Meu Diário
27/01/2023 00h01
CAÇA ÀS BRUXAS

            Vejamos um artigo publicado no Estadão, um veículo da mídia tradicional, que merece a nossa reflexão.



COMEÇOU A CAÇA ÀS BRUXAS!!!



ESTADÃO



04/01/2023



J. R. GUZZO



O governo Lula criou, já nestes seus primeiros dias de atuação, um serviço oficial de repressão à discordância política – algo que o Brasil nunca teve antes em toda a sua história, mesmo nas ditaduras mais evidentes. É isso, e apenas isso, embora digam que é outra coisa. Por decreto assinado pelo presidente, existe desde o dia 3 de janeiro uma “Procuradoria Nacional de Defesa da Democracia”, um tipo de polícia ideológica disfarçada em órgão da justiça, para combater “atentados” à eficácia do que chamam de “políticas públicas”. Que diabo quer dizer isso, exatamente? É crime, agora, dizer que uma “política pública” é ruim? Fazer isso, obviamente, é contestar sua eficácia. Não pode mais, a partir de agora? Em suma: fica proibido falar mal do governo?



O decreto, como sempre acontece neste tipo de coisa, vem carregado de palavrório em favor da virtude – falam ali em “democracia defensiva”, em combate à “desinformação” e em defesa de medidas de política “ambiental”. É tudo dinheiro falso. “Democracia defensiva” é objeto não-identificado na prática de regimes baseados na lei. “Desinformação” é toda a informação que o governo não queira que se publique. Defesa de medidas voltadas ao ambiente é não abrir a boca para discordar de uma política ambiental baseada na multa, na repressão e na sabotagem à produção. A nova Procuradoria Nacional de Defesa da Democracia é, quando se desconta essa mentirada, mais um instrumento de perseguição ao adversário político – talvez o pior de todos os que se anunciam a cada cinco minutos desde que Lula assumiu o governo. Na verdade, quase não se faz outra coisa: falam em processo penal contra manifestantes que estão na rua, mais poder para os fiscais, punição para integrantes do governo anterior, censura, quebra por atacado de sigilo telefônico e de computador, Polícia Federal e por aí afora.



“Democracia popular”, do tipo que se pratica em Cuba ou Venezuela e que é a única admitida pelo PT, é isso. Passaram a campanha eleitoral inteira dizendo que o regime democrático e o Estado de Direito estavam sendo destruídos pelo governo – e que era indispensável votar em Lula para salvar um e outro. “Defender a democracia”, no seu manual de operações, é suprimir as liberdades públicas e os direitos individuais. Contaram com o STF para fazer isso. Agora contam, além dele, com toda a máquina do Estado – a que já existe e novidades como a nova procuradoria e os seus inquisidores. Criticar na imprensa os possíveis desastres que a política econômica do ministro Haddad promete trazer, e trazer bem logo – isso seria, por exemplo, um delito a ser castigado? Afinal, política econômica é “política pública”, não é mesmo?



Outro problema é o Congresso Nacional. O que vai acontecer com os deputados e senadores que protestarem contra as “políticas públicas” sobre invasão de terras, ou demarcação de territórios indígenas, ou libertação de criminosos das penitenciárias através do “desencarceramento” que tanto encanta o governo Lula? Serão punidos pela Procuradoria Nacional de Defesa da Democracia? E protestar na rua contra essas e outras “políticas” – os manifestantes vão ser denunciados à justiça, ou indiciados no inquérito perpétuo do ministro Alexandre de Moraes para a repressão de “atos antidemocráticos”?



 O novo advogado-geral da União, velha figura do governo Dilma Rousseff, disse ao anunciar a criação da Procuradoria que “ataques às instituições” não vão ser mais “tolerados”. Quando se leva em conta que “ataque às instituições” pode ser, a qualquer momento, o ato de falar mal do governo, dá para se ver bem o que estão querendo.



https://www.estadao.com.br/politica/j-r-guzzo/lula-cria-policia-ideologica-disfarcada-de-orgao-da-justica/



            É surpreendente ver tão rápido, dentro da primeira semana da mudança do presidente da república, um texto publicado por um veículo da grande mídia, informando a VERDADE do que está acontecendo, sem construir FALSAS NARRATIVAS como estávamos acostumados a ver, ouvir ou ler.



            Lembro da síndrome do sapo fervido. Vários estudos biológicos provaram que um sapo colocado em um recipiente, com a mesma água da sua lagoa, fica estático durante todo o tempo em que aquecemos a água, até que ela ferva. O sapo não reage ao gradual aumento da temperatura (mudança do ambiente) e morre quando a água ferve. Inchadinho e feliz.



            Isso é o que está acontecendo em nosso país. O socialismo começa a aumentar a temperatura e nós, o povo/sapo não reage a esse aquecimento que vai crescendo cada vez mais. O sapo não possui mecanismos de aferimento da temperatura e dos riscos que ela pode trazer. O povo sim, possui esses mecanismos através das pessoas de bem, conscientes dos valores éticos, morais e eclesiásticos e que tem por dever o ensino e a prática dos bons costumes. São essas pessoas, geralmente em cargos públicos ou privados, que têm o dever de anunciar o perigo.



            Observamos que a prática do socialismo como está a serviço de uma entidade maligna (guerra espiritual) e não a favor do povo que tem a missão de construir o Reino de Deus conforme nos ensinou o Cristo, tende a calar a boca dessas pessoas que são os termômetros da sociedade. É o que observamos com as leis e repartições que estão sendo criadas celeremente no Brasil.



            É chegado o momento em que os diversos termômetros do nosso corpo social devem funcionar, mesmo sob o risco de eles serem danificados ou quebrados. O corpo social precisa de nós, termômetros da temperatura do mal que começa a degenerar a nossa vitalidade criada pelo Pai e ensinada pelo Cristo.



Publicado por Sióstio de Lapa em 27/01/2023 às 00h01
 
26/01/2023 00h15
RELATO ANÔNIMO

            Este relato anônimo que circula nas redes sociais eu não poderia deixar de dividi-lo aqui com os meus leitores



Relato de um policial federal: “Acordei agora, estava desde anteontem na Academia da PF, convocado para apoiar os procedimentos.



Resultado, 1230 novos presos políticos no Brasil.



"Crimes" com penas de 15 anos ou mais. Todos de uma vez só, nos mesmos artigos, sem investigação, sem provas e sem individualização de conduta, ou seja, de "quem fez o quê".



Em sua grande maioria pessoas humildes decentes, famílias inteiras cujo "crime real" foi apenas estarem acampados em frente ao QG do exército, acreditando estarem protegidos por ele, se manifestando por liberdade.



Mas foram traídos e "entregues" exatamente por "judas fardados" que eles acreditavam os estarem protegendo.



Acusados por crimes que, em sua enorme maioria, foram cometidos POR OUTRAS PESSOAS.



Gostaria que cada brasileiro que apoia esse expurgo ideológico pudesse encarar o olhar de desespero e súplica nas faces dessas pessoas simples ao perguntar se seriam mesmo presos, tendo a plena consciência de que não haviam cometido nenhum crime e sem conseguirem acreditar que sofreriam uma injustiça desse tamanho.



Espero SINCERAMENTE que todos que ficam rindo ou apoiando ações tirânicas como estas sejam DURAMENTE COBRADOS por suas consciências, agora ou quando "sua vez chegar", porque vai chegar, não se iludam, porque sua vez VAI CHEGAR.



E quando sua vez chegar, ou sua consciência "pesar", espero que a visão da face de uma senhora de 57 anos, aposentada, simples, que estava no acampamento ajudando cozinhando para os demais, e que fica sabendo que irá para um presídio acusada de "crimes" com penas que ultrapassam 15 anos, que a visão de seus olhos marejados se fechando em uma prece sussurrada, espero sinceramente que cada lágrima que escorria silenciosamente de sua face o queime profundamente até os ossos e pese toneladas em sua consciência vil.



            Não se alimenta um MONSTRO desses sem esperar que um dia ele morderá a mão que o alimentou.



Sem palavras, para quem trabalhou mais de vinte anos lidando apenas com vagabundos da pior espécie, esses dois últimos dias foram os piores de toda minha carreira, e que nunca esperava ter que passar. Me concentrei em resgatar das barracas todos acima de sessenta anos para uma liberação rápida. O pior foi no segundo dia quando só sobraram os abaixo de 60. Triste. Aí eu procurava selecionar os que possuíam comorbidades comprovadas para também serem liberados. O pior foi ver todos os demais serem invariavelmente presos. Tive uma pequena ideia de como se sentiu Schindler. Triste. Aposentadoria agora é o caminho.



Nosso país está doente, gravemente doente. Muitos não têm ideia do que estamos vivendo. A ficha ainda não caiu.



Nicarágua, Venezuela e Cuba é pouco, estamos indo rumo ao "gueto de Varsóvia". E rápido, muito rápido.



Quando começarem a prender todos de um prédio porque "alguém do prédio" é procurado, talvez aí acordemos. Foi exatamente o que fizeram.”



Anônimo.



Sei o temor que o policial federal teve ao escrever esta carta. Eu poderia também estar com o mesmo temor se tivesse no lugar dele. Mas, se eu tivesse um pouquinho a mais de coragem, eu teria assinado integramente os sentimentos que é passado no texto e que eu também os sinto. Acredito que todos os meus leitores que chegaram até aqui, também tenham a mesma disposição íntima de solidariedade aqueles brasileiros patriotas que se esforçaram para se manterem em nível de resistência contra o mal que está se instalando no Brasil.



Mas fiquemos firme em nossa resistência contras as forcas das iniquidades, do poder do mal, afinal o nosso líder, Jesus Cristo, jamais perdeu uma luta com o inimigo de nossas almas.



Publicado por Sióstio de Lapa em 26/01/2023 às 00h15
 
25/01/2023 00h01
O REINO DE DEUS ESTÁ PRÓXIMO

            O Reino de Deus está próximo, assim disse Jesus, assim acredito.

 

 

            O Reino de Deus esta tão próximo que está dentro dos nossos corações. Basta que o limpemos do egoísmo para o tornar capacitado a fazer a vontade do Pai.

 

 

 

 

            Acredito que o meu coração já esteja limpo suficientemente do egoísmo para iniciar essa missão, de fazer a vontade do Pai hoje, vinte séculos depois da vinda de Jesus entre nós.

 

 

 

 

            Estamos vivendo momento que a igreja está dividida, a Fumaça de Satanás penetrou nas estruturas eclesiásticas da Santa Igreja Católica e as trevas avançam sobre o mundo.

 

 

 

 

            O Brasil foi escolhido para ser a pátria do evangelho e o coração do mundo. Tivemos um presidente honesto e temente a Deus nos últimos quatro anos, e que foi eleito de forma miraculosa. Mas as trevas conseguiram afastá-lo do poder, apesar do povo de Deus terem ido às ruas em todo o país, orar pela proteção, para que não perdêssemos a nossa liberdade e ficássemos escravizados pelo inimigo de nossas almas.

 

 

 

 

            Deus não ouviu as nossas preces como queríamos, de imediato. Ele espera que provemos a nossa fé com ações.

 

 

 

 

            Lembremos que o Cristo veio nos ensinar com palavras e ações. Pois são essas palavras do Cristo que devemos coloca-las em ação.

 

 

 

 

            Da casa dividida que Satanás quer deixar nossa humanidade, lutemos para construir a unidade em torno da Cruz de Cristo, o símbolo da última lição que Ele nos deixou, derrotando Satanás do alto do seu sacrifício, consciente e coerente com a vontade de Deus, em favor de uma humanidade mergulhada nas trevas da ignorância.

 

 

 

 

            Foi esse ato simbólico feito no alto de uma cruz que funciona como fonte de Luz para nossas consciências.

 

 

 

 

            Resgatemos hoje, mais uma vez, a pureza das lições do Mestre. Façamos mais uma vez uma ação monástica/militar semelhante aquela dos antigos Templários.

 

 

 

 

            Ressuscitemos a Nova Ordem de Cristo e vistamos a armadura do guerreiro da Luz, do Reino de Deus, conforme Paulo nos instruiu em Efésios.

 

 

 

 

            Seremos identificados com a Cruz de Cristo em todos os ambientes, principalmente nas igrejas, nos templos e casas cristãs.

 

 

 

 

            Não teremos medo nem vergonha de mostrar as lições do Cristo, buscar a conversão das pessoas conscientes e de bom coração, nas ruas e nos meios de comunicação.

 

 

 

 

            Consideremos a Santa Igreja Católica Apostólica Romana como a principal barca que conduz os filhos de Deus, os cidadãos do Reino dos Céus. Mas que dessa barca podem sair as diversas barcas salva-vidas, em todas as direções em busca de melhor penetração nas consciências rudes, naqueles que estão hipnotizados pelas trevas, que são escravos das mentiras, das falsas narrativas.

 

 

 

 

            Usaremos a Luz da Verdade para mostrar o Caminho que nos conduzirá à Vida eterna, assim como Jesus ensinou.

 

 


Publicado por Sióstio de Lapa em 25/01/2023 às 00h01
 
24/01/2023 00h01
CONTRADIÇÃO DE DISCURSO

            Esta é complementação do texto do jornalista José Aparecido Ribeiro, que foi iniciado ontem, para completar a nossa reflexão, mostrando a situação patética e constrangedora em que chegamos.



A contradição no discurso de Lula.



O problema é que o discurso de Lula e dos seus “ministres” inflamam cada vez mais a direita e até os isentões xexelentos alienados, pois carregam mentiras que não passam despercebidas nem por um colegial semianalfabeto.



Repare no alinhamento da retórica sobre a situação dos ministérios. Todos em uníssono dizendo que está o caos, quando na verdade, o país inteiro sabe que o controle das contas no governo Bolsonaro foi rigoroso, apesar dos efeitos devastadores da pandemia e da guerra na Ucrânia. Eram 22 ministérios e agora são 37, lembra? Nenhum escândalo de corrupção em 4 anos. Sei que isso dói, mas é a pura verdade.



Ao ouvir que o cenário é de terra arrasada, o que é uma mentira deslavada e maldosa, não estaríamos sendo levianos em propor a tese de que existe em curso um plano para vender a imagem da justificativa para a famigerada "PEC do rombo", e o fim do teto de gastos que Temer, a duras penas, conseguiu fazer e entregar para Bolsonaro e sua equipe colocar o país nos trilhos, pronto para crescer. Eles enganam a parcela incauta do povo, mas esquecem que ela é minoria hoje.



Fato é que estamos na iminência de um retrocesso escandaloso que qualquer estudante de economia de primeiro período saberia prever no que vai dar. Se quisesse mesmo ser um estadista democrático, esquecendo o fato de ter sido nomeado pelo sistema e não eleito na moral, Lula deveria proibir Flávio Dino de abrir a boca, pois a cada discurso raivoso que o pederasta faz, as emoções no íntimo de milhões de brasileiros indignados, só alimentam um ódio incontrolável ao governo, a quem o apoia e a quem planejou toda essa vagabundagem que não será engolida.



Não se cala na marra com ameaças e censura uma massa de seres humanos indignados. Essas pessoas (POVO), devo lembrar, já não são mais influenciadas pelos Willian Bonner´s da vida, pelas patricinhas da CNN e da Band, pelo lero-lero da Mirian Leitão e do Merval Pereira da CBN e tantos outros SS Schutzstaffel do jornalismo nazista acampados nas redações da imprensa brasileira, doutrinados em faculdades aparelhadas pelos socialistas caviar.



Este contingente de pessoas (cidadãos de bem, traídos), possuem outros meios para trocar informações e formar opinião. O gado que o PT alimentava entre 2002 e 2015 dando pão com mortadela, já não ouve o berrante com a mesma disciplina, ou em troca de promessas de picanha com cerveja. Essa massa de alienados doutrinados diminuiu consideravelmente.



O projeto de 50 anos para a revolução cultural (Gransmissista), exitoso na América Latina e em curso debaixo do bigode dos intelectuais oportunistas, artistas e jornalistas de esquerda vaidosos, não se sustenta no Brasil pela lábia apenas, ou pelas manipulações e arranjos políticos, terá que ser à "fórceps" com reações proporcionais, fraudando urnas, calando inimigos com ameaças, mudando leis, rasgando a constituição, ou no confronto, tudo na lógica dos “fins justificando os meios”.



Recolhido à minha insignificância de jornalista e filósofo de formação, prevejo dias de ira pela frente, isso porque paira no ar um sentimento terrível de indignação contido no peito de uma massa que soma mais de 65 milhões de pessoas, que não vão cruzar os braços e assistir pacificamente o que se desenha tenebrosamente no horizonte do Brasil.



Tenham juízo senhores políticos e representantes do “sistema”, ou muito sangue será derramado em breve nas ruas das cidades brasileiras, é apenas uma questão de tempo. O recado vale para os generais melancia traidores, os de pijama acomodados, que se alimentam de bajulações em clube militares, e os vaidosos covardes.



Não adianta correr quando o povo em fúria toma as ruas, lembrem-se das suas aulas de história e não sejam cínicos como os inimigos que tomaram o poder na marra, diante do seu silêncio, debaixo do seus bigodes e flagrante omissão.



J.A Ribeiro é Jornalista, licenciado em Filosofia.



www.conexaominas.com – jaribeirobh@gmail.com – Wpp: 31-99953-7945



            Texto muito esclarecedor do que está às nossas vistas, basta não está hipnotizado ou cooptado, ter olhos para ver e ouvidos para ouvir



Publicado por Sióstio de Lapa em 24/01/2023 às 00h01
 
23/01/2023 00h01
DETONADOR DE GUERRA

            Este é outro texto que circula nas redes sociais e que mostra a situação precária que passamos a viver, num país dominado pela cleptocracia.



Brasil na iminência de uma Guerra Civil. Flávio Dino é o responsável por acionar o detonador



POR: José Aparecido Ribeiro - Jornalista - Licenciado em Filosofia.



O ministro da justiça do governo nomeado de Lula é uma versão moderna de Franz Schlegelberger, o responsável no Reich Alemão por instituir e apoiar os procedimentos de perseguição aos Judeus e Polacos.  Aqui os perseguidos são os “bolsonaristas”.



O signo da palavra justiça simboliza em democracias adultas, respeito e equidade na aplicação das leis, acesso aos ritos processuais, tendo a Constituição como referência sagrada e inviolável.



Antes mesmo do “sistema” dar posse ao seu representante nas eleições de 2022, o descondenado Lula, a justiça virou um samba do crioulo doido, cheia de contradições, abusos e violações bárbaras.



Na prática o que se vê é o oposto de justiça, pelo menos nas ações estapafúrdias e tirânicas da Suprema Corte - STF, e no discurso do pederasta Flávio Dino, ministro da "justiça" de Lula que parece desprovido de equilíbrio e discernimento para o exercício do cargo.



Se pudesse, o político raivoso do Maranhão abraçaria Randolfe Rodrigues, Senador encrenqueiro e juntos apertariam o botão da latrina dando descarga em 65 milhões de pessoas, que eles chamam de “fascistas”. É como se quem não fosse eleitor de Lula, fosse inimigo do Brasil e não merecesse viver. A cantilena encontra respaldo nas fileiras do PT, nos aliados de balcão, e tem apoio da imprensa militante.



Dino trata quem não comunga de ideias de esquerda, independente de ser "bolsonarista" ou não, como objetos abjetos, inanimados que pudessem receber comandos e de uma hora para outra silenciar, ou desaparecer.



O ministro “machão” esquece que existem sentimentos e humanidade neste contingente gigantesco de pessoas que ele despreza, trata como coisa, e pior, sabem que foram traídos pelo “sistema”.



Pergunto a Flávio Dino se ele já experimentou a rebordosa e consegue medir reações coletivas motivadas por sentimento de traição? Se não sabe, é o mesmo que, em tempos de guerra, move milhões de pessoas para os campos de batalha dispostas a matar ou morrer pela pátria. É um sentimento que mexe com as estruturas neurais, provocando sensações fortes e perigosas. Não se brinca com isso "ministre".



Todos que participaram do arranjo para promover Lula de presidiário a presidente em três anos, negligenciam os efeitos do plano sórdido, confiantes de que o povo vai aceitar com o passar do tempo os comandos da mídia, aquietando-se, e que paz voltará a reinar. Não creio que os artífices deste arranjo maquiavélico tenham sido tão ingênuos em achar que a “viola” seria enfiada no saco e o assunto estaria encerrado até 2026. Seria amadorismo em grau elevado, e eles não são amadores, suas “verves” são de gangsters.



O pensamento deste jornalista é que tudo esteja encaminhando para uma guerra civil, pois a maioria da população consciente que se sente enganada não vai assumir o posto de “Mané”, como infelizmente aconteceu com alguns generais das Forças Armadas em que a população confiava como última barreira para conter o avanço das trevas. Agora só resta o brio da nossa consciência, assumindo as letras do nosso hino: “ou ficar a pátria livre, ou morrer pelo Brasil”.



Publicado por Sióstio de Lapa em 23/01/2023 às 00h01



Página 1 de 809 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » próxima»


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr