Meu Diário
20/01/2024 00h01
ESCOLHIDOS PARA SERVIR

            A narrativa cristã informa que Deus criou todos os povos da terra “de um só sangue” (Atos 17:26). A história dos israelitas é sobre uma única família que o Criador Deus favoreceu o aparecimento entre todos os povos da Terra para o Seu serviço.



            Embora os israelitas sejam o povo que foi construído segundo a vontade de Deus, de nenhuma forma deveriam ser considerados superiores, tanto na antiguidade como agora. O apóstolo Pedro explicou posteriormente que “Deus não faz acepção de pessoas; pelo contrário, em qualquer nação, aquele que O teme e faz o que é justo lhe é aceitável” (Atos 10:30-35). Isso sempre foi verdadeiro.



            Alguns podem pensar que Deus escolheu trabalhar com Abraão e seus descendentes porque, de alguma forma, eles eram mais importantes ou naturalmente melhores que as outras pessoas. Mas absolutamente este não era o caso. Deus intencionalmente escolheu lidar com um pequeno grupo de pessoas que não tinham proeminência internacional.



            Vejamos o que Deus disse à antiga Israel: “O Senhor não tomou prazer em vós, nem vos escolheu, porque a vossa multidão era mais do que a de todos os outros povos, pois vós éreis menos em número do que todos os povos, mas porque o Senhor vos amava; e, para guardar o juramento que jurara a vossos pais, ... Saberás, pois, que o Senhor, teu Deus, é Deus, o Deus fiel, que guarda o conceito e a misericórdia até mil gerações aos que O amam e guardam os seus mandamentos” (Deuteronômio 7:7-9).



            Deus escolheu Abraão para uma tarefa específica. Mas Ele também testou Abraão para ver se ele Lhe seria fiel. Abraão passou nesses testes. Então, Deus começou a usa-lo porque ele acreditava e confiava em seu Criador. “Pois, que diz a Escritura? Creu Abraão em Deus, e isso lhe foi imputado como justiça” (Romanos 4:3).



            Deus moldou a antiga Israel, sob a Sua cuidadosa orientação, das doze tribos relacionadas ou famílias estendidas, cujos ancestrais eram Abraão, seu filho Isaque e o filho de Isaque, Jacó.



            As famílias estendidas de Abraão cresceram, formando uma multidão ainda maior, os descendentes dos doze filhos de Jacó. Deus os constituiu uma nação e fez uma aliança e fez uma aliança com eles. Juntos, eles ficaram conhecidos como “Israel” ou “os filhos de Israel”.



            Israel foi outro nome dado a Jacó. Quando Deus começou a trabalhar diretamente com Jacó Ele o nomeou Israel, que significa “aquele que prevalece com Deus” ou “um príncipe com Deus” (Gênesis 32:24-30).



            Os descendentes de Israel também seriam conhecidos como “a semente de Abraão”, “a casa de Isaque”, “a casa de Jacó” ou simplesmente “Jacó”, e pelos nomes individuais das tribos, de Rubem, Simeão, Levi, Judá, Zebulon, Issacar, Dã, Gade, Aser, Naftali, Benjamim e José.



            Mais tarde, o patriarca Jacó adotou Efraim e Manassés, seus netos através de seu filho José, como seus próprios filhos quanto a sua herança. Consequentemente, a nação de Israel tem sido mencionada historicamente como sendo composta tanto de doze ou de treze tribos, dependendo se os descendentes de José sejam contados como uma tribo (José) ou duas (Efraim e Manassés).



Publicado por Sióstio de Lapa em 20/01/2024 às 00h01
 
19/01/2024 00h01
ACORDO DE DEUS

    Como pode uma pessoa ser escolhida por Deus, entre tantas outras, para construir um grande povo? Que tipo de favoritismo foi esse? Pois é assim que está escrito no primeiro livro da Bíblia, Gênesis 12: 1-3:
    “Saia da sua terra, do meio dos seus parentes e da casa do seu pai, e vá para a terra que eu lhe mostrarei,” Deus disse a Abrão. “Farei de você um grande povo, e o abençoarei. Tornarei famoso o seu nome, e você será uma benção. Abençoarei os que o abençoarem e amaldiçoarei os que o amaldiçoarem; e por meio de você todos os povos da terra serão abençoados”.
    Assim começa o livro considerado sagrado por nós, do Ocidente. Deus não explica porque escolheu esse homem entra tantos outros. Vou reconhecer que Deus é a sabedoria infinita e certamente devia saber que entre todos que existiam naquela época, era Abrão o mais conveniente para Seus propósitos. 
    Deus iniciou seus planos para a humanidade com a escolha de Abrão para ser o pai do povo que iria surgir com a promessa de cumprirem a Sua vontade. Mais tarde Ele mudou o nome de Abrão, que significa “pai exaltado” para Abraão que significa “Pai de uma multidão” Gênesis 17:5.  Essa promessa não foi limitada a uma pequena e antiga nação do Oriente Médio. Ela estende-se para o futuro e não está limitada às fronteiras nacionais, pois está designado na promessa “trazer bênçãos a todos os povos da Terra.
    Com esta promessa, Deus iniciou um projeto admirável, designado para beneficiar “todas as famílias da Terra” quando for consumado. A história e as profecias dessa nação, nascida de Abraão, são importantes não somente para seu próprio povo, mas para os povos de todas as nações.
    Posteriormente, Deus passou adiante essa promessa de Abraão para seu filho Isaque, seu neto Jacó e depois para os 12 filhos de Jacó, de quem vieram as 12 tribos de Israel. Deus deu mais detalhes às gerações sucessoras sobre seu propósito para Israel e como Ele pretendia cumprir seu grande plano para eles.
    Esse compromisso assumido pelo Criador da humanidade é o elo que une as várias partes das Escrituras. Ele aumenta o significado e fornece estruturas à Bíblia. Até a missão de Cristo é uma construção dessa promessa.
    Quase oitocentos anos após Israel ter desaparecido como nação, o apóstolo Paulo descreveu os gentios (não israelitas) que estão “sem Cristo” como “separados da comunidade de Israel, e estranhos aos concertos da promessa, não tendo esperança, e sem Deus no mundo” (Efésios 2:12).
    Esta é uma linguagem forte, mas ela ressalta a importância do compromisso de Deus com Abraão e Paulo reconheceu que Israel, incluindo as 10 tribos perdidas, continuava existindo. Se Paulo estivesse falado somente sobre os judeus, as tribos contidas no reino do Sul, ele teria falado de Judá, não de Israel.     
    Em seguida, Paulo esclarece. “Em outras gerações, não foi dado a conhecer aos filhos do homem, como agora, foi revelado aos seus santos apóstolos e profetas, no Espírito, a saber, que os gentios são coerdeiros, membros do mesmo corpo, e coparticipantes da promessa em Cristo Jesus por meio do Evangelho” (Efésios 3:5-6).
    Como todos os povos podem participar das promessas que Deus fez a Abraão através de Jesus?  Paulo explica, “E, se sois de Cristo, então, sois descendência de Abraão e herdeiros conforme a promessa” (Gálatas 3:29).
    Isto significa que Deus tem de enxertar todos que se tornam Seus servos na família de Abraão, e Deus comprometeu-se a uma série de alianças para realizar isso (Romanos 11:13-27).
    Esta narrativa nos coloca dentro da família de Abraão, desde que acreditemos no Cristo como filho mais evoluído de Deus e que veio entre nós, materialmente, para nos ensinar esta genealogia e do respeito que devemos ter com o Pai, Criador, fazendo a sua vontade e construindo a família universal
 


Publicado por Sióstio de Lapa em 19/01/2024 às 00h01
 
18/01/2024 00h01
 O AMOR E A PAIXÃO (poesia)

Ah!



O amor que me constrói a alma;



Ah!



A paixão que me corrompe a carne.



 



Como viver o meu amor



Sem experimentar uma paixão?



 



Se o edifício do amor



Se destrói, nas labaredas da paixão?



 



Como dizer ao meu amado... eu te amo



Mas quero experimentar, louca paixão?



 



Meu amado é carne da minha carne



Mas não sente o prazer da paixão que sinto.



 



Meu amante é fera endiabrada



Consome meu corpo, corrompe minha alma



 



Sou para ele um simples petisco



Que tempera o seu gozo com o meu prazer



 



Para ele é vitória, a conquista e pecado



Para mim é derrota o prazer do pecado



 



Um sonho pra ele, pesadelo pra mim



Para nós uma taça de prazer corrompido



 



Ah! Meu amado, se tu bem soubesse



Da carne que é tua e que outro possui



 



Que tenho o prazer manchado de dor



Que sinto a paixão sufocar meu amor



 



Socorre minh’alma, acode meu pranto



Não deixe a paixão me sufocar de prazer



 



Me ame, amado, como eu te amo



E pegue na mão, o meu coração



 



Chamuscado no fogo de tanta paixão



Mas quero escapar e em ti me abrigar.



Publicado por Sióstio de Lapa em 18/01/2024 às 00h01
 
17/01/2024 00h01
PARÁBOLA DAS 10 VIRGENS

            No Evangelho de Mateus (25:1) encontramos uma parábola ensinada pelo Cristo que tem o objetivo de nos deixar atentos.



A ilustração das dez jovens



1"O Reino dos céus será, pois, semelhante a dez virgens que pegaram suas candeias e saíram para encontrar-se com o noivo. 2Cinco delas eram insensatas, e cinco eram prudentes. 3As insensatas pegaram suas candeias, mas não levaram óleo. 4As prudentes, porém, levaram óleo em vasilhas, junto com suas candeias. 5O noivo demorou a chegar, e todas ficaram com sono e adormeceram. 6"À meia-noite, ouviu-se um grito: 'O noivo se aproxima! Saiam para encontrá-lo!' 7"Então todas as virgens acordaram e prepararam suas candeias. 8As insensatas disseram às prudentes: 'Deem-nos um pouco do seu óleo, pois as nossas candeias estão se apagando'. 9"Elas responderam: 'Não, pois pode ser que não haja o suficiente para nós e para vocês. Vão comprar óleo para vocês'. 10"E saindo elas para comprar o óleo, chegou o noivo. As virgens que estavam preparadas entraram com ele para o banquete nupcial. E a porta foi fechada. 11"Mais tarde vieram também as outras e disseram: 'Senhor! Senhor! Abra a porta para nós!' 12"Mas ele respondeu: 'A verdade é que não as conheço!' 13"Portanto, vigiem, porque vocês não sabem o dia nem a hora!



            Sei que estou inscrito no exército do Cristo e que estamos em plena batalha, uma das mais perigosas das inúmeras que já tivemos nessa Guerra Espiritual milenar, que envolve o Criador e Suas criaturas.



            Na atual Batalha Espiritual, o adversário de nossas almas está ganhando espaços por todo o mundo, inclusive no Brasil, que está programado para ser a pátria do Evangelho e o coração do mundo.



            O nosso comandante que veio há 2 mil anos nos passar as devidas instruções de como proceder no campo de batalha, lutando para construir o Reino de Deus a partir do conserto em nossos próprios corações, ficou de retornar, de forma espiritual. Acredito que Ele já esteja entre nós, na forma do Espírito da Verdade, identificado nos estudos espíritas através de Suas lições mais uma vez edificantes em nossa vida atual.



            Portanto, com esta compreensão, a parábola das 10 virgens perde o sentido da espera, pois já estamos com o Cristo entre nós. Em verdade, Ele nunca se afastou espiritualmente de nós, pois disse que quando tivesse dois ou três reunidos em Seu nome, Ele estaria presente.



            A parábola tem utilidade para quem tem a compreensão do Juízo Final com a vinda do Messias envolto na autoridade divina para o julgamento de todos de conformidade com a lei de Deus.



Publicado por Sióstio de Lapa em 17/01/2024 às 00h01
 
16/01/2024 00h01
CÂNTICO DE DAVID

            Lendo a Bíblia sequencialmente, encontrei um trecho que caiu no dia primeiro de janeiro de 2024. Como achei interessante, pois o seu conteúdo pode nos trazer boas reflexões para o corrente ano.

Cântico de David

1Davi cantou ao Senhor este cântico, quando ele o livrou das mãos de todos os seus inimigos e das mãos de Saul, 2dizendo: "O Senhor é a minha rocha, a minha fortaleza e o meu libertador; 3o meu Deus é a minha rocha, em que me refugio; o meu escudo e o meu poderoso salvador. Ele é a minha torre alta, o meu abrigo seguro. Tu, Senhor, és o meu salvador, e me salvas dos violentos.  4Clamo ao Senhor, que é digno de louvor, e sou salvo dos meus inimigos.  5"As ondas da morte me cercaram; as torrentes da destruição me aterrorizaram.  6As cordas da sepultura me envolveram; as armadilhas da morte me confrontaram. 7Na minha angústia, clamei ao Senhor; clamei ao meu Deus. Do seu templo ele ouviu a minha voz; o meu grito de socorro chegou aos seus ouvidos.  8"A terra abalou-se e tremeu, os alicerces dos céus estremeceram; tremeram porque ele estava irado. 9Das suas narinas saíram fumaça; da sua boca saiu fogo consumidor; dele saíram brasas vivas e flamejantes. 10Ele abriu os céus e desceu; nuvens escuras estavam debaixo dos seus pés. 11Montou sobre um querubim e voou; elevou-se sobre as asas do vento. 12Pôs as trevas ao seu redor; das densas nuvens de chuva fez o seu abrigo. 13Do brilho da sua presença flamejavam carvões em brasa.  14Dos céus o Senhor trovejou; ressoou a voz do Altíssimo. 15Ele atirou flechas e dispersou os inimigos, arremessou raios e os fez bater em retirada. 16Os vales apareceram, e os fundamentos da terra foram expostos, diante da repreensão do Senhor, com o forte sopro de suas narinas. 17"Das alturas estendeu a mão e me segurou; tirou-me de águas profundas. 18Livrou-me do meu inimigo poderoso, dos meus adversários, que eram fortes demais para mim. 19Eles me atacaram no dia da minha calamidade, mas o Senhor foi o meu amparo. 20Deu-me ampla liberdade; livrou-me, pois me quer bem. 21"O Senhor me tratou conforme a minha retidão; conforme a pureza das minhas mãos me recompensou. 22Pois guardei os caminhos do Senhor; não cometi a perversidade de afastar-me do meu Deus. 23Todos os seus mandamentos estão diante de mim; não me afastei dos seus decretos. 24Tenho sido irrepreensível para com ele e guardei-me de pecar. 25O Senhor recompensou-me segundo a minha retidão, conforme a pureza das minhas mãos perante ele. 26"Ao fiel te revelas fiel, ao irrepreensível te revelas irrepreensível, 27ao puro te revelas puro, mas ao perverso te revelas astuto.  28Salvas os humildes, mas os teus olhos estão sobre os orgulhosos para os humilhar. 29Tu és a minha lâmpada, ó Senhor! O Senhor ilumina-me as trevas. 30Contigo posso avançar contra uma tropa; com o meu Deus posso transpor muralhas. 31"Este é o Deus cujo caminho é perfeito; a palavra do Senhor é comprovadamente genuína. Ele é escudo para todos os que nele se refugiam. 32Pois quem é Deus além do Senhor? E quem é Rocha senão o nosso Deus? 33É Deus quem me reveste de força e torna perfeito o meu caminho. 34Ele me faz correr veloz como a gazela e me firma os passos nos lugares altos. 35É ele que treina as minhas mãos para a batalha, e assim os meus braços vergam o arco de bronze. 36Tu me dás o teu escudo de livramento; a tua ajuda me fez forte. 37Alargas sob mim o meu caminho, para que os meus tornozelos não se torçam. 38"Persegui os meus inimigos e os derrotei; não voltei
enquanto não foram destruídos. 
39Esmaguei-os completamente, e não puderam levantar-se; caíram debaixo dos meus pés. 40Tu me revestiste de força para a batalha;
fizeste cair aos meus pés os meus adversários. 
41Fizeste que os meus inimigos fugissem de mim; destruí os que me odiavam. 42Gritaram por socorro, mas não havia quem os salvasse; gritaram ao Senhor, mas ele não respondeu. 43Eu os reduzi a pó, como o pó da terra; esmaguei-os e os amassei como a lama das ruas. 44"Tu me livraste dos ataques do meu povo; preservaste-me como líder de nações. Um povo que eu não conhecia me é sujeito. 45Estrangeiros me bajulam; assim que me ouvem, me obedecem. 46Todos eles perdem a coragem; saem tremendo das suas fortalezas. 47"O Senhor vive! Bendita seja a minha Rocha! Exaltado seja Deus, a Rocha que me salva! 48Este é o Deus que em meu favor executa vingança, que sujeita nações ao meu poder, 49que me livrou dos meus inimigos. Tu me exaltaste acima dos meus agressores; de homens violentos me libertaste. 50Por isso te louvarei entre as nações, ó Senhor; cantarei louvores ao teu nome. 51Ele concede grandes vitórias ao seu rei; é bondoso com o seu ungido, com Davi e seus descendentes para sem­pre".

            Excelente a disposição de ânimo de David para com Deus. Rezemos ao Pai para que consigamos alcançar tal nível de fé e coragem para o embate com as forças das trevas que hoje estão a nos sufocar. Ave, Cristo!


Publicado por Sióstio de Lapa em 16/01/2024 às 00h01



Página 8 de 887 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » «anterior próxima»


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr