelos calçadões ou praias, exultando com a possibilidade de reencontrar aquele rosto querido que não vemos há quase um ano.

Voltar ao templo onde cultivávamos a fé coletiva, retomando as atividades que davam significado existencial a cada um de nós.

Sim, o medo nos apequenou.  A esperança nos manteve vivos.

E em meio a teorias de conspiração, fim dos tempos, ira divina, juízo final, ansiamos pela alforria que a vacina pode produzir a médio e longo prazo, nos permitindo retomar as trilhas da vida. Não como antes.

Afirma-se na sabedoria popular que um homem nunca se banha duas vezes no mesmo rio. O homem nunca mais será o mesmo, nem o rio.

Quanto aprendizado está sendo ministrado ao ser encarnado nestes dias caóticos que estamos todos atravessando! Quantas lições apresentadas pela vida ao ansioso habitante planetário! Somente agora muitos estão se dando conta de que nada compra o afeto, mercadeja o sorriso ou se parcela no cartão de crédito a felicidade. E com força inusitada a mensagem do homem de Nazaré ressurge no mundo em bancarrota moral, aproveitando os escombros de uma civilização que se extingue para construção de uma nova era. Ternura em lugar de indiferença. Solidariedade em alta. Oração e trabalho substituindo blasfêmia e ociosidade destruidora. Senso de imortalidade se fixando nas almas frágeis.

Maior intercâmbio com os seres desencarnados. Aceitação lúcida das ferramentas divinas, a consertarem o mundo em nome do Todo Amor.

Se ainda não refletiste maduramente sobre tudo isso, retira-te a um lugar à parte e cultiva teu mundo íntimo. Visita tuas entranhas emocionais. Reflete na brevidade da vida no corpo e na eternidade que te foi dada por herança divina. Descobrirás, surpreendido, que o vírus veio nos dizer tudo aquilo que insistíamos em negar.

Tempos novos. Novos tempos.

Por uma telha quebrada, o clarão de uma estrela enche tua casa mental da excelsa luz. Uma alternativa te resta: Avançar! Jesus te espera.

Marta

Juazeiro, 23.03.2021

            Esta posição espiritual é confortadora dentro deste clima de medo que envolve todas as pessoas. Entendemos que a morte como os materialistas entendem é diferente. A morte atinge apenas o corpo físico que se deteriora e volta para a natureza para constituir novos corpos. A vida permanece inalterada no espirito que transita do mundo espiritual para o material até completar as lições necessárias. 

            Acredito que esta pandemia foi provocada, tem a finalidade de avançar uma pauta de controle mundial onde as elites econômicas passam a controlar a vida total dos cidadãos, acabando com a liberdade. Isto é contrário ao Reino de Deus que está previsto pelo próprio Criador. Esse controle mundial pelas elites econômicas forma um projeto de escândalo frente ao divino, que se torna necessário para alavancar os comportamentos cristãos, mas ai de quem provoca esses escândalos. Certamente essas pessoas pertencem ao grupo que será desterrado para outro planeta, mas adequado a sua situação animalesca, egóica.  


Publicado por Sióstio de Lapa em 30/03/2021 às 00h28
 
29/03/2021 00h28
A LUTA DAS BORBOLETAS

            Um dia uma pequena abertura apareceu em um casulo. Uma pessoa sentou e observou por várias horas. A borboleta se esforçava para fazer com que o seu corpo passasse através daquele pequeno buraco. Então pareceu que ela havia parado de fazer qualquer progresso. Parecia que ela tinha ido o mais longe que podia, e não conseguia ir mais. Então, a pessoa decidiu ajudar a borboleta. Ela pegou uma tesoura e cortou o casulo. A borboleta então, saiu facilmente. Mas seu corpo estava murcho e era pequeno e tinha as asas amassadas. A pessoa continuou a observar a borboleta. Ela esperava que a qualquer momento, as asas dela se abrissem e se esticassem para serem capazes de suportar o corpo que iria se firmar com o tempo.

            Nada aconteceu!

            Na verdade, a borboleta passou o tempo de sua vida rastejando com o corpo murcho e as asas encolhidas. Ela nunca foi capaz de voar.

            O que a pessoa, na sua gentileza e vontade de ajudar não compreendia, era que o casulo apertado e o esforço necessário à borboleta para passar através da pequena abertura era o modo com que Deus fazia o fluido do corpo da borboleta fosse para as suas asas, de forma que ela estaria pronta para voar uma vez que estivesse livre do casulo.

            Algumas vezes, o esforço é justamente o que precisamos em nossa vida. Se Deus nos permitisse passar através de nossas vidas sem quaisquer obstáculos, ele nos deixaria fracos e inacabados. Nós não iríamos ser fortes como poderíamos ter sido. Nós nunca poderíamos voar.

            Assim, posso refletir quando oro ao Pai. Posso pedir força, como sempre peço, mas Ele pode me enviar dificuldades para que eu me torne forte; peço sempre a sabedoria, é como um mantra para mim, mas eu me vejo cercado de problemas para resolver... posso pedir prosperidade na minha vida e nos meus negócios, mas sinto que Ele já me deu cérebro e músculos para trabalhar. 

            E quando eu peço coragem? Será por isso que tenho tantos obstáculos para superar? E quanto ao amor que sempre peço? Então é isso, Ele me manda tantas pessoas com problemas para eu ajudar!

            Eu peço favores e o Pai me manda oportunidades... parece que eu não recebo nada do que peço, mas termino por receber tudo que preciso!

            Termino por entender que cada um tem uma história, uma missão a cumprir, e cada um carrega em si o potencial de ser capaz, de ser eficiente frente ao Pai, de sentir-se feliz com o dever cumprido.


Publicado por Sióstio de Lapa em 29/03/2021 às 00h28
 
28/03/2021 00h27
GUERRA CIVIL

            Frente as constantes agressões feitas aos princípios democráticos e a própria justiça, com pessoas condenadas sendo libertadas e os críticos de tais ações sendo presos por determinações do Tribunal Superior, desperta uma animosidade crescente que leva ao risco de uma guerra civil, como demonstra um texto que circula nas redes sociais, que iremos repassar aqui para nossa reflexão.    

REPASSANDO DE UM GRUPO DA ESCOLA SUPERIOR DE GUERRA

By Gelio Fregapani - COMENTÁRIO GEOPOLÍTICO -19 de março de 2021

Teremos uma guerra civil? Nem sempre podemos evitar os conflitos, e o pior deles é a Guerra civil. Lamentavelmente a vemos se aproximar cada vez mais.

A moderna ciência dos conflitos, a Polemologia, nos ensina que, quando há divergências irreconciliáveis e forças equivalentes e reativas, estão prontas todas as condições para o conflito, ao qual, conforme o vulto, chamamos de guerra. Pois bem, assim que a maioria do nosso povo afastou do poder o grupo esquerdista na eleição de 2018, afloraram as divergências irreconciliáveis.

Entretanto, a mesma ciência também reconhece que, quando um dos lados dispõe de uma força muito superior à do adversário o lado mais fraco evitará o conflito e, se houver, será esmagado como aconteceu com as guerrilhas comunistas de 1968.

A vitória do nosso grupo, o nacionalista, conservador e liberal na eleição foi tão                                                                                                                                                                                                                                                                                                                               acachapante que desarticulou as forças reativas da esquerda, momentaneamente abandonada por sua enorme manada de corruptos que se beneficiava das propinas e mesmo de roubos descarados. Isto nos deu alguma sensação de tranquilidade pois que, por maior que fosse o fanatismo dos seguimentos esquerdistas, as reações violentas que tivessem seriam derrotadas da mesma forma que foram em Xambioá. Acreditava-se inclusive que até os comunistas haviam aderido às teorias de Gramsci e desistido da luta armada.

A situação foi se alterando.  Grande parte dos corruptos que perderam suas boquinhas ou estavam ameaçados de perder começou timidamente a demonstrar seu desagrado; diversos políticos até então aliados (e eleitos por fingir apoiar o Bolsonaro), sentindo uma mudança de vento tornaram-se seus mais ostensivos inimigos, e o STF, ultrapassando sua função de julgar, passou a legislar provocando propositalmente o caos jurídico e administrativo no País, esperando uma reação enérgica para acusar o Presidente de estar dando golpe na democracia, juntamente com o presidente da Câmara que bloqueava todas as medidas presidenciais para que o governo não desse certo. Então, com diversos governadores, inclusive ex aliados se reuniram aos trânsfugas Moro e Mandetta num primeiro complô para retirar o presidente e, por um instante, chegou a abalar a opinião pública, sustentáculo do Governo.

Bolsonaro saiu da armadilha usando apenas a verdade e manteve o apoio da opinião pública, mas o esquema político que parecia sólido não o era. Para piorar ainda veio a epidemia do Corona Vírus em auxílio dos opositores, que a aproveitaram não se importando com as mortes que causavam nem com a quebra da economia. Nisto foram muito bem-sucedidos, instilando medo na população e atribuindo a culpa das mortes ao Executivo, de mãos atadas pelo STF. Além do desmanche do esquema político, a opinião publica já apresentava fissuras, e os aproveitadores corruptos dos governos passados, muitos ainda em posições importantes, foram aparecendo de volta e, amparada pelo STF, a esquerda ideológica foi avançando na preparação da luta armada; vai formando tropas de combate inclusive com estrangeiros com formação militar. Fachin, Ministro do STF, liberta milhares de bandidos (juntamente com Lula) e proíbe a policia de entrar nas favelas. Escondem armas em lugares estratégicos nas favelas do Rio e SP. Ou é para enfrentar o governo no caso de intervenção militar ou é para criar o caos na segurança pública. Assim as forças reativas da oposição tornavam-se cada vez mais fortes.

José Dirceu, entre outros, dissera que o poder será tomado a força, mas é claro que não pretende enfrentar o Exército em campo raso. A aposta dele está em uma convulsão social, provocada pelo caos completo onde haverá as greves, o banditismo e os saques generalizados. Então farão ataques e saques simultâneos que as forças estaduais e municipais não conseguirão coibir, e a população já apavorada pelo Corona Vírus, acostumada a se acovardar, acatará as imposições.

Na verdade, já estamos no início da guerra. Os 35 mil presos não foram libertados com alguma intenção como reforçar o efetivo de combate da guerrilha e forçar o Exército a agir em antipáticas missões policiais contra as massas famintas, perdendo o prestígio que ainda conserva.

Em outra frente, o STF tentará afastar Bolsonaro do governo alegando nulidade das eleições através de provas forjadas no inquérito das fake news. Para isto o ministro Barroso teria assumido o TSE. 

Tudo faz parte de um plano, de um grande Acórdão para sabotar o governo em plena pandemia.

A verdade é esta, e só não enxerga quem não quer ver. Está evidente que as forças reativas da facção esquerdista/globalista acreditam que suas medidas pseudo legais consigam neutralizar o Exército e esperam só ter que enfrentar os nacionalistas de dentro e de fora do Exército, mas mesmo assim nós dispomos de uma motivação superior: somos milhões dispostos a lutar até a morte pelo nosso País, enquanto os que querem apenas tomar os bens dos outros podem até matar, mas dificilmente estarão  dispostos a se sacrificarem por isto. Os que, por ideologia (de ambos os lados) estão dispostos a lutar até a morte são muito poucos; talvez nem encham um Boeing. Pois que aproveitem o avião e sigam para uma terra onde se pratique as ideologias que amam, se conseguirem encontrar uma.

Claro que não queremos uma guerra civil, mas se houver, lutaremos. Não será em nome de ideologias, mas em nome de Deus e da Pátria.”

            Uma análise bem lúcida do que está acontecendo. Mas colocando o viés espiritual, de Jesus, nosso comandante neste combate espiritual que está se desenvolvendo, como prévia dessa guerra civil, temos esperança que ela não irá acontecer. Certamente, o Mestre irá mostrar sua força divina contra as forças do mal que querem desestabilizar nossa pátria e tirá-la da missão de ser a pátria do Evangelho e o coração do mundo.


Publicado por Sióstio de Lapa em 28/03/2021 às 00h27
 
27/03/2021 00h26
SALMO 4 – PRAZERES E NECESSIDADES

            Pai, obrigado por me responder nas minhas dúvidas e conflitos, no que me faz justiça conforme os méritos que eu alcance ao Teu olhar.

            Sei que Tua justiça é perfeita, como perfeito És em tudo. Como funcionará Tua justiça comigo? Não tenho maldade no coração, mas tenho preguiça nas ações. O maldoso faz coisas contrário ao que queres; o preguiçoso não faz o que queres. As duas são atitudes negativas e mesmo que pareça o mal ser mais prejudicial, ambas são motivos de compaixão, e por mim eu rogo, quantos por isso vivem suas vidas enredados em tais conflitos. Peço alívio e compreensão, pois sabes que me fizestes, assim como a cada um dos meus irmãos, simples e ignorante.

            Alivia a minha incompetência em eliminar os meus defeitos e vícios; ouve a minha oração, a minha angustia embutida na falsa esperança, que no dia seguinte eu possa tudo resolver.

            Até quando os prazeres do mundo ou as necessidades da carne ainda prevalecerão sobre minha vontade, que desviarão o meu livre arbítrio das minhas mais convictas intenções e mancharão a minha honra diante do tribunal divino?

            Sei que estou posto materialmente num mundo ilusório das formas físicas, que o tempo tudo transmuta, que amanhã posso não estar mais aqui respirando esse ar temperado pela maresia ou pela fuligem dos carros. São mentiras que ofuscam o meu espírito e que hipnotizam meu Behemoth, que despertam os meus instintos... fazem meu corpo se dirigir como um autômato em busca de prazeres frugais e fugazes.

            Sei que o Senhor me escolheu para ser o Seu instrumento, certamente viu em mim o que não consigo ver. O que me contenta é que sei que Ele está sempre perto de mim, que me escuta e sonda o meu coração, e por isso não se afasta de mim, pois sabe que sou honesto nas minhas solicitações, que estou disposto a ser o instrumento que Ele espera, mesmo que eu mesmo não saiba do meu potencial.

            Jamais ficarei irritado com o Pai, pois sei da Sua extrema bondade e sabedoria e que tudo de bom deseja para os filhos, que Ele espera que cada um se desenvolva as suas próprias custas para que não seja um robô teleguiado. Refletirei a cada dia ao aquietar-me no leito, o que tal sofrimento ou enigma eu tenho que sofrer ou resolver, como mais uma prova que o Pai coloca ao meu alcance, para eu mesmo avaliar o meu grau de evolução. 

            Sei que o Pai exige sacrifícios como um teste de nossa resiliência, nossa obediência, de reconhecer uma forma de aprendizado dentro do sofrimento. Uma forma de ser capacitado para desfrutar o bem e felicidade que a evolução fará resplandecer sobre nós, que encherá nossos corações de alegria maior do que aquela patrocinada pelo vinho ou qualquer tipo de droga em nossa mente, de pão em nosso corpo.

            Assim, em paz me deito, em paz me levanto; logo adormeço, logo estou disposto. No Pai vivo, no Pai me sinto seguro e confiante que um dia estarei participando da Sua imensa sabedoria, mesmo que na forma de uma simples e insignificante célula animada.


 

 


Publicado por Sióstio de Lapa em 27/03/2021 às 00h26



Página 3 de 677 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr