Meu Diário
20/02/2024 00h01
ORAÇÃO DE SALOMÃO

            No livro bíblico 3Reis 8:22-53 encontramos as preces de Salomão, quando ele conclui a construção do templo de Deus, prometido por seu pai, Davi. Esta prece, na presença do povo que ele convidou, se dirige à Deus naquele tempo, mas pode tocar nosso coração e compreensão ainda hoje, em dias tão conturbados... vejamos.



PRECES DE SALOMÃO



            Depois pôs-se Salomão diante do altar do Senhor à vista do ajuntamento de Israel, e estendeu as suas mãos para o céu, e disse: Senhor Deus de Israel, não há Deus semelhante a ti, nem no mais alto do céu, nem abaixo sobre a terra. Tu conservas o pacto e a misericórdia para os teus servos, que caminham adiante de ti de todo o seu coração. Tu guardaste ao teu servo Davi meu pai, o que lhe prometeste. Tu lho disseste por tua boca, e cumpriste pelas tuas mãos, assim como o prova este dia. Agora pois, Senhor Deus de Israel, conserva ao teu servo Davi meu pai, o que lhe prometeste, dizendo: Não te faltarão descendentes, que diante de mim se assentem sobre o trono de Israel; contanto todavia que teus filhos guardem os teus caminhos, andando em minha presença, como tu andaste diante de mim. Agora, pois, Senhor Deus de Israel, cumpram-se as tuas palavras, que disseste ao teu servo Davi meu pai.



            É, pois, crível que Deus habite verdadeiramente sobre a Terra? Porque se o céu, e os céus dos céus te não podem compreender, quanto menos esta casa, que eu edifiquei? Mas atende, Senhor Deus meu, à oração do teu servo. Ouve o hino e a oração que teu servo faz hoje em tua presença; para que os teus olhos estejam abertos de noite e de dia, sobre esta casa, da qual disseste: O meu nome estará nela; para ouvires a oração que teu servo te oferece neste lugar. Para ouvires a deprecação de teu servo, e do teu povo de Israel, em tudo o que te pedirem neste lugar; e para as ouvires do lugar da tua morada no céu, e para que, tendo-as ouvido, lhe sejas propício.



            Quando algum homem pecar contra seu próximo, e houver de fazer algum juramento, com que se ligue; e vier a tua casa por motivo do juramento diante do teu altar, tu ouvirás do céu; e farás justiça a teus servos condenando o ímpio, e fazendo recair a sua perfídia sobre a sua cabeça, e justificarás o justo, e retribuindo-lhe conforme a sua justiça.



             Quando o teu povo de Israel tiver fugido diante dos seus inimigos (porque algum dia pecará ele contra ti) e fazendo penitência, e dando c glória ao teu nome, vierem, e orarem e te implorarem nesta casa; ouve-os do céu, e perdoa o pecado do teu povo de Israel, e torna-os a levar à terra, que deste a seus pais.



            Quando o céu se tiver fechado, e não cair chuva alguma por causa dos seus pecados, e eles orando neste lugar fizerem penitência em nome do teu nome, e se converterem dos seus pecados por causa da sua aflição; ouve-os do céu, e perdoa os pecados de teus servos, e do teu povo de Israel; e mostra-lhes o caminho direito por onde andem, e derrama chuva sobre a tua terra, que tu deste ao teu povo para a possuírem.



            Quando vier sobre a terra fome, ou peste, ou corrupção do ar, ou ferrugem, ou gafanhoto, ou qualquer maligno humor, ou quando apertar ao teu povo o seu inimigo sitiando as suas portas, toda a praga, toda a enfermidade, toda a rogativa, e súplica, que fizer qualquer homem do teu povo de Israel; se algum conhecer a chaga do seu coração, e estender as suas mãos para ti nesta casa, tu o ouvirás do céu no lugar de tua morada, e tu propício te reconciliarás com ele, e obrarás dando a cada um conforme todas as suas obras, e segundo vires o seu coração (porque só tu conheces o interior dos corações de todos os filhos dos homens), para que eles tenham temor de ti por todo o tempo que viverem sobre a face da terra, que tu deste a nossos pais.



            Também quando algum estrangeiro, que não é de teu povo de Israel, vier de algum país remoto por causa do teu nome (porque ouvirá a grandeza do teu nome, e a força da tua mão, e o poder do teu braço, dilatado por toda a parte) quando vier por isso fazer oração neste lugar, tu o ouvirás do céu, do firmamento da tua morada, e farás tudo que o estrangeiro de pedir; para que todos os povos da terra aprendam a temer o teu nome, como faz o povo de Israel, e para que experimentem que o teu nome foi invocado sobre esta casa, que eu edifiquei.



            Quando o teu povo sair à guerra contra os seus inimigos, indo pelo caminho, por que tu o tiveres mandado, se te fizerem a suas preces olhando para o caminho da cidade, que tu escolheste, e para a casa, que eu edifiquei ao teu nome, tu também ouvirás do céu as suas orações, e as suas preces, e lhes farás justiça.



            Porém se pecar contra ti, (porque não há homem que não peque) e tu irado os entregares nas mãos de seus inimigos, e eles forem levados cativos ou perto ou longe para terra inimiga, e fizerem penitência no íntimo do seu coração no lugar do seu cativeiro, e convertidos te suplicarem no seu cativeiro, dizendo: Nós pecamos, nós cometemos a iniquidade, nós obramos impiamente, e se eles se voltarem para ti de todo o seu coração, e de toda a sua alma na terra de seus inimigos, para onde foram levados cativos, e orarem voltados para o caminho da sua terra, que tu deste a seus pais, e para a cidade que tu escolheste, e para o templo que eu edifiquei ao teu nome; tu ouvirás do céu, no firmamento do teu trono, as suas orações, e as suas preces, e defenderás a sua causa; e te mostrarás propício ao teu povo que pecou contra ti, e perdoarás todas as suas iniquidades com que tiverem prevaricado contra ti; e inspirarás ternura aos que os levaram cativos, para deles terem compaixão. Porque eles são o teu povo, e a tua herança, a quem tiraste da terra do Egito, do meio da fornalha de ferro.



            Os teus olhos estejam abertos às deprecações do teu servo, e do teu povo de Israel, e os ouçam em tudo por que eles te invocarem. Porque tu, ó Senhor Deus, os separaste de todos os povos da terra para tua herança, como tu o declaraste por teu servo Moisés, quando tiraste a nossos pais do Egito.



            Eis mais uma prova da sabedoria de Salomão, orando em público para Deus, na presença de tantas pessoas naquele momento, mas que suas palavras alcançam bem mais pessoas por todo o mundo e por todo o tempo, e com um conteúdo tão atual, e mostrando os caminhos por onde devemos encaminhar as nossas súplicas, deprecações, para corrigir o mal que nos aflige, as iniquidades, as prevaricações.   



Publicado por Sióstio de Lapa em 20/02/2024 às 00h01
 
19/02/2024 00h01
A ESCOLHA DAS DUPLAS

            Continuando a reprodução da série “The Chosen”, Temporada 3, Episódio 2, que passa na Netflix, em um momento que Jesus se reúne com os discípulos na casa de Pedro, e fala sobre Sua missão e a de quem deseja segui-Lo, que merece ser reproduzido aqui para a nossa reflexão.



            Jesus – Essa mensagem não foi só para os milhares que estavam lá. Foi para todos os que a ouvirão de agora até o fim dos tempos. “Como eles saberão?” Boa. Obrigado por perguntar. Vocês vão contar, e os lugares que visitarão eu logo visitarei. Vocês vão preparar o caminho para Minha chegada e ajudar a garantir que mais pessoas estejam prontas para ouvir as boas novas. Os milagres que realizarem com a autoridade de Deus, serão prova do Meu ministério.



            Discípulo – Vamos supor que tenhamos azar e várias cidades seguidas nos rejeitem, talvez por dias. Como vamos comer? E se ficar... feio? Como ficou com o João Batista?



            Jesus – Ouçam atentamente, todos vocês. Não tenham medo dos que matam o corpo, mas não podem matar a alma.



            Discípulo – Então... o Senhor está dizendo que podemos morrer?



            Jesus – Vai chegar um momento em que isto se tornará muito mais difícil, quando a perseguição será constante no seu ministério. Quando esse momento chegar, vocês seguirão os meus passos. E vocês saberão o que realmente significa abrir mão de suas vidas. Eu tenho mais a ensinar sobre isso. Mas, por enquanto, esta jornada não chegará a isso.



            Tomé – Mestre, eu tenho uma preocupação. O Senhor disse que vai nos mandar em duplas.



            Jesus – Sim. As mulheres vão ficar aqui em Cafarnaum. Elas apoiarão o ministério financeiramente. Também ministrarão à cidade de tendas fora das muralhas da cidade, e Zebedeu será o responsável pela segurança delas. Mateus também doou abnegadamente o uso de sua casa anterior, que servirá como o novo lugar para elas ficarem.



            Natanael – Eu ainda não consigo entender. O Senhor quer que a gente saia? Sem defesas. Sem comida. Sem abrigo. Sair em terras estranhas.



            André – Não podemos ter medo.



            Natanael – Fácil assim, André?



            Discípulo – O que aconteceu com a confiança?



            Pedro – Pessoal, calma. Se vocês têm uma pergunta, façam um de cada vez.



            Judas Iscariotes – Eu tenho uma pergunta. Mas uma preocupação, na verdade. Eu sei que sou novo. Mas, Mestre, gostaria de voltar ao que o Senhor dizia sobre não levar comida ou roupas e confiar naqueles a quem servimos. Perdoe-me, mas não podemos confiar em todos igualmente. Eu desenvolvi algumas ideias sobre formas de gerarmos renda para sustentar nosso ministério de maneira confiável.



            Jesus – Eu agradeço, Judas. De verdade. Mas, pelo menos, nesta jornada, quero que aprendam o que significa confiar plenamente no seu Pai no céu. Assim como naqueles à sua volta e naqueles a quem servir. E quanto à comida, Tiagão... e quanto a sua vida, João... é isso que significa seguir. E liderar.



            Pedro – Professor, mesmo não sendo para esta jornada, agora seria bom designar alguém para gerenciar nossos poucos recursos que temos, ou o que trouxermos de volta.



            Jesus – Você tem alguém em mente?



            Filipe – Eu indico o Mateus. Ele é obviamente o mais experiente entre nós.



            Pedro – Acredite ou não, concordo que seria bom.



            Mateus – Desculpa, não quero cuidar de dinheiro de novo. Eu declino formalmente.



            João – Um simples não teria sido bom.



            Mateus – Então, não. Eu indico o Judas. Ele é experiente.



            Judas Iscariotes – Eu aceito. Qualquer coisa para ajudar.



            Pedro – Pronto.



            Jesus – Tudo bem. As duplas serão: Simão e Judas, para o norte, Cesareia de Filipe. André e Filipe, para o leste, a Naveh. Natanael e Tadeu, para o sul, para a Pereia. João e Tomé, para sudoeste, para Jope. Tiagão e Tiaquinho,



            Pedro – Espera... é sério?



            Jesus – Vamos... eles podem usar isso. O bom humor desarma as pessoas. Para oeste, planícies de Sarom. Agora Mateus e Zê.



            Pedro – Mestre, tem certeza disso? Um zelote e um... você sabe.



            Jesus – Vocês vão até Jericó. Sei que fica perto da Samaria. Vocês vão ficar bem. Zê, todo mundo está preocupado com a ideia de você viajar com um coletor de impostos.



            Simão zelote – O quê?



Jesus - Nós não te contamos sobre a antiga ocupação do Mateus.



            Simão zelote – Ele é coletor de impostos?



            Jesus – Ele é tão coletor de impostos quanto você é Zelote. Escutem. Nenhum de vocês é o que era. Lembrem-se, todos vocês. E Zê, você e Mateus conseguirão lembrar disso melhor do que ninguém. Eu estou confiante... de que vocês dois farão e dirão grandes coisas por causa do seu passado. Eu sei que posso confiar em vocês. Então é isso. Todos vocês têm muito o que pensar. Usem um dia para resolverem o que precisarem. Teremos mais alguns detalhes amanhã. Simão vai reuni-los. Shalom, amigos.



            Quando não tinha certeza do nome de quem estava falando, deixei registrado apenas como discípulos. Esta lição serve até hoje para nós que queremos seguir os passos do Cristo, mesmo consciente do risco que podemos correr, da vida que podemos perder.



Publicado por Sióstio de Lapa em 19/02/2024 às 00h01
 
18/02/2024 00h01
DE DOIS EM DOIS

            Na série “The Chosen”, Temporada 3, Episódio 2, que passa na Netflix, tem um momento que Jesus se reúne com os discípulos na casa de Pedro, e fala sobre Sua missão e a de quem deseja segui-Lo, que merece ser reproduzido aqui para a nossa reflexão.



            Jesus – A maioria de vocês já está ciente da aldeia de tendas que está crescendo a leste de Cafarnaum. São pessoas que nos seguiram da montanha e que estão esperando para ouvir mais. Seus números crescem, assim como as suspeitas de Roma. Na verdade, o Zé me informou esta manhã que membros da antiga Ordem dele chegaram a viajar para cá.



            Discípulo – Pode parecer que estamos montando um exército, Mestre.



            Jesus – Bem, esse é um jeito de ver as coisas. O outro jeito de ver as coisas é o meu jeito.



            Pedro – Do jeito certo, quer dizer?



            Jesus – Sim, Simão. São pessoas comuns de todas as regiões. Elas não são um exército. Ainda não. Elas precisam de um resgate e vocês vão me ajudar a resgatá-las. Um tipo diferente de resgate. É insustentável que eu faça toda a pregação, toda a cura e o ministério. Viemos a casa de Simão... obrigado Abigail, por nos receber... porque nosso ministério vai crescer, e queremos que ele cresça, até o fim dos tempos. Haverá muito mais seguidores. E, como aqueles que não estão aqui, todos terão papéis e responsabilidades. A maioria serão discípulos. Estudantes. Mas eu escolhi vocês 12 como Meus apóstolos.



            Discípulo – Vai enviar a gente?



            Mateus - Apóstolo é o mesmo que mensageiro, aquele que...



            Discípulo – Sei o que significa, Mateus. É por isso que pergunto.



            Jesus – Vocês são meus líderes. E, para esta missão, é melhor que vocês espalhem e não se concentrem em um só lugar.



            Discípulo – Eu... eu não entendo.



            Jesus – Vou voltar para casa, em Nazaré, e, enquanto estiver lá, vou enviar vocês em todas as direções, de dois em dois, especificamente para o nosso povo.



            Discípulo – Todas as direções, Mestre?



            Jesus – Sim, mas não aos gentios. Ainda não. Isso virá com o tempo. Dirijam-se para as ovelhas perdidas de Israel. Assim como Josué liderou as 12 tribos para tomar a Terra Prometida, vocês proclamarão à medida que avançam: “O Reino dos Céus está próximo.” E enquanto tiverem nessa missão, vão curar os enfermos e os coxos ungindo-os com óleo. Vocês expulsarão demônios. Vocês vão... o que? Por que estão me olhando assim?



            Mateus – O Senhor pode repetir isso mais uma vez?



            Jesus – Eu vou mandar vocês de dois em dois, proclamando à medida que avançam: “O Reino dos Céus está próximo.” Curem os enfermos. Expulsem os demônios.



            Pedro – E isso seria exatamente quando?



            Jesus – Essa palavra de novo! Eu vou chegar a isso, Simão.



            Discípulo – Espera! Curar os doentes?



            Discípulo – Expulsar os demônios?



            Jesus – Enquanto estiverem na missão, terão esta autoridade. Algum dia vocês terão isso o tempo todo.



            Simão, zelote – Perdi alguma cerimônia?



            Jesus – É essa.



            Discípulo – Eu não me sinto diferente.



            Jesus – Não precisa que sinta nada para fazer grandes coisas.



            João – Com todo respeito, Mestre, recém começamos, não estamos qualificados. Por que precisaria de nós?



            Simão, zelote – Ele não precisa de nós, ele nos quer.



            Jesus – Obrigado, Zê. Muito bom. João, se eu precisasse de líderes religiosos ou estudiosos para meu ministério, eu não teria escolhido... bem, você me entendeu.



            Filipe – Podemos voltar à parte sobre a cura dos doentes rapidinho?



            Jesus – Não levem nada pelo caminho, a não ser um cajado. Não levem pão, nem saco de viagem. Nem dinheiro. Nem a comida da Salomé. Calcem sandálias, mas não levem túnica extra.



            Discípulo – Não podemos levar nem uma muda de roupa?



            Mateus – Até os filósofos cínicos levam uma túnica.



            Jesus – Sim, levam. E eu quero distingui-los dos cínicos. Eles também levam bolsas de esmolas para as pessoas colocarem moedas de ouro e prata. Mas vocês não vão fazer isso. Vocês receberam de graça. Deem também de graça. Na cidade ou povoado em que entrarem, procurem alguém digno de recebe-los, e fiquem em sua casa até partirem. Se alguém não os receber nem ouvir suas palavras, sacudam a poeira dos pés, quando saírem daquela casa ou cidade. Não percam seu tempo.



            Discípulo – O Senhor disse se alguém não ouvir as nossas palavras... que palavras, exatamente? O que devemos ensinar?



            Jesus – Qualquer coisa que já ouviram de mim.



            Judas Iscariotes – Eu só ouvi um sermão.



            Natanael – Você ouviu o melhor, mesmo. Quero dizer, não me entenda mal. São todos ótimos.



            Realmente, dá para ficar perplexo com tamanha responsabilidade, num grupo tão heterogêneo, levar a palavra de Deus dentro de um ambiente hostil. Mas ali existia um grande mestre, líder e amigo: Jesus.



Publicado por Sióstio de Lapa em 18/02/2024 às 00h01
 
17/02/2024 00h01
ARSENAL CRISTÃO

            Nós cristãos, que fazemos parte da Igreja Combatente, devemos saber como usar as armas presentes em nosso arsenal.



            Entre as armas ofensivas o nome de Jesus é a arma mais poderosa contra o inimigo (Fp 2:9-10 – Pelo que também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo nome; para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra).



            Jesus tem autoridade sobre os seres angelicais, sobre os homens e sobre os demônios. Jesus está acima de todo principado, potestade, poder e domínio (Ef 1:20-22 – Esse poder ele exerceu em Cristo, ressuscitando-o dos mortos e fazendo-o assentar-se à sua direita, nas regiões celestiais, muito acima de todo governo e autoridade, poder e domínio, e de todo nome que se possa mencionar, não apenas nesta era, mas também na que há de vir. Deus colocou todas as coisas debaixo de seus pés e o designou cabeça de todas as coisas para a igreja).



            A oração é a arma que nos coloca em contato direto com o mundo espiritual (Ef 6:18 – Orem no Espírito em todas as ocasiões, com todo coração e súplica; tendo isso em mente, estejam atentos e perseverem na oração por todos os santos).



            A oração nos fortalece, nos capacita para conquistarmos todo o território que o Diabo invadiu (Mc 3:23-29 – E, chamando-os a si, disse-lhes por parábolas: Como pode Satanás expulsar Satanás? E, se um reino se dividir contra si mesmo, tal reino não pode subsistir; e se uma casa se dividir contra si mesma, tal casa não pode subsistir. E, se Satanás se levantar contra si mesmo, e for dividido, não pode subsistir, antes tem fim. Ninguém pode roubar os bens do valente, entrando-lhe em sua casa, se primeiro não maniatar o valente; e então roubará a sua casa. Na verdade vos digo que todos os pecados serão perdoados aos filhos dos homens, e toda a sorte de blasfêmias, com que blasfemarem; qualquer, porém, que blasfemar contra o Espírito Santo, nunca obterá perdão, mas será réu do eterno juízo).



            Entre as armas defensivas o Senhor nos oferece uma armadura sobrenatural para que ela exerça domínio sobre o reino da maldade e resista às suas forças, a fim de sairmos da guerra sã e salvo (Ef 6:13 – Por isso, vistam toda a armadura de Deus, para que possam resistir no dia mau e permanecer inabaláveis, depois de terem feito tudo).



            O capacete é uma peça que representa a salvação (Is 59:17 – Pois vestiu-se de justiça, como de uma couraça, e pôs o capacete da salvação na sua cabeça, e por vestidura pôs sobre si vestes de vingança, e cobriu-se de zelo, como de um manto). O cristão deve está ligado ao Mestre e fica protegido de ser desintegrado sob os efeitos condenadores do pecado.



            O cinto da Verdade que é Jesus. O cristão deve estar inteiramente ligado a Ele numa comunhão perfeita (Jó 15:2-7 – Porventura proferirá o sábio vã sabedoria? E encherá do vento oriental o seu ventre? Arguindo com palavras que de nada servem, e com razões, de que nada aproveita? E tu tens feito vão o temor, e diminuis os rogos diante de Deus. Porque a tua boca declara a tua iniquidade; e tu escolhes a língua dos astutos. A tua boca de condena, e não eu, e os teus lábios testificam contra ti. És tu o primeiro homem que nasceu? Ou foste formado antes dos outeiros?). Não podemos deixar a verdade de lado e propagar vã sabedoria deixando nossos lábios e língua serem nossos acusadores.



            A couraça da Justiça significa que o cristão está revestido da justiça de Deus (Rm 3:21 – Mas agora se manifestou sem a lei a justiça de Deus, tendo o testemunho da lei e dos profetas; e 5:1 – Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo). Sua culpa foi lançada na cruz de Cristo (Rm 13:12-14 – A noite está quase acabando; o dia logo vem. Portanto, deixemos de lado as obras das trevas e vistamo-nos a armadura da luz. Comportemo-nos com decência, como quem age à luz do dia, não em orgias e bebedeiras, não em imoralidade sexual e depravação, não em desavença e inveja; e Ef 4:24 – E vos vistais do novo homem, que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade).



            Os pés devem estar calcados com o Evangelho da Paz (Ef 6:15 – E tende os pés calçados com a prontidão do Evangelho da paz). Significa um alicerce espiritual firme e assim calçados, com prontidão e disposição, aparecem os pés daqueles que cruzam deserto e terrenos montanhosos, vão à púlpitos de evangelização e a internet, nos sites, plataformas e demais mídias que possa levar a Boa Nova da paz, agregando as pessoas de boa vontade (Is 52:7-9 – Quão formosos são, sobre os montes, os pés do que anuncia as boas novas, que faz ouvir a paz, do que anuncia o bem, que faz ouvir a salvação, do que diz a Sião: O teu Deus reina! Eis a voz dos teus atalaias! Eles alçam a voz, juntamente exultam; porque olho a olho verão, quando o Senhor fizer Sião voltar. Clamai cantando, exultai juntamente, desertos de Jerusalém; porque o Senhor consolou o seu povo, remiu a Jerusalém).



            Este é o nosso arsenal de armas vindas diretamente do Criador a com a orientação e comando do Mestre Jesus, estamos prontos para avançar em direção à vitória.



Publicado por Sióstio de Lapa em 17/02/2024 às 00h01
 
16/02/2024 00h01
PREPARAÇÃO PARA A BATALHA ESPIRITUAL

            O Apóstolo Paulo nos deu boas informações sobre a hierarquia no reino das Trevas. Principados são os chefes ou os líderes da maldade: os dominadores são espíritos malignos; as potestades são os que têm poder para governar. Todos promovem males na Terra (Ef 6:12 - Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste mundo, contra as hostes espirituais da maldade nos lugares celestiais).



            Estes principados, dominadores e potestades do mal procuram levar o homem à desobediência, à insubmissão. Tornam as pessoas irreverentes e insubordinadas quanto ao seu comportamento (Ef 2:2 – Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência).



            Estes espíritos malignos atuam também como agitadores da consciência humana, fazendo com que sentimentos de culpa sejam mais intensos (Zc 3:1-5 – E ele mostrou-me o sumo sacerdote Josué, o qual estava diante do anjo do Senhor, e Satanás estava à sua mão direita, para se lhe opor. Mas o Senhor disse a Satanás: O Senhor te repreenda, ó Satanás, sim, o Senhor que escolheu Jerusalém, te repreenda; não é este um tição tirado do fogo? Josué, vestido de vestes sujas, estava diante do anjo. Então respondeu, aos que estavam diante dele, dizendo: Tirai-lhe estas vestes sujas. E a Josué disse: eis que tenho feito com que passe de ti a tua iniquidade, e te vestirei de vestes finas. E disse eu: Ponham-lhe uma mitra limpa sobre a sua cabeça. E puseram uma mitra limpa sobre a sua cabeça, e vestiram-no das roupas; e o anjo do Senhor estava em pé)



            Os seres invisíveis da maldade são acusadores. Vemos claro exemplo em Jó (1:1-12 – Havia um homem na terra de Uz, cujo nome era Jó; e era este homem íntegro, reto e temente a Deus e desviava-se do mal. E nasceram-lhe sete filhos e três filhas. E o seu gado era de sete mil ovelhas, três mil camelos, quinhentas juntas de bois e quinhentas jumentas; eram também muitíssimos os servos a seu serviço, de maneira que este homem era maior do que todos do oriente. E iam seus filhos à casa uns dos outros e faziam banquetes cada um por sua vez; e mandavam convidar as suas três irmãs a comerem e beberem com eles. Sucedia, pois, que, decorrido o turno de dias de seus banquetes, enviava Jó, e os santificava, e se levantava de madrugada, e oferecia holocaustos segundo o número de todos eles; porque dizia Jó: Porventura pecaram meus filhos, e amaldiçoaram a Deus no seu coração. Assim fazia Jó continuamente. E num dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o Senhor, veio também Satanás entre eles. Então disse o Senhor a Satanás: Donde vens? E Satanás respondeu ao Senhor. E disse: De rodear a terra, e passear por ela. E disse o Senhor a Satanás: Observaste tu a meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, temente a Deus, e que se desvia do mal. Então respondeu Satanás ao Senhor, e disse: Porventura teme Jó a Deus debalde? Porventura tu não cercaste de sebe, a ele, a sua casa, e a tudo quanto tem? A obra de suas mãos abençoaste e o seu gado se tem aumentado na terra. Mas estende a tua mão, e toca-lhe em tudo quanto tem, e verás se não blasfema contra ti na tua face. E disse o Senhor a Satanás: Eis que tudo quanto ele tem está na tua mão; somente contra ele não estendas a tua mão. E Satanás saiu da presença do Senhor) quando o diabo fica questionando a respeito da integridade e justiça dele. A busca exagerada, detalhista e obcecada de “justiça” é também diabólica. Tenhamos cuidado com o exagero legalista.



            Devemos conhecer e tomar posse das armas celestiais (2Co 10:4-5 – As armas contra as quais lutamos não são humanas; pelo contrário, são poderosas em Deus para destruir fortalezas. Destruímos argumentos e toda pretensão que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levamos cativo todo pensamento, para torna-lo obediente a Cristo).



            As armas do nosso exército do Cristo são ofensivas e defensivas (2Co 6:7 – Na palavra da verdade, no poder de Deus, pelas armas da justiça, à direita e à esquerda).



            Esta é uma boa explicação de como se opera o mal no mundo e de como devemos fazer a resistência ao lado do Cristo, usando a nossa principal arma, a Verdade, em contraste com a principal arma dos adversários, a Mentira.



Publicado por Sióstio de Lapa em 16/02/2024 às 00h01



Página 2 de 888 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » «anterior próxima»


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr