Meu Diário
24/03/2020 00h21
ESTÍMULO À REFLEXÃO

            A reflexão é importante para a avaliação das apropriações do nosso pensamento e corrigir incoerências dos nossos paradigmas de vida. Mais uma vez encontro no site consciencial um texto que nos remete diretamente á reflexão.

PENSE...

Pense nas grandes massas, ainda sem o acesso ao esclarecimento espiritual.

Pense em quantas pessoas estão urdindo, agora mesmo, planos maquiavélicos na intenção de outras pessoas.

Pense naqueles que acalentam o ódio no coração e vertem o fel emocional pelo olhar ensandecido do ego.

Pense em quantos estudantes espirituais se afastaram do caminho por causa de questões ridículas, que nada mais eram do que arroubos de personalismo dos envolvidos.

Pense em quantas vezes você viu pessoas com excelente potencial espiritual desistirem por causa da falta de empenho e dedicação em seu próprio desenvolvimento.

Pense em quantas vezes você viu companheiros emanando farpas psíquicas contra outros colegas de senda espiritual, muitas vezes por questões tolas, que os levaram a projetar formas-pensamento doentias, filhas de seus egos feridos.

Pense em quantas vezes você viu colegas encarnados projetando emoções e energias pesadas na direção de alguém e agindo piores do que muitos espíritos desencarnados obsessores.

Pense em quantas vezes você viu colegas doutrinando espíritos e pedindo-os para perdoar os adversários, sem que eles mesmos praticassem o perdão que tentavam exigir dos outros.

Pense em quantas vezes você viu estudantes espirituais chorando no cemitério por uma perda que nunca existiu, pois eles sabem que ninguém morre.

Pense em quantas vezes você viu médiuns com medo de espíritos.

Pense em quantas vezes você viu componentes de grupos espirituais faltarem levianamente as reuniões que participavam.

Finalmente, pense em quantas oportunidades foram perdidas ao longo da vida, e quantas chances de crescimento espiritual foram deixadas de lado.

Pense nas pessoas que se arrastam pela vida apenas sobrevivendo, sem pensar, sem sentir, sem poder levantar o véu das coisas espirituais e sem conseguir sair do atoleiro material ou emocional em que se enfiaram.

Pense nisso tudo e erga os pensamentos ao Alto, que lhe deu a chance de perceber que há algo a mais do que apenas comer, beber, dormir e copular cegamente pela vida...

E agradeça por todas as oportunidades de aprendizado, mesmo aquelas que lhe foram provas difíceis na jornada.

Pense que a vida está passando e a morte não tem hora para chegar (não sabe quanto tempo lhe resta).

Pense... E agradeça!

P.S.:

Logo após eu digitar essas linhas, surgiu um dos espíritos da Companhia do Amor* e me ditou o seguinte: “Quem martela demais a mente, amarrota os pensamentos. Quem pisa demais nos sentimentos, deixa pegadas de dor por onde vai.Quem pisa na bola espiritualmente, perde a jogada e faz gol contra. Quem pensa e agradece ao Papai do Céu pelo trabalho espiritual que abraçou com Amor e coração, não faz bobagens, pelo contrário, só faz golaços e joga bem nos campos da vida. Os seus ‘passes’ são luminosos, é craque da vida e a toda hora dribla o mau humor e enfia a bola por entre as pernas do ego. Quem não corre do jogo espiritual, nem nega fogo no serviço pelo qual é responsável, é craque de Deus.E a bola das experiências continua rolando pelos campos da vida... O craque não pisa nela e ela gosta dele, pois os seus ‘passes’ são luminosos."

(Esses escritos são dedicados aos trabalhadores e estudantes espirituais, de todas as linhas, que batalham sem esmorecer por climas melhores na existência, e que não fogem da senda espiritual por motivo algum, pois sabem que sem isso todo o resto ficaria muito pobre e sem viço.) Paz e Luz! - *Wagner Borges – mestre de nada e discípulo de coisa alguma.

Esse texto me fez refletir sobre a minha condição de estudante espiritual, de instrumento da vontade de Deus seguindo as lições do Mestre Jesus. Ele disse que o Reino de Deus já estava próximo, que deveria começar pela limpeza do egoísmo em nossos corações. O próximo passo é juntar todos que fizeram essa limpeza, que já podem se considerar cidadãos do Reino de Deus, e fazer surgir essa sociedade baseada no amor incondicional e na família universal. O texto reproduzido mostra quão enorme será essa tarefa, que deve ter um caráter essencialmente educativo, com a fraternidade de procurar a dignidade humana para cada um, na base do trabalho, como irmãos espirituais que na verdade todos somos.


Publicado por Sióstio de Lapa em 24/03/2020 às 00h21
 
23/03/2020 00h21
EXILADOS DE CAPELA E SIRIUS

            Os exilados de Capela contribuíram para o nosso padrão evolutivo atual. Espíritos beligerantes e fixados no mal, residentes no planeta Capela, tiveram que ser desterrados para a Terra, para que aquele planeta pudesse seguir sem tantas dificuldades no seu plano evolutivo. Este é o mesmo procedimento que a espiritualidade superior irá proceder, expurgando os espíritos renitentes no mal, longe da misericórdia do Cristo por sua incapacidade de arrependimento. 

            Quanto aos exilados de Sírius, não tinha conhecimento. Por esse motivo, este texto de Ramatis que encontrei no site consciencial serve para a ampliação do nosso conhecimento.

OS EXILADOS DE SIRIUS

Não foram apenas capelinos os exilados que aportaram na Terra e atuaram intensamente no seu processo evolutivo. Sabemos hoje que houve migrações de outros orbes para cá. Ramatís esclarece, a respeito:

“Estavam instaladas no orbe terrícola as condições básicas para a vinda, de outras constelações, de espíritos mais evoluídos, que trariam conhecimentos e acompanhariam emigrados exilados, que não tinham condições morais de permanecer naquelas instâncias mais evoluídas. Chega, então, enorme agrupamento de espíritos emigrados, que se estabelecem e formam colônias no Astral da antiga Lemúria e da Atlântida.

EXILADOS DE CAPELA E DE SÍRIUS

Os lemurianos e os atlantes de pele vermelha não foram procedentes do satélite de Capela, da constelação do Cocheiro; vieram de um outro orbe, do sistema estelar de Sirius, em que o Sol é uma estrela de intenso amarelo-ouro, inigualável em sua beleza, num mesmo movimento espiritual de transmigração que trouxe os capelinos. Adoradores do Sol, irrepreensíveis magos e alquimistas, transmutavam os metais grosseiros em ouro.

Os capelinos, de cútis branca, tinham uma estrela distante, de minguados raios solares como claridade das manhãs invernais, a iluminá-los. Não por acaso, semelhantes em evolução e em conhecimentos iniciáticos aos de pele vermelha. Esses migrados, impostos à força coercitiva animal de corpos rudes e primitivos, teriam que adaptar-se à vida selvagem, de condições climáticas inóspitas e perigosas da Terra de então.

Latentes, em sua memória astral, todos os conhecimentos e realizações adquiridos anteriormente, contribuiriam para a evolução dos espíritos hominais terrícolas. Por intercessão de espíritos superiores e amorosos, que os acompanharam nessa migração (1), e por deliberação dos engenheiros siderais, permitiu-se a formação dessa raça vermelha em vosso orbe. (1) Sendo um deles o próprio Ramatís.

ORIGENS RACIAIS

Da amálgama dessas duas raças provenientes de outras paragens do Cosmo, enxotadas do Éden remoto, após os cataclismas que afundaram as civilizações lemuriana e atlante, obrigando-as à migração, constitui-se em solo brasileiro o tronco indígena Tupi, mais avermelhado, e de outro lado do oceano o tronco dos Árias, um misto dessas duas raças-mãe, cujos descendentes foram os celtas, os latinos e os gregos.

A sua pele avermelhada, que originalmente fazia parte da configuração perispiritual dos emigrados, se fez presente quando da reencarnação daqueles exilados. Desventuradamente, deixaram-se levar pela ambição desmesurada e pela magia negra, quando utilizaram todos os conhecimentos iniciáticos milenares gananciosamente, em proveito próprio e para o mal. Muitos espíritos daqueles antigos lemurianos e atlantes da raça vermelha, que eram exímios curadores, e que em vidas passadas foram alquimistas a serviço das organizações trevosas e dos magos negros e que muito manipularam os elementais da natureza, estão reencarnados e comprometidos com o desiderativo curativo dos semelhantes dos dois lados da vida”.

Ramatís/ Norberto Peixoto. Livro: "Chama Crística".

            Essa informação pode justificar o que observamos agora na atualidade, no mundo e principalmente no Brasil. Uma investida de ações iníquas, principalmente de corrupção, no país escolhido para ser o coração do mundo e a pátria do Evangelho. O consórcio desses espíritos encarnados e desencarnados, que tentam subjugar os povos e nações, mostram que eles continuam fixados no mal e usando toda a inteligência para manter muitos hipnotizados. O expurgo mais uma vez vai ser necessário, desta vez para promover o progresso da Terra, para planeta de regeneração, para quem quer se regenerar. Os espíritos renitentes no mal, outra vez vão ser despejados em direção a planeta condizente com suas necessidades evolutivas, um planeta de Provas e Espiações, como ainda continua sendo a Terra.

            Percebemos assim a importância do processo educativo, pois muitos espíritos não possuem a compreensão do mundo espiritual e da evolução cuja lei envolve a todos, tanto no campo material quanto no espiritual.


Publicado por Sióstio de Lapa em 23/03/2020 às 00h21
 
22/03/2020 00h21
CRISTÃO E CRISTÓLATRA

            Mais uma vez encontro uma contribuição interessante do Dalton Campos Roque em seu site Consciencial, um tipo de ping-pong envolvendo a compreensão que fazemos do Cristo, que merece nossa reflexão.

DIFERENÇAS ENTRE O CRISTÃO E O CRISTÓLATRA

Autor: Dalton Campos Roque - www.consciencial.org

O cristólatra adora Cristo; O cristão entende Cristo.

O cristólatra prega Cristo; O cristão vivencia seus postulados.

O cristólatra considera outras linhas más, ruins ou inimigas; O cristão compreende e aceita outras ideologias.

O cristólatra se limita na Bíblia; O cristão se amplia fora dela.

O cristólatra interpreta literalmente ou contextualmente a Bíblia conforme a conveniência facciosa de sua fé em relação a passagem bíblica; O cristão interpreta a Bíblia através de uma cultura ampla e uma visão integral muito além das religiões.

O cristólatra leva Cristo na língua; O cristão leva nas atitudes. 

O cristólatra se indigna e se ofende; O cristão compreende e perdoa serenamente.

O cristólatra crê que Cristo perdoa; O cristão sabe que Cristo não perdoa porque não se ofende.

O cristólatra é um soldado de Cristo; O cristão é um agente da paz.

O cristólatra faz marketing e propaganda de Cristo; O cristão vivencia sua doutrina em silêncio sereno.

O cristólatra quer mudar o mundo; O cristão quer mudar somente a si.

O cristólatra é religioso; O cristão é a favor do bem.

O cristólatra incentiva a separação doutrinária; O cristão nutre a união na diversidade.

O cristólatra crê que sua religião é absoluta e infalível; O cristão sabe que infalível só os conceitos e que todos os homens são incautos.

O cristólatra é guerreiro; O cristão é um proativo pacífico.

O cristólatra coloca sua religião acima do bem; O cristão sabe que o bem está acima de tudo, inclusive das religiões e doutrinas.

O cristólatra se encontra com outros cristólatras; O cristão se encontra com Deus.

O cristólatra é faccioso e grupuscular; O cristão é universalista e despreconceituoso.

O cristólatra crê em demônios; O cristão sabe que os únicos demônios são o medo, o preconceito e a ignorância humanos.

O cristólatra tem medo que as ciências derrubem suas crenças; O cristão sabe que a ciência isenta pode inclusive confirmá-las.

O cristólatra acredita que Deus e Cristo estão em seus cultos e templos; O cristão sabe encontrá-los no recanto discreto e solitário de seu coração.

O cristólatra é moralista, purista, piegas e dramático; O cristão compreende as falhas, limitações, erros e momento humanos.

O cristólatra possui fé irracional absolutista (dogmas); O cristão possui fé raciocinada relativista.

O cristólatra guarda um ódio franco ou dissimulado de outras religiões; O cristão sabe que seja o Budismo, o Espiritismo, a Umbanda, etc, todos são caminhos que levam a Deus.

            Este pensamento do Dalton serve para ajustar nosso próprio pensamento enquanto cristão que procuramos ser. Que possamos fazer nossos ajustes.


Publicado por Sióstio de Lapa em 22/03/2020 às 00h21
 
21/03/2020 00h20
DROGAS, LEGALIZAÇÃO E VAMPIRIZAÇÃO

   Mais uma vez o site conscienciologia traz assunto interessante para nossas reflexões, mesmo porque traz um tema que termina sendo um câncer social: as drogas. Vejamos o que é dito pelo espírito Ramatis, que sempre está a nos instruir quanto a nossa forma de proceder. 

RAMATÍS FALA DA LEGALIZAÇÃO DAS DROGAS E OS PROCESSOS DE VAMPIRIZAÇÃO.

(Extraído do livro A Derradeira Chamada pelos Espíritos Ramatís, Hamod, Akhenaton, Nicanor e Ashtar Sheran - psicografia do médium Sávio Mendonça)

Existe totalmente um amplo movimento de inteligência das Trevas para expandir ainda mais o consumo de drogas no planeta, pois sabem elas que com essa prática a vontade das pessoas enfraquece e isso representa portas abertas para a influência e domínio de mentes astrais viciadas que se acoplam em processos obsessivos e degradados. Assim, encarnados e desencarnados viciados se tornam presas fáceis de inteligência astral mal-intencionada para dominar suas mentes e realizar transfusão energética, ou vampirismo de bioplasma e ectoplasma - elemento indispensáveis ao Astral inferior para que se realizem intentos diversos, sobre tudo para potencializar a força e influencia mental deles sobre o mundo material, além de lhes permitir satisfazer prazeres menos dignos.

Essa luta entre o bem e o mal tem sido dolorosa, e o mal tem conseguido algumas vitórias, graças a sintonia que obtém com encarnados revoltados e indisciplinados. Muitos políticos, artistas, dirigentes públicos e empresários são consumidores de drogas diversas (de maconha a cocaína, passando por ecstasy, heroína e até crack), dando mau exemplo, além de tornarem-se vítimas conscientes ou inconscientes de planos diabólicos de domínio da Terta. Até dirigentes de países estão mobilizados a disseminar e legalizar o uso da maconha, sob o argumento de minimizar a violência do tráfico despreocupado que estão com o desastre emocional e o enfraquecimento das mentes de jovens que consumirão as drogas em ritmo crescente, além de institucionalizar a implantação de sistema agrícolas de espécie entorpecentes e de agroindústrias bem estruturadas para produzirem em larga escala e atenderem a consumo crescentes dessas drogas.

Muitos dirigentes nacionais e pessoas ligadas ao poder público de certos países estão de fato interessados nas altas somas de dinheiro que ganharão ou que ganham com essa atividade (na concepção de alguns, sorrateiramente e sob influência de almas do Astral inferior, essa atividade é ou virar a ser uma das tábuas de salvação para suas fracas economias nacionais). Vários políticos e governantes, ao fazerem apologia ou políticas de liberação de uso de drogas sob um pseudocontrole, não se dão conta de que, com as facilidades legais, haverá maior consumo, que exigirar um sistema produtivo mais organizado e ampliado para atender a demanda cada vez mais crescentes, qual já ocorre com a produção e o consumo de bebidas alcoólicas, que se ampliam a cada dia. A Era de Aquário não permitirá esse tipo de ideias e práticas que, certamente, serão levadas ou queimadas pela força da natureza, em futuro não distante.

Ramatís!

            Este é mais um problema para a nossa humanidade atual. O consumo de drogas que deixa alienada o nossa juventude, compromete nosso futuro. Isolar os efeitos terapêuticos de quaisquer fontes deve fazer busca de nossa busca enquanto ciência, mas defender o consumo livre das drogas é muito temerário, mesmo que isso cause prejuízos aos traficantes. A educação, a evangelização, trazem resultados mais positivos e nos coloca no ritmo evolutivo em direção a Deus. Como fazer isso de modo eficaz num mundo tão corrompido pelos valores materiais, antiéticos?


Publicado por Sióstio de Lapa em 21/03/2020 às 00h20
 
20/03/2020 00h19
CARNE OU VEGETAIS

           O consumo de alimentos é de interesse para todos. Afinal, existe uma teoria que defende que somos o que ingerimos. É um tanto radical, mas talvez traga um fundo de verdade. Encontrei no site da conscienciologia um texto que remete a essa discussão que trago aqui para nossa reflexão.

Você não precisa comer carne.

Nem vegetariano. Não precisa carregar esse rótulo estampado no peito pra lá e pra cá, nem se posicionar politicamente, nem defender um movimento.

Mas você também não precisa comer carne todo dia. Nem três vezes ao dia. Nem se sentir na OBRIGAÇÃO de cozinhar churrasco ou frango ou peixe assado pra toda visita que receber! Nem achar que um prato sem carne é incompleto, muito menos entupir de queijo um prato sem carne.

A gente não precisa tomar partido em tudo nessa vida! O bom não é inimigo do ótimo e o feito é melhor que o perfeito teórico!

O vegetarianismo, na minha opinião é, acima de tudo, um convite para reinvenção. Do paladar, dos hábitos, da cultura, dos paradigmas: é um cartão postal de um lugar lindo chamado Mundo saudável sustentável anti especista. É só a porta de entrada para experiências gastronômicas maravilhosas baseadas em produtos naturais, coloridos e brasileiros. Trocar uma alimentação colonizada que não carrega nossa cara por ingredientes nossos, que dão no nosso país tropical e construíram nossa história enquanto nação. E isso de forma alguma deve ser um peso!

Você não precisa PARAR TOTALMENTE de comer produtos de origem animal pra ser saudável ou empático ou um anjo sem asas se você ainda não se sente pronto pra isso. Mas você deveria repensar a sua relação com a carne, principalmente se ela é de dependência emocional..

A essa altura, as pessoas já sabem que não dá mais pra comer tanta carne. Mas a ideia de nunca mais poder comer um strogonoffe assusta! Restrição assusta. Proibição também. Então você, amigo que ainda não largou o osso da costela, te faço um convite: vamos aos poucos. Tire aos pouquinhos. Se der muita vontade, come. Se der só um pouquinho, não come. Começa tirando o presunto do pão, depois tira a linguiça do picadinho, depois outra coisa. Recuse o quibe do RU. Sem neura, sem pressa, sem rótulo: só você redescobrindo seu paladar, no seu tempo e nas suas regras.

Você não precisa ser vegano. Mas você não precisa comer carne.

Via: @saberescosmicos

Escrito por @tofuamilanesa

Lindamente repassado por: www.facebook.com/consciencial   -  http://consciencial.org

Nota do Tio Dalton: já parei de comer carne vermelha e aves em 98% e avante!!!!!

            Um texto divertido sobre a intenção de não comer carne. Sei que existe uma orientação espiritual  para evitar isso. Os animais sáo seres próximos de nós, principalmente os mamíferos, e esse comportamento para ser um tipo de canibalismo. Nossa sociedade materialista desenvolve cursos de gastronomia com os diversos cardápios sem nenhuma preocupação com esses valores espirituais. 

            Depois de ter lido o livro ˜”Fisiologia da Alma” do espírito Ramatis, fiquei cerca de dois anos sem comer carne vermelha, mas terminei voltando ao consumo de carnes sem restrições.

            Sei dos valores espirituais que devem nortear nossas vidas, mas sinto a força da cultura e dos meus instintos. O meu espírito sabe que o correto é não consumir carne, principalmente dos mamíferos, mas não tenho disposição de entrar nessa frente de luta tendo tantas outras a realizar, principalmente a construção do Reino de Deus, onde acredito que comer ou não carnes, não será impeditivo maior.


Publicado por Sióstio de Lapa em 20/03/2020 às 00h19



Página 28 de 628 « 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 » [«anterior] [próxima»]


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr