Meu Diário
13/12/2020 00h12
CIRCULO DO MAL DE HITLER (31) – MINISTÉRIOS ESTRATÉGICOS

            Interessante procurar saber como o mal pode se desenvolver e ameaçar todos os países do mundo. O que se passou na Alemanha Nazista sob o comando de Hitler e seus asseclas, abordado pela Netflix em uma série sob o título “Hitler’s circle of evil” serve como um bom campo para nossas reflexões.

XXXI

            O marxismo estava realmente destruído. Após toda propaganda e alarmismo nazista... MEDIDAS DRÁSTICAS SERÃO TOMADAS... esta repressão selvagem é bem-recebida pelos alemães, e a popularidade do partido dispara.

            Duas semanas depois, nas eleições de marco de 1933, o esforço de Goebbels e Göring é recompensado. Os nazistas conquistam quase 44% dos votos, ainda não é uma maioria, mas agora são a força dominante na coalização.

            Os nazistas estão no controle. Outra vez, o círculo íntimo aguarda suas recompensas. Göring, louco por poder, já acumula várias posições políticas, mas agora um novo ministério é criado com base em seus talentos. Ele deve secretamente desenvolver e construir a primeira força aérea moderna do mundo. Foi quando Göring deixou de ser apenas um ministro na Prússia. Agora é alguém com responsabilidade nacional. É a escolha óbvia para montar um ministério aéreo, que será uma forma velada de rearmar a Alemanha no ar. 

            Independente do Exército e da Marinha, e com seu próprio orçamento substancial e uniforme elegante, Göring está do jeito que gosta. Joseph Goebbels também recebe o reconhecimento que deseja. Foi a realização da ambição de toda a sua vida ser nomeado ministro da Propaganda em um novo ministério. Ele tinha o orgulho de ser o homem mais jovem já nomeado a um cargo ministerial na Alemanha, e estava muito animado com as oportunidades desse novo papel. É um papel que ele aprecia e rapidamente expande. Pós meses de preparação, ele juntou todos os artistas da Alemanha, escritores, músicos, pintores e escultores, em uma única organização. Dez anos antes, este jovem era um jornalista amargurado e frustrado. Agora está no comando da vida cultural da Alemanha. É o primeiro passo no caminho para o controle absoluto da mídia. Esse será o seu império e o tornará extremamente poderoso.

            Com os nazistas no poder, a lei e a ordem devem refletir sua visão e fazer cumprir seus valores. As forças policiais da nação devem ser centralizadas e serem controladas por uma pessoa do círculo íntimo. Será uma posição de estima e poder. Göring acha que é a escolha óbvia, ele montou a Gestapo na Prússia e teve papel importante em trazer a Polícia para o lado do regime.

            Mas Göring tem um rival inesperado ao cargo: o chefe de segurança em ascenção e meticuloso burocrata Heinrich Himmler. 

            A relação entre Göring e Himmler em i933 e 1934 é bem desigual. Göring está no topo da hierarquia política, enquanto Himmler ainda está manobrando, tentando achar seu lugar, seu papel. Ele está ocupado montando a base para seu poder subsequente. Esta é a grande chance de Himmler. Ele quer comandar uma polícia unificada nos mesmos moldes de sua SS. Ele explica a Hitler porque é o homem certo para o trabalho. Ele é um realizador e ótimo organizador. Claramente, é alguém que conseguirá montar um sistema policial nacional eficaz.

            Com todas as artimanhas, Hitler consegue alcançar uma posição de maior poder e cria dois ministérios estratégicos para seus planos: o Ministério do Ar, que tem finalidade bélica, de ser o maior poderio militar no ar, burlando a comunidade internacional que havia proibido a Alemanha de se armar belicamente. O outro ministério criado foi o da Propaganda, com o objetivo principal de endeusar o Führer e cristalizar cada vez mais o grau de hipnose sobre as massas, aceitando todo as iniquidades de forma passiva, até se encontrar irremediavelmente enredados na trama do mal, enquanto nação. Será que sofremos esse grau de hipnose no Brasil? Pois já são passados mais de um ano que a quadrilha deixou o poder central e até hoje ainda encontra fortes defensores entre cidadãos de bem que acreditam estarem defendendo um lado correto.


Publicado por Sióstio de Lapa em 13/12/2020 às 00h12
 
12/12/2020 00h10
CIRCULO DO MAL DE HITLER (30) – NARRATIVA NAZISTA

            Interessante procurar saber como o mal pode se desenvolver e ameaçar todos os países do mundo. O que se passou na Alemanha Nazista sob o comando de Hitler e seus asseclas, abordado pela Netflix em uma série sob o título “Hitler’s circle of evil” serve como um bom campo para nossas reflexões.

XXX

            Os nazistas se preparam para a próxima jogada. Ainda são parte de uma coalizão tênue, com poucos cargos no gabinete. Isso não é poder absoluto. Detonando os interesses da população. 

            Embora estejam no poder, os nazistas querem ampliá-lo. O círculo íntimo decide que precisa jogar para valer. Dizem que a coalizão fracassará e convocam outra eleição. Eles têm dois meses para garantir a maioria. O plano deles? Atacar seus principais rivais políticos: os comunistas.

            A ameaça, real ou imaginada, à Alemanha por parte dos comunistas era parte crucial da narrativa nazista, e Goebbels não perdeu tempo para capitalizar sobre isso. 

            Goebbels faz muita campanha, com o slogan “Ataque ao Marxismo”. Mas eles sabem que apenas propaganda não será suficiente. Nessa altura, não há dúvida de que o movimento precisa de algum tipo de crise, algo para derrubar os comunistas, que ainda são o maior partido no Reichstag.

            Mas por mais que os nazistas tentem provocar uma afronta, os comunistas se recusam a responder.

            27 DE FEVEREIRO DE 1933 – BERLIM

            Em fevereiro de 1933, Joseph e Magda Goebbels estão entretendo Hitler e outros líderes do partido em sua casa quando recebem um milagre. O Reichstag está pegando fogo. 

            Quando o incêndio acontece em fevereiro, um mês após ele assumir o poder, tudo circunstancialmente indicaria que teria sido ato dos nazistas. Isso foi negado na época, e a reação de Hitler, quando Himmler e Goebbels contaram sobre o incêndio, sugere que ele não sabia de nada. 

            Conspiração nazista ou não, é uma situação que pode ser manipulada. Um jovem comunista holandês é preso no local do incêndio. 

            Hitler dizia que ele era fruto da providência. Ele ficou realmente indignado com o ataque pelos comunistas ao símbolo do poder, o Reichstag. Hitler aproveita o momento. Rapidamente, ele convence Hindenburg a assinar o Decreto do Incêndio do Reichstag.

            Sob o pretexto de proteger o povo, as liberdades civis são suspensas e os nazistas recebem autoridade legal para reprimir qualquer oposição. 

            O incêndio do Reichstag deu aos nazistas a munição de que precisavam para dizer que os comunistas iriam realizar uma revolta nacional. Foi o sinal, o farol aceso para desencadear a violência nazista desenfreada em toda a Alemanha. 

            A SA de Röhm, a Gestapo de Göring e a SS de Himmler entram em ação para destruir brutal e sistematicamente toda oposição política. A polícia da Prússia chegou à Alemanha com lista de prisão de ativistas de esquerda. Ao mesmo tempo, a SA e a SS não têm limites.   

            A SA, agora como polícia auxiliar, pode atacar e sequestrar seus oponentes comunistas, arrastá-los para câmaras de tortura e submetê-los a violência, terror e extorsão. 

            Falsas narrativas são armas preferenciais de grupos orientados pelo mal. Não existe sentido ético, as mentiras são disseminadas a torto e direito para influenciar a sociedade que não apresenta uma crítica severa. A consequência dessa imprudência é tornar o estado refém de grupos criminosos, como aconteceu aqui no Brasil. Tanto na tomada do poder central, a presidência da república, como já dentro do poder, continuavam suas narrativas mentirosas para induzir o povo, principalmente aqueles de menor crítica, através da doação de benefícios, para conquistar uma simpatia em todos os setores, inclusive na educação, clero e justiça. Depois de tudo acontecido na Alemanha, parece incrível como pessoas tão bem instruídas, como se imagina ser os alemães, deixaram se iludir por um grupo tão abertamente violento. Mas, quando observamos o Brasil, pessoas tão bem instruídas, como juristas e professores universitários, ainda defendem pessoas tão bem identificadas como criminosas e acusam outras cujo passado e atuais atividades estão dentro da ordem e da justiça, sem falar da sintonia espiritual.


Publicado por Sióstio de Lapa em 12/12/2020 às 00h10
 
11/12/2020 00h10
VINHA DE LUZ 22 – CORRIGENDAS

            Paulo escreveu em Hebreus, 12:6, uma frase que nos adverte em nossa relação de filho e Pai, com o Criador: “Porque o Senhor corrige ao que ama e açoita a qualquer que recebe por filho.”

            É uma frase que merece maior reflexão, pois todos não somos filhos de Deus? Ele não deve nos amar a todos, sem distinção? E também não deve açoitar a todos nós sem distinção, pois todos somos seus filhos?

            Existe uma diferenciação que Paulo quer fazer entender... que o Pai ama todos os filhos, sim, no entanto, os que percebem a Sua existência, que não estão órfãos espirituais e que este Pai é bondade e justiça, estes sim, quando sente alguma correção ou o açoite que a vida traz, identifica a participação do Pai nesse evento, não com o sentido de maldade ou injustiça, mas de correção dos desvios e voltar para a trilha do amor, do seio divino.

            Quando nós, discípulos do Evangelho, começamos a entender o valor da corrigenda patrocinada pelo Pai, elevamo-nos mentalmente a planos mais altos da vida

            Naturalmente, o Pai ama todos os filhos, no entanto, os que aceitam Sua existência e procuram compreendê-lo perceberão, mais de perto, o amor divino. A máxima identificação com o Senhor, representa a máxima capacidade sentimental, de ser um canal por onde flui o amor incondicional a todos os seres da criação. 

            Quando atingimos esse nível espiritual, penetramos em zonas de mais serviço e mais aprendizado. No princípio as corrigendas são dolorosas, ficamos atormentados pelos açoites da experiência, entretanto, se sabemos vencer nas primeiras provas, entramos no conhecimento das próprias necessidades e aceitamos a luta por ser alimento espiritual e o testemunho do esforço diário pela indispensável melhora de nós mesmos.

            A vida que evolui dos aspectos primordiais da Natureza, está repleta de lições nesse sentido, da consciência que é gerada e descobre o Criador e aceita ser o instrumento da Sua vontade.

            A consciência, que é a instância espiritual criada à semelhança de Deus, por ser capaz de refletir sobre sua origem, missão e continuidade, ainda dorme no mineral. No vegetal, acorda e começa a sonhar. Nos animais começam a seguir o impulso instintivo, involuntário, para depois usar a consciência como um brinquedo de criança, que na juventude já tem condições de idealizar. Na sua luta evolutiva, o espírito já dono amplo de sua consciência, continua no esforço de lutar para caminhar em direção ao Pai, já devidamente reconhecido. 

            Procuremos atingir o estágio de renovação, consciente da missão de Jesus, por vontade do Pai, para nos ensinar a importância do amor incondicional e como praticá-lo para formar a família universal e consequentemente, o Reino de Deus.

             Nesse caminhar, o trabalho de iluminação e aperfeiçoamento é constante, e devemos agradecer pelas corrigendas e os açoites que recebemos, pois significa a retificação que o Pai promove em nossas vidas. 

            Quanto mais perto do Pai estamos, mais aprendemos e compreendemos o amor da educação divina.


Publicado por Sióstio de Lapa em 11/12/2020 às 00h10
 
10/12/2020 00h09
CIRCULO DO MAL DE HITLER (29) – NASCE A GESTAPO

            Interessante procurar saber como o mal pode se desenvolver e ameaçar todos os países do mundo. O que se passou na Alemanha Nazista sob o comando de Hitler e seus asseclas, abordado pela Netflix em uma série sob o título “Hitler’s circle of evil” serve como um bom campo para nossas reflexões.

XXIX

            A ascensão de Göring a ministro do Interior, secretário do Interior, lhe dá voz ampla e controladora sobre todos os assuntos domésticos da Alemanha. A Prússia é sua base, sua fortaleza. 

            Agora Göring foca os recursos de seu vasto e novo império burocrático e administrativo para alcançar os objetivos nazistas. Ele pode transformar a polícia prussiana em um novo tio de força policial. Um tipo nunca visto no mundo. Göring chama de Polícia Secreta do Estado. Nós a conhecemos como Gestapo. E a Gestapo se torna uma personificação assustadora do terror estatal.

            No início, a Gestapo fica encarregada da inteligência política, mas com amplos poderes de captura e prisão. Na Prússia, sob a liderança de Göring, eles logo violam o Estado de direito. O papel dele como ministro do Interior na Prússia é usado para impor a revolução nazista em toda a área do norte da Alemanha.

            Sua polícia impõe as visões do partido, atacando comunistas e fazendo vista grossa a atividades nazistas violentas. Göring é ligado a essa forma de controle. É naturalmente agressivo na política, e, como ministro do Interior, tem os meios para impor a violência em vigor genuíno.

            A tomada da Prússia por meio de controle policial é aprovada com entusiasmo por Hitler. Mas em outros, isso desperta ressentimento. Há dois membros do círculo que veem o sucesso de Göring com muita inveja. Um deles é Goebbels, que inveja o sucesso de qualquer outra pessoa. Ele fica muito ofendido. E o outro é Himmler. 

            Himmler se considera o responsável pela segurança e polícia. “Eu que cuido da inteligência. Sei dessas coisas. Por que esse ex-piloto gordo está comandando a Gestapo? Deveria ser eu.”

            Mas mesmo Göring percebendo uma inimizade crescente contra ele, sente-se seguro, tem algumas cartas na manga. Ele cria seu próprio escritório para investigar membros do partido, e ele guarda dossiês e arquivos que usará no futuro. Ele demonstra grande astúcia política. 

            A Gestapo fornece uma grande vantagem a Göring, pois tem todos os arquivos policiais prussianos sobre seus principais colegas nazistas. Isso lhe dá muito poder. Melhor ainda, poucas semanas após assumir a Prússia, ele adquire o Santo Graal da coleta de informações. A escuta telefônica, que era bem moderna na época, torna-se uma importante fonte de informação para Göring, e ele surpreende as pessoas repetindo o que disseram ao telefone. Se Göring for atacado pelos outros, ele estará pronto.

            Uma ideologia do mal se instalando no poder, logo vai invertendo o interesse das instituições, funcionando para fortalecer os interesses do partido e detonando os interesses da população. Foi assim que aconteceu no Brasil, com o “mensalão” onde o governo petista pagava aos congressistas que não possuíam uma ética fortalecida. Os congressistas não procuraram ver o mal que tal procedimento iria fazer, corroer as finanças da nação, beneficiando outros países de igual ideologia, desde que seus bolsos também ficassem cheios de dinheiro.   


Publicado por Sióstio de Lapa em 10/12/2020 às 00h09
 
09/12/2020 00h07
CIRCULO DO MAL DE HITLER (28) – HITLER SOBRE A ALEMANHA

            Interessante procurar saber como o mal pode se desenvolver e ameaçar todos os países do mundo. O que se passou na Alemanha Nazista sob o comando de Hitler e seus asseclas, abordado pela Netflix em uma série sob o título “Hitler’s circle of evil” serve como um bom campo para nossas reflexões.

XXVIII

            Goebbels criou uma estratégia de campanha chamada “Hitler Sobre a Alemanha”, na qual Hitler voava de cidade a cidade em um avião, sendo filmado, e as tropas aguardavam para ver o Führer descer dos céus como um anjo vingador saindo das nuvens. E isso impactou as pessoas cujas vidas estavam cinza e limitadas. É genial. Joseph Goebbels faz Hitler parecer um estadista sério, um verdadeiro líder, uma opção viável.

            Hitler parece um verdadeiro político do século 20, e seus rivais parecem ter parado no século passado. Mas apesar dos esforços, eles não saem vitoriosos da eleição. Tendo cada um 50% dos votos, os nazistas e comunistas estão em um impasse político. Se o círculo íntimo quiser tomar a liderança, precisa apoiar a ordem política. Mas falar é mais fácil que fazer.

            O presidente alemão, marechal Hindenburg, desconfiava de Hitler. Ele não entendia a política de massa nem a motivação de Hitler. Hindenburg não acredita que tem de fazer negócios com esse ex-cabo. Somente o presidente Hindenburg pode dar a Hitler o que ele quer: a chancelaria.

            Sabendo disso, um membro-chave do círculo vê uma chance para melhorar sua posição. Göring vê bem o que está acontecendo no final de 1932 e início de 1933. Ele é presidente do Reichstag. Está em boa posição para ver as possibilidades. Usando sua reputação e seus contatos, Göring quer provar que é o único que pode dar a Hitler esse trampolim ao poder. 

            Göring tem um momento culminante em 1933. Foi Göring quem efetuou o encontro deles. Ele junta esses dois homens de forma que ninguém mais conseguiria. Göring convence Hindenburg a confiar em Hitler. Então, essa facilitação é o momento-chave para Göring e o põe de volta no centro do círculo íntimo. Göring foi a salvação.

            Em 30 de janeiro de 1933, o presidente Hindenburg nomeia Hitler como chanceler da Alemanha. Para o círculo íntimo, é um momento incrível. Em 10 anos, passaram de terroristas brigões a políticos, fazendo parte de uma coalizão governante.

            No dia que Hitler se tornou chanceler, a Tropa de Assalto SA marchou pelo centro de Berlim, sob o Portão de Brandemburgo, cada um carregando uma tocha, e isso teve um profundo poder sobre as massas.

            As comemorações, organizadas por Goebbels, são espetaculares e dão ao mundo uma prova do que virá. Mas eles ainda não chegaram lá. O líder deles é o chanceler, mas os nazistas só têm alguns cargos no gabinete em um tênue governo de coalizão. E sob a fachada de um Partido Nazista unido, a competição por esses cargos faz a rivalidade se intensificar no círculo.

            Quando Hitler se torna chanceler, há uma competição crescente entre aqueles que aspiram por altos cargos políticos, e alguns vão terminar sem cargos, enquanto outros alcançarão grande importância política. Entre os que aguardam o sucesso está o mestre de campanha Goebbels. Ele espera receber prestígio e privilégio, até mesmo um cargo ministerial no novo gabinete.

            Com um novo governo no poder, todos que ajudaram no sucesso do partido aguardam ao lado do telefone, esperando que seu líder lhes dê um bom cargo. Embora tenha sido saudado por seus esforços, os anos de táticas terroristas e campanha agressiva de Goebbels não o tornaram popular em Berlim.

            Goebbels acaba percebendo que seu telefone não está tocando. Hitler não pode ser associado a ninguém que possa prejudicar sua tênue posse de poder legítimo. Ele percebe que não conseguiu um cargo, não é um dos nazistas que será nomeado ao gabinete, e cai em tremenda depressão. 

            Mas enquanto uma estrela se apaga, outras brilham. A recompensa de Göring por ajudar Hitler na chancelaria foi se tornar ministro do Interior do maior estado da Alemanha... Prússia.

            O mal vai conquistando espaços, através de votos conquistados por mensagens distorcidas, onde o verdadeiro motivo não é colocado para os eleitores. Assim aconteceu com a conquista da presidência do Brasil. As esquerdas negaram até o fim, de seus eleitores, o que na realidade queriam fazer: atos de corrupção, deixando o pais aparelhado em todos os níveis da administração, por pessoas que não tivesse escrúpulos de colocar em prática tais iniquidades. O povo no início não percebe as manobras, e quando o efeito danoso se torna impossível de disfarçar, acontece a reação, mas às vezes o conserto é difícil, como acontece na Venezuela. Felizmente aqui no Brasil, tivemos a sorte de eleger outro presidente com o caráter mais sério e que respeita os valores que a esquerda não tem: honestidade, verdade, justiça.


Publicado por Sióstio de Lapa em 09/12/2020 às 00h07



Página 8 de 661 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr